Alemanha provoca Setembro ‘no vermelho’ na hotelaria espanhola

24-10-2019 (16h12)

A hotelaria espanhola teve em Setembro a segunda quebra de dormidas este ano, com um decréscimo em 0,6%, provocado principalmente pela quebra do mercado alemão.

Dados do INE espanhol indicam que a hotelaria do país teve menos 217,2 mil dormidas este Setembro que no mês homólogo de 2018, porque teve menos 366,5 mil dormidas de turistas residentes no estrangeiro devido principalmente à quebra de 591,2 mil dormidas de residentes na Alemanha.

A informação do INE indica que a hotelaria espanhola recebeu em Setembro 11,02 milhões de turistas, 56,3% deles residentes no estrangeiro, num total de 6,2 milhões, +0,7% ou mais 44,9 mil que em Setembro de 2018.

Ainda assim, teve menos 336,5 mil dormidas de turistas residentes no estrangeiro (-1,4%, ficando em 25,99 milhões), porque a sua estada média caiu 2,1%, para 4,19 noites.

Essa tendência de descida da estada média como causa principal da quebra de dormidas foi evidente em vários emissores, a começar pelo maior, o Reino Unido, de onde teve um aumento de 13 mil hóspedes (+1%, para 1,286 milhões), mas ainda assim menos 2,7 mil dormidas (-0,04%, para 7,087 milhões), porque a estada média caiu 1,1%, para 5,51 noites.

Mas onde foi mais gravosa foi na Alemanha, segundo maior emissor para a hotelaria espanhola, com 5,21 milhões de dormidas em Setembro, porque, com um decréscimo em 3,3%, para 5,78 noites, agravou a queda do número de hóspedes em 7,1% (menos 25,4 mil, para 901,1 mil), para uma quebra em 10,2% em número de dormidas.

Os dados do INE mostram que Portugal foi uma das excepções a essa tendência de decréscimo da estada média, com uma subida em 2,8%, para 3,16 noites, com a qual o aumento em 2,1% do número de hóspedes (mais 3,5 mil, para 172,5 mil) ampliou-se para uma subida em 5% do número de dormidas (mais 25,8 mil, para 545,7 mil).

Portugal foi assim um dos emissores que ajudou a contrariar a queda de dormidas de turistas residentes no estrangeiro, que teve como principais expoentes os Estados Unidos, com um aumento de 144 mil (+19,3%, para 888,7 mil), e a Irlanda, com mais 86,5 mil (+16,3%, para 617 mil), bem como o conjunto “América sem EUA”, com mais 159,4 mil (+17,8%, para 1,05 milhões).

Continua em:

Hotelaria espanhola ‘perdeu’ até Setembro 3,4 milhões de dormidas de residentes na Alemanha

 

Clique para mais notícias: Hotelaria espanhola

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Espanha

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Meliá abre hotel da marca Innside em Saragoça

12-11-2019 (17h14)

A Meliá Hotels International anunciou a abertura de um hotel da sua marca Innside em Saragoça, um “destino obrigatório para os amantes de novas tendências”, segundo descreve.

Hotelaria espanhola ‘perdeu’ até Setembro 3,4 milhões de dormidas de residentes na Alemanha

24-10-2019 (16h10)

A hotelaria espanhola chegou ao fim de Setembro com uma quebra de 3,4 milhões de dormidas de turistas residentes na Alemanha nos primeiros nove meses deste ano, a que se somam ainda grandes quebras dos mercados belga, dinamarquês, holandês, sueco, norueguês e suíço.

Binter quer continuar a expandir-se “possivelmente em África e Espanha”

24-10-2019 (16h01)

A companhia de aviação Binter Canarias quer “continuar a expandir-se” no próximo Verão, “possivelmente em África e Espanha”, anunciou Pedro Agustín del Castillo, CEO da empresa.

Air France vai voar para mais quatro destinos na Península Ibérica, um deles Faro

23-10-2019 (15h12)

A companhia de aviação francesa Air France indicou que tem programado introduzir na próxima Primavera, a partir de 4 de Abril, voos do seu hub de Paris Charles de Gaulle para quatro novos destinos na Península Ibérica, um deles em Portugal, Faro, e três em Espanha, Alicante, Málaga e Valência, que são respectivamente.

Cerca de 100 detenções e 194 agentes feridos nas manifestações na Catalunha

17-10-2019 (14h14)

Perto de uma centena de pessoas detidas e 194 agentes da polícia feridos é o balanço oficial desde o início dos protestos na Catalunha contra a sentença que condenou 12 dirigentes independentistas catalães.

Noticias mais lidas