Air France vai reduzir pessoal e rede doméstica em que perdeu 189 milhões em 2018

14-05-2019 (16h17)

Foto Air France
Foto Air France

A Air France, uma das maiores companhias de aviação europeias, informou que vai pôr em prática um plano de rescisões voluntárias de até 465 postos de trabalho em terra em França e reduzir em 15% a sua capacidade em voos domésticos, para estancar perdas que estima em 717 milhões desde 2013.

A companhia, que revelou ter perdido na rede doméstica 189 milhões de euros em 2018, quase o dobro da perda de 2017 (96 milhões), aponta como causas da ‘sangria’ na rede doméstica o desenvolvimento dos caminhos de ferro e das low costs, reclamando que em ambos os casos é penalizada por factores não concorrenciais.

No caso dos comboios, pelos apoios que a ferrovia tem do Governo, nomeadamente pela isenção de taxas e impostos, e no segundo porque podem reduzir custos de pessoal baseado em mercados onde os custos são mais baixos, enquanto a Air France tem toda a gente baseada em França.

A Air France garante que ainda assim não vai ‘forçar’ saídas e que novos talentos, incluindo pilotos, tripulantes de cabina, técnicos de manutenção e engenheiros, vão entrar este ano para a companhia para suportar o seu crescimento, acrescentando que simultaneamente tem que garantir “equilíbrio” em alguns sectores “para garantir a sua viabilidade a longo prazo”.

E o CEO do grupo Air France KLM, Benjamin Smith, citado no comunicado sobre as medidas a implementar, garante o empenho da Air France na sua rede doméstica, salientando que assegura a ligação das regiões francesas com o mundo.

“Num mercado fortemente competitivo, estamos totalmente empenhados em defender um mercado doméstico que é vital para a Air France e também, mais globalmente, para o Grupo Air France KLM”, diz uma declaração de Benjamin Smith citada no comunicado.

A imprensa francesa realça no entanto o facto de o comunicado não fazer referência à low cost do grupo, a Transavia, que alegadamente tem sido desenvolvida para ‘dar luta’ às low cost, nos mercados de voos de curto e médio cursos.

 

Clique para mais notícias: Air France

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Espanha e Reino Unido reforçam atracção de gastos turísticos dos portugueses

22-08-2019 (14h31)

Espanha e Reino Unido foram os dois destinos que no primeiro semestre mais aumentaram as respectivas participações nos gastos turísticos dos portugueses, atingindo respectivamente 30,1% e 10,1%.

Tráfego aéreo de/para Portugal cresce acima da média da UE no 1º semestre

21-08-2019 (15h29)

Portugal foi um dos países cujos aeroportos tiveram aumentos de passageiros no primeiro semestre “bem acima da média da União Europeia”, informou o ACI Europe, associação que conta com mais de 500 aeroportos em 45 países europeus, que em 2018 somaram mais de 2,3 mil milhões de passageiros.

Norwegian Air suspende seis rotas entre Irlanda e América do Norte

16-08-2019 (10h22)

A Norwegian Air, considerada pioneira dos voos transatlânticos low cost, anunciou o cancelamento de seis rotas entre a Irlanda e a América do Norte, justificando a decisão com a suspensão de voos em Boeing 737 MAX, modelo afectado por dois acidentes fatais.

Aigle Azur quer vender operação para Portugal à low cost espanhola Vueling

12-08-2019 (14h39)

A companhia francesa Aigle Azur, que tem como accionistas maioritários o grupo chinês HNA e o accionista de referência da TAP e da Azul, David Neeleman, procura vender a sua operação em Orly para Porto, Faro e Funchal como forma de obter liquidez para se manter a voar, segundo a imprensa francesa.

Associação de pilotos europeus critica Ryanair por segundo Verão consecutivo de instabilidade laboral

09-08-2019 (12h41)

A Associação Europeia de Cockpit (ECA), que representa 40 mil pilotos europeus, criticou hoje a instabilidade laboral na companhia aérea Ryanair, situação que se repete pelo segundo Verão consecutivo e “pelos mesmos motivos”.

Noticias mais lidas