Airbnb vai passar a identificar oferta de particulares e profissionais

21-09-2018 (09h30)

A empresa Airbnb comprometeu-se a proceder até final do ano às alterações reclamadas pela Comissão Europeia em matéria de defesa do consumidor, que implicam passar a identificar oferta de particulares e profissionais e apresentar preços totais das reservas, incluindo taxas suplementares.

Em Julho passado, Bruxelas instou a plataforma online de aluguer de alojamento a harmonizar as suas condições de utilização com as normas de defesa do consumidor da União Europeia (UE) e a ser mais transparente na apresentação dos preços, sob pena de sofrer medidas coercivas (clique para ler: UE insta Airbnb a cumprir legislação europeia e ameaça com medidas coercivas).

Em conferência de imprensa ontem em Bruxelas, a comissária Vera Jourová indicou que, no seguimento da advertência do executivo comunitário, o Airbnb comprometeu-se a fazer as alterações necessárias aos seus termos e condições e a melhorar a apresentação dos seus preços, tendo até final de 2018 para proceder a essas alterações em todas as versões linguísticas da UE do seu sítio Internet.

A comissária observou que “os intervenientes em linha revolucionaram a forma de viajar, de encontrar alojamento e de usufruir das nossas férias, mas também necessitam de cumprir plenamente as regras e assumir a responsabilidade quando as coisas correm mal”.

Em concreto, apontou o executivo comunitário, o Airbnb “comprometeu-se a apresentar o preço total das reservas, incluindo as taxas suplementares, tais como taxas de serviço e de limpeza”, e, quando não for possível calcular o preço final antecipadamente, o Airbnb comprometeu-se a informar o consumidor, de forma clara, que taxas adicionais poderão ser aplicáveis”.

“Além disso, o Airbnb também se comprometeu a identificar, de forma clara, se uma oferta é feita por um anfitrião particular ou por um profissional, pois as normas de defesa do consumidor diferem consoante o caso”, indica a Comissão Europeia.

Entre outras medidas reclamadas por Bruxelas, a empresa passará também a deixar claro nas suas condições de serviço que “os consumidores podem exercer todas as vias de recurso à sua disposição e, em especial, o seu direito de intentar uma ação contra um anfitrião em caso de danos pessoais ou outros danos”, e “têm direito a intentar uma ação contra o Airbnb perante os tribunais do seu país de residência”.

Apontando que a empresa deve proceder à implementação das alterações em todas as línguas oficiais dos Estados-membros da UE e do Espaço Económico Europeu até ao final de dezembro de 2018, Bruxelas insiste que, “em caso de incumprimento, as autoridades de defesa do consumidor poderão decidir recorrer a medidas coercivas”.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Airbnb

Clique para ver mais: Europa

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Aeroportos portugueses já estão a crescer menos que a média europeia

16-10-2018 (18h07)

Os aeroportos portugueses, que sistematicamente figuravam como líderes de crescimento na Europa, actualmente crescem menos que a média europeia, porque o abrandamento do crescimento de Lisboa não tem beneficiado os outros aeroportos, que estão piores que o da capital, à excepção do Porto.

Escandinava SAS programa voos de cinco cidades da Dinamarca, Noruega e Suécia para Faro

11-10-2018 (13h10)

A companhia de aviação escandinava SAS, membro da Star Alliance como a TAP, tem programado voar para Faro, Algarve, no próximo Verão de Aarhus, na Dinamarca, Gotemburgo, na Suécia, e Oslo, na Noruega.

OMT prevê abrandamento do crescimento do turismo internacional este semestre

11-10-2018 (12h41)

A Organização Mundial do Turismo (OMT) prevê que o crescimento do turismo internacional, que estimou em 6% no primeiro semestre, abrande na segunda metade do ano, embora mantenha a perspectiva de "um forte impulso" este ano.

easyJet cresce 10,2% em 2017/2018, mas fica aquém do que antecipava

08-10-2018 (17h35)

A low cost easyJet transportou 88,45 milhões de passageiros nos 12 meses terminados em Setembro, o que corresponde ao seu exercício 2017/2018, ficando assim aquém da previsão de 90 milhões que tinha avançado em Dezembro de 2017.

Navio de cruzeiros Costa Fortuna volta a navegar no Mediterrâneo após renovação

08-10-2018 (15h07)

A Costa Cruzeiros anunciou que vai investir oito milhões de euros na renovação do Costa Fortuna, que está actualmente na Ásia e que vai voltar a fazer itinerários no Mediterrâneo a partir de Março de 2019.