euroAtlantic admite sair da STP Airways, mas não empurrada, Tomaz Metello

11-06-2019 (17h47)

O fundador e presidente da Administração da euroAtlantic Airways, Tomaz Metello, admitiu hoje em declarações à Agência Lusa que a empresa deixe de ser accionista da companhia são-tomense STP Airways, mas quando entender.

“É falso dizer que a euroAtlantic vai sair [de São Tomé e Príncipe] e que o contrato acabou, é mentira. Se quisermos, continuamos a voar porque o acordo aéreo autoriza qualquer companhia lá”, afirmou Tomaz Metello.

As declarações do presidente do conselho de administração e accionista único da euroAtlantic Airways (EEA) surgem depois de o Governo são-tomense ter anunciado a intenção de terminar em Outubro o acordo para a gestão da STP Airways, abrindo a porta a novos parceiros (clique para ler: Governo de São Tomé anuncia que STP Airways vai deixar de ter voos para Lisboa com a sua accionista euroAtlantic).

A euroAtlantic tem 40% do capital e a responsabilidade pela gestão da STP Airways, tendo igualmente um contrato para a realização dos voos da são-tomense para Portugal em regime de ACMI (aluguer que inclui avião, tripulação, manutenção e seguros) e de concessão do handling, operação que o Governo são-tomense lhe quer retirar.

Tomaz Metello explicou à agência Lusa que a concessão dos serviços de handling foi a condição para a empresa entrar no capital e na gestão da STP Airways, assegurando que sem esta operação não tem interesse em continuar a gerir a empresa são-tomense.

A intenção de separar o handling da restante operação remonta ao anterior Governo, do primeiro-ministro Patrice Trovoada, que concordou, entretanto, prolongar até 2020 a concessão para permitir um compromisso entre as partes.

“Este Governo, antes mesmo do limite da data de concessão, disse-nos: vocês vão ficar sem o handling, vamos chegar aqui a um acordo”, adiantou Tomaz Metello.

O empresário sublinha que, no entanto, uma saída de euroAtlantic do capital da STP Airways tem de ter a concordância do maior accionista, a própria euroAtlantic, e implica a alteração dos estatutos da empresa.

Por outro lado, acrescentou, “mesmo que tenham a STP Airways com outros parceiros quaisquer, podemos continuar a voar como euroAtlantic, como aliás fizemos no início”.

“Antes de existir a STP Airways, nós já voávamos para lá”, reforçou.

Tomaz Metello admite dar o aval à mudança dos estatutos para sair da gestão da companhia são-tomense de aviação, mas põe como condição que lhe seja paga uma dívida de cerca de 600 mil euros, que tem mais de uma década.

“A outra opção é acabar com a STP Airways e, nesse caso, têm que dividir [pelos accionistas] o dinheiro [que está na empresa] e que é mais de 4,5 milhões de euros”, correspondendo os 40% de acções a 1,8 milhões, disse.

Tomaz Metello diz que foi surpreendido com a decisão anunciada nos meios de comunicação social pelo ministro das Obras Públicas, Infra-estruturas e Recursos Naturais de São Tomé, Osvaldo Abreu, de terminar o contrato em Outubro, e lamentou que, com todos os governos com que já lidaram, só este tenha imposto esta situação.

“Tomou esta decisão e deu esta informação sem o nosso aval e nós saímos quando quisermos. Poderemos eventualmente sair porque achamos que não conseguimos rentabilizar [a empresa] sem o handling, mas somos nós que queremos sair e não eles que nos mandam embora”, garantiu.

De acordo com Osvaldo Abreu, “houve um pedido para a extensão” da concessão do handling e o Governo de São Tomé e Príncipe achou que, neste momento, “não havia condições” para essa extensão.

“A empresa achou que sem a anuência desta solicitação não teria as condições para continuar a operar com a STP Airways”, acrescentou o ministro.

Tomaz Metello assegura que não houve qualquer novo pedido de extensão e que existe um contrato que devia vigorar até 2020 e que o Governo quer acabar já este ano.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: euroAtlantic

Clique para ver mais: STP Airways

Clique para ver mais: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Presidente da APAVT apela à cooperação para “trazer o turismo para a centralidade da economia”

16-11-2019 (20h11)

O presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, encerrou o 45º Congresso da Associação, na Madeira, com uma mensagem de apelo à cooperação para "trazer o turismo para a centralidade da economia" e para "espalhar os benefícios do turismo por todo o país".

Congresso da APAVT regressa a Aveiro em 2020

16-11-2019 (16h57)

A cidade de Aveiro vai receber o 46º Congresso da APAVT em 2020, ano em que a Associação celebra 70 anos, anunciou o seu presidente, Pedro Costa Ferreira.

Alojamento local capta metade das ‘novas dormidas’ em Portugal este ano

16-11-2019 (09h48)

Os estabelecimentos de alojamento local acumulam no final de Setembro um aumento de 900,4 mil dormidas em relação aos primeiros nove meses de 2018, o que equivale a cerca de metade do aumento global de dormidas em todas as formas de alojamento turístico em Portugal, que é em 1,867 milhões.

Pilotos de aviões B767-300 da euroAtlantic certificados para voar para Madeira

15-11-2019 (11h35)

A companhia de aviação euroAtlantic anunciou que os pilotos dos seus aviões B767-300ER já estão certificados para voar para a Madeira.

Secretária de Estado do Turismo vai trabalhar para um sistema fiscal mais justo

15-11-2019 (10h16)

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, garantiu na abertura do 45º Congresso da APAVT que vai trabalhar para conseguir “um sistema fiscal mais justo que possa potenciar maior investimento”.

Noticias mais lidas