Casinos de Macau perdem 1,1 mil milhões de euros de receitas em 2019, 64% no último trimestre

01-01-2020 (19h21)

O ano de 2019 foi de perda de receita de jogo para os Casinos de Macau, 63,8% da qual no último trimestre, em que se acentuaram factores que afectam negativamente a actividade há meses, como os distrúrbios na vizinha Hong Kong, e situações como a visita ao território do presidente chinês Xi Jinping.

A imprensa económica internacional assinala que a visita em Dezembro do presidente chinês para as comemorações dos 20 anos de transferência da soberania de Macau de Portugal para a China traduziu-se em políticas de vistos mais restritivas, restrições às viagens e reforço das medidas de segurança nas fonteiras.

Os números da autoridade do jogo em Macau evidenciam que Dezembro foi um mês ‘catastrófico' para os Casinos de Macau, que tiveram uma quebra das receitas em 13,7% ou 403,4 milhões de euros ao câmbio de hoje, que equivale a quase 35% da queda total no ano, que foi de 3,4% ou 1,15 mil milhões de euros.

A informação mostra que de facto o último trimestre do ano foi determinante para a dimensão da queda no ano, com um decréscimo de 8,4% ou 737,1 milhões de euros.

A imprensa internacional assinala que também as ondas de violência em Hong Kong têm sido dissuasoras da procura dos Casinos de Macau e nomeadamente dos denominados jogadores vip, com jogos organizados por junkets e apostas milionárias.

Ainda assim, com 32,5 mil milhões de euros de receitas do jogo no ano passado, os Casinos de Macau tiveram o seu 5º melhor ano de sempre, atrás apenas de 2018, em 3,4%, 2014, em 16,8%, 2013, em 18,9%, e 2012, em 3,8%.

 

Clique para mais notícias: Casinos de Macau

Clique para mais notícias: Macau

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Antonoaldo Neves garante que TAP tem “fundações bem sólidas”

21-02-2020 (17h53)

Os resultados da TAP no segundo semestre “não foram suficientes para compensar” as quebras do primeiro, admitiu Antonoaldo Neves, CEO da transportadora, que acrescentou estar convicto, no entanto, que “as fundações estão bem sólidas para a gente continuar nessa trajectória de transformação da empresa e melhoria da sustentabilidade”.

Grupo TAP baixa prejuízos em 12,4 milhões para 105,6 milhões de euros em 2019

21-02-2020 (17h51)

O Grupo TAP registou prejuízos de 105,6 milhões de euros em 2019, uma melhoria de 12,4 milhões de euros face às perdas de 118 milhões registadas em 2018.

TAP fecha o ano com prejuízos de 95,6 milhões

21-02-2020 (17h51)

A companhia portuguesa de aviação TAP perdeu mais 95,6 milhões de euros no ano passado, com um agravamento de 37,6 milhões face a 2018, segundo os resultados da empresa comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“Não há possibilidade de a TAP ir para o Montijo”, Antonoaldo Neves

21-02-2020 (17h07)

O CEO da TAP, Antonoaldo Neves, voltou a garantir que “não há possibilidade” da companhia aérea ir para o Montijo, apesar de considerar “importantíssimo” a sua construção.

Comissão Executiva da TAP “não comenta política de remuneração da empresa”, Antonoaldo Neves

21-02-2020 (16h59)

O CEO da TAP, Antonoaldo Neves, declarou que “não comenta política de remuneração da empresa” que foi trazida para a ‘praça pública’ pelo accionista David Neeleman que o escolheu para liderar a gestão executiva da companhia.

Noticias mais lidas