CEO da TAP culpa restrições no aeroporto de Lisboa por mais de 500 voos atrasados em 15 dias

13-09-2018 (16h34)

O CEO da TAP, Antonoaldo Neves, disse hoje que a companhia aérea registou atrasos em 37 voos por dia, em média, entre 28 de Agosto a 11 de Setembro por “restrições de capacidade do aeroporto de Lisboa”.

Em audição na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, Antonoaldo Neves, garantiu que em Agosto a transportadora deixou de ter problemas na sua operação devido à falta de tripulações.

Aos deputados, o executivo mostrou dados oficiais, recolhidos entre o final de Agosto e 11 de Setembro, para referir que os “motivos de atraso [de voos da TAP] são devidos à restrição de capacidade do aeroporto de Lisboa”.

Nesse período, houve “37 voos por dia, em média, com atrasos na chegada a Lisboa por restrições de capacidade”.

“É preciso resolver esse problema”, sublinhou Antonoaldo Neves, acrescentando que o “problema de pontualidade é crónico em Portugal”.

Referindo a 21ª pior posição do aeroporto de Lisboa em termos de pontualidade, no último ranking da empresa de estatísticas OAG, e a 25ª do Porto, Antonoaldo Neves argumentou ser “limitada a capacidade das companhias aéreas em trabalhar” para contrariar atrasos e cancelamentos (clique para ler: TAP e SATA Internacional repetiram em Agosto o Top10 dos piores índices de pontualidade, OAG / Seis em cada dez voos partiram atrasados de Lisboa em Agosto, OAG).

“As companhias têm limite para trabalhar isso. A falta de pontualidade deve-se a limitação da infraestrutura”, afirmou Antonoaldo Neves, na primeira intervenção na audiência, na qual garantiu que a TAP “não sobrevive” se não conseguir cumprir as ligações de voos.

“O modelo da TAP é de conexão [de ligações]”, recordou o CEO da companhia, notando que 55% dos seus passageiros viaja em vários voos e que “quem perde conexão, não voa mais na TAP”.

“Sem conectividade, o cliente vai para Espanha”, previu.

Na sua intervenção, Antonoaldo Neves informou ainda que dos 15 sindicatos que representam trabalhadores da transportadora fechou acordos com 14, faltando o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC).

Sobre contratações, a TAP terá 12.400 trabalhadores em 2025, depois de mais de 1.300 novas entradas entre 2017 e 2018 e 3.053 entre 2018 e 2025.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: TAP

Clique para ver mais: Aeroporto de Lisboa

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Aeroporto de Lisboa melhora pontualidade em Outubro, mas sem sair dos 20 piores do mundo

13-11-2018 (18h06)

O Aeroporto de Lisboa voltou em Outubro a ter mais de metade das partidas a saírem até 15 minutos da hora marcada, mas por pequena margem, mantendo-se assim entre os 20 piores em 1.195 aeroportos de todo o mundo com dados publicados pela consultora OAG.

TAP alcança em Outubro melhor pontualidade desde Maio, mas ainda é a 5ª pior do ranking da OAG

13-11-2018 (18h05)

A TAP teve em Outubro 56,4% dos voos a chegarem até 15 minutos da hora marcada, que é o seu melhor registo desde Maio (58,1%), mas ainda assim o 5º pior do mês no ranking publicado pela consultora OAG e que inclui 153 companhias.

Pilotos da Air Nostrum convocam greve para o final do mês

13-11-2018 (17h53)

Os representantes do sindicato SEPLA na companhia de aviação Air Nostrum anunciaram que vão entrar em greve nos dias 23, 26 e 30 de Novembro, após uma reunião de mediação com a SIMA, que terminou sem acordo entre as partes.

Sé de Idanha-a-Velha recebe cimeira internacional sobre sustentabilidade cultural

13-11-2018 (17h18)

A Sé Catedral de Idanha-a-Velha vai receber a International Summit: Cultural Destinations, promovida pela Associação Aldeias Históricas de Portugal, nos dias 15 e 16 de Novembro.

A321neo LR da TAP terão uma das melhores executivas em aviões narrowbody no mercado transatlântico

13-11-2018 (16h46)

Com poltronas totalmente reclináveis (lie-flat beds), até ficarem na horizontal, a TAP vai ter um dos melhores produtos business no competitivo mercado de voos transatlânticos, de acordo com o portal especializado em aviação “AirlineGeeks”.