Ryanair declara “irreversível” fecho das bases nas Canárias

30-08-2019 (12h45)

Foto: Ryanair
Foto: Ryanair

A Ryanair afirmou que é “irreversível” a decisão de encerrar as bases de Las Palmas, Tenerife Sul e Lanzarote, e apelou aos sindicatos para a desconvocação das greves previstas para Setembro.

A transportadora, num comunicado citado na imprensa espanhola, recordou que o atraso na entrega dos aviões B737 Max, devido a dois acidentes fatais com aeronaves deste modelo da Boeing, forçou o encerramento de algumas bases deficitárias durante o Inverno e a redução do número de aviões noutras bases, tanto em Espanha como noutros mercados.

Bases como as das Canárias “geram grandes perdas durante a temporada de Inverno” e, como quase todo o tráfego dessas rotas tem origem fora de Espanha, podem ser operadas “por outros aviões baseados noutros países da União Europeia sem os custos elevados e a ineficiência resultante de basear aviões e tripulações” no arquipélago das Canárias entre Novembro e Março.

A Ryanair, que além das bases de Las Palmas, Tenerife Sul e Lanzarote, também confirmou o encerramento da base de Girona, apela aos sindicatos dos tripulantes de cabina USO e Sitcpla e ao sindicato dos pilotos Sepla que desconvoquem as greves “sem sentido”.

As paralisações previstas para Setembro estão “condenadas ao fracasso”, diz a Ryanair, porque considera “irreversível” o encerramento das bases até estarem resolvidos os atrasos na entrega dos aviões 737 Max.

A low cost acrescenta que “convocar estas greves a apenas oito semanas do Brexit é um acto de irresponsabilidade dos sindicatos”.

Os tripulantes de cabina da companhia convocaram uma greve para os dias 1, 2, 6, 8, 13, 15, 20, 22, 27 e 29 de Setembro, enquanto os pilotos apresentaram um pré-aviso de greve para os dias 19, 20, 22, 27 e 29 de Setembro.

Ver também:

Ryanair inicia processo para despedir 512 funcionários em Espanha

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Ryanair

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Portugal é “um mercado muito importante” onde a Globalia quer crescer — Javier Hidalgo, CEO

22-01-2020 (14h32)

A Globalia, dona da Air Europa e dos hotéis Be Live, entre outras empresas de turismo, como o operador Travelplan, presente em Portugal, vê o país como um mercado "muito importante" onde ambiciona crescer em várias áreas de negócio, disse ao PressTUR Javier Hidalgo, CEO do grupo.

Voos Espanha – Portugal superam os 5,6 milhões de passageiros, com aumento em 16%

14-01-2020 (16h53)

Os voos de/para Portugal foram, entre o Top10 de origens/destinos dos aeroportos espanhóis, os que tiveram o crescimento de passageiros mais forte em 2019, em 16%, com o qual ultrapassaram a marca de 5,6 milhões.

Gabriel Subías regressa ao Grupo Iberostar para liderar W2M

14-01-2020 (13h15)

O Grupo Iberostar nomeou Gabriel Subías, ex-CEO da Ávoris, para liderar o negócio de receptivo e bedbank W2M, substituindo no cargo Christian Kremers, que estava no comando da empresa desde Setembro de 2018.

Novo CEO da Ávoris prevê decisão da concorrência sobre fusão com a Globalia em Março

14-01-2020 (12h55)

Vicente Fenollar, que foi nomeado oficialmente CEO da Ávoris depois de um mês no cargo de forma provisória, após a saída de Gabriel Subías, disse esperar uma decisão da autoridade da concorrência para “meados de Março”.

Aeroportos espanhóis crescem 4,4% em 2019 e atingem recorde de 275,2 milhões de passageiros

13-01-2020 (16h43)

Os 48 aeroportos e heliportos espanhóis geridos pela AENA tiveram um crescimento médio de passageiros em 2019 de 4,4%, que significou um aumento de 11,48 milhões e elevou o total do ano para o recorde de 275,2 milhões.

Noticias mais lidas