Bélgica prolonga medidas de confinamento por mais oito semanas

23-03-2020 (15h25)

Foto: Unsplash / Libby Penner
Foto: Unsplash / Libby Penner

A Bélgica vai prolongar as medidas de isolamento social durante mais oito semanas com o intuito de combater o afluxo de doentes às urgências hospitalares, devido ao surto do novo coronavírus.

A ministra da Saúde da Bélgica, Maggie de Block, afirmou que as medidas de isolamento social vão ser mantidas durante pelo menos mais oito semanas, numa entrevista ao jornal De Zondag, publicada no Domingo.

"Esta situação ainda será mantida pelo menos durante oito semanas", referiu a ministra, sublinhando que esta medida se destina a gerir o afluxo de doentes às urgências hospitalares e a baixar a curva da contaminação.

"O que pedimos às pessoas não é fácil, temos de ajustar os nossos hábitos quotidianos. Mas não há alternativa", referiu De Block.

Desde o dia 17 de Março que os residentes na Bélgica só podem sair de casa para comprar comida, ir ao médico ou assistir pessoas com necessidades.

É permitida a ida ao cabeleireiro, desde que seja uma pessoa de cada vez, e a práctica de exercício físico no exterior, no máximo a dois e em regime de coabitação, respeitando a distância mínima de 1,5 metros das outras pessoas.

As escolas e universidades estão fechadas e a maior parte dos trabalhadores estão em regime de teletrabalho, incluindo os funcionários das instituições da União Europeia.

Segundo os números mais recentes, hoje divulgados, foram registados 3.401 casos da covid-19, com 75 mortes e 340 doentes já recuperados.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infectou mais de 324 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 14.300 morreram.

Depois de surgir na China, em Dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir actualmente o maior número de casos, com a Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 5.476 mortos em 59.138 casos. Segundo as autoridades italianas, 7.024 dos infetados já estão curados.

A China, sem contar com os territórios de Hong Kong e Macau, onde a epidemia surgiu no final de Dezembro, conta com um total de 81.054 casos, tendo sido registados 3.261 mortes.

Os países mais afectados a seguir à Itália e à China são a Espanha, com 1.720 mortos em 28.572 infecções, o Irão, com 1.685 mortes num total de 22.638 casos, a França, com 674 mortes (16.018 casos), e os Estados Unidos, com 390 mortes (31.057 casos).

Vários países adoptaram medidas excepcionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

(PressTUR com Agência Lusa)

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

IATA diz não ser possível a aviação voltar ao que era pré-pandemia de covid-19

07-04-2020 (18h21)

“Não esperamos recomeçar a mesma indústria que fechámos há algumas semanas. As companhias de aviação continuarão a ligar o mundo. E vamos fazê-lo utilizando uma variedade de modelos de negócio. Mas os processos precisarão de ser adaptados”, defende o director-geral da IATA, Alexandre de Juniac, em declarações para a imprensa.

Serão precisos anos para o transporte aéreo voltar aos níveis pré-crise da covid-19, Grupo Lufthansa

07-04-2020 (17h32)

O grupo Lufthansa, maior grupo europeu da aviação comercial, desenganou hoje quem ainda sonhe com um rápido retorno à era pré-covid-19, dizendo que vão ser precisos “meses” para as restrições à aviação serem completamente levantadas e que levará “anos” para o tráfego atingir os níveis que tinha.

CE quer levantamento coordenado de restrições por todos os Estados-membros

07-04-2020 (17h21)

A Comissão Europeia considera fundamental que o levantamento das restrições impostas pelos Estados-membros no quadro da pandemia covid-19 seja feito de forma coordenada, razão pela qual apresentará na quarta-feira as suas orientações para essa estratégia.

Jet2.com prevê retomar operações em Junho

07-04-2020 (16h41)

A Jet2.com, que era nos tempos pré-covid uma das companhias de aviação que mais passageiros transportava para o Aeroporto de Faro, anunciou que prevê retomar os voos a 17 de Junho, advertindo que, no entanto, é uma decisão que estará “sob constante revisão” para que sejam cumpridas as orientações dos governos e das autoridades relevantes.

Finnair sofre queda de passageiros em Março para menos de metade que há um ano

07-04-2020 (16h18)

A companhia finlandesa Finnair, que na era pré-covid voava do seu hub de Helsínquia para Lisboa a para o Porto, sofreu em Março uma quebra do tráfego de passageiros para menos de metade de Março de 2019.

Noticias mais lidas