Turismo europeu para a Dominicana regista nova queda em Maio

28-06-2018 (15h36)

Foto: www.godominicanrepublic.com
Foto: www.godominicanrepublic.com

A Dominicana teve em Maio uma queda das chegadas de turistas europeus em 4,3%, com a qual no conjunto dos primeiros cinco meses do ano tem um decréscimo em 2,4%, que se deve em maior medida às quebras de chegadas da Alemanha e da Rússia.

Dados do Banco Central da Dominicana permitiram ao PressTUR concluir que nos primeiros cinco meses deste ano chegaram à Dominicana 580,4 mil turistas residentes na Europa, menos praticamente 14 mil que no período homólogo de 2017, sobressaindo as quebras de 21,1 mil chegadas da Alemanha (-17,5%, para 99,9 mil) e 10,4 mil da Rússia (-10,4%, para 89,8 mil).

Também com queda expressiva estão as chegadas de Espanha, com -7% ou menos 4,1 mil, para 54,5 mil, Itália, com -2,9% ou menos mil, para 34,9 mil, e Suécia, com -30,6% ou menos 4,3 mil, para 9,7 mil.

A compensar estas quedas estão principalmente França, com um aumento das chegadas em 5,6% ou 6,3 mil, para 120,5 mil, Portugal, com +90,5% ou mais 5,6 mil, para 11,8 mil, Ucrânia, com +116,2% ou mais 4,1 mil, para 7,7 mil, Polónia, com +27,5% ou mais quase três mil, para 13,7 mil, e República Checa, com +95,5% ou mais 1,9 mil, para 3,8 mil.

A evolução negativa das chegadas da Europa tem sido praticamente uma constante desde Janeiro (só em Março, que beneficiou do efeito Páscoa mais cedo, se registou uma subida em 1,7%), mas ainda assim em todos os meses a Dominicana tem registado aumentos das chegadas de não residentes, tendo atingido no fim de Maio um total de 2,85 milhões, +5,9% ou mais 158 mil que no período homólogo de 2017, com +14,4% ou mais 42,3 mil dominicanos residentes no estrangeiro, para 336,7 mil, e +4,8% ou mais 115,6 mil estrangeiros, somando 2,51 milhões.

A maior contribuição para o aumento dos estrangeiros veio dos dois maiores emissores para a Dominicana, os Estados Unidos, com +7,9% ou mais quase 73 mil, somando quase um milhão (999,1 mil), e o Canadá, com +7,1% ou mais cerca de 35 mil, alcançando um total de 530 mil.

Entre os emissores com maiores aumentos de turistas na Dominicana contam-se ainda principalmente a Argentina (+39,5% ou mais 29,1 mil, para 102,6 mil) e o Brasil (+39,6% ou mais 14 mil, para 49,3 mil).

 

Clique para mais notícias: Dominicana

Clique para mais notícias: Caraíbas

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Portugal é o segundo país europeu com maior aumento do número de turistas na Dominicana

18-09-2018 (15h13)

Perto de 30 mil turistas portugueses estiveram já este ano na Dominicana, mais 8,4 mil que nos primeiros oito meses de 2017, no que é o segundo maior aumento da Europa, que é um dos mercados em tendência de queda, que aliás se agravou em Agosto com o decréscimo a atingir 10%.

Hilton associa-se à Playa Hotels para abrir novos resorts all-inclusive nas Caraíbas

17-09-2018 (14h46)

A Hilton criou uma aliança com a Playa Hotels & Resorts para abrir novos resorts de operação em regime de tudo incluído (TI), começando com duas unidades nas Caraíbas e na América Latina.

Iberostar abre novo hotel de luxo em Havana na próxima segunda-feira

06-09-2018 (13h25)

A Iberostar Hotels & Resorts vai abrir um hotel de luxo com 321 quartos em Havana na próxima segunda-feira, dia 10 de Setembro, o Iberostar Grand Packard, localizado num edifício histórico próximo do Capitólio da capital cubana.

Norte-americanos garantem crescimento do turismo internacional na Dominicana

20-08-2018 (15h35)

A Dominicana voltou a ter um crescimento modesto em Julho das chegadas de turistas estrangeiros, porque apesar de aumentos dos seus dois maiores emissores da América do Norte, da Europa continua a registar quebras, principalmente da Alemanha e Espanha

Samaná ‘puxou’ em Julho pelo aumento de turistas portugueses na Dominicana

20-08-2018 (13h18)

Samaná foi o destino da Dominicana que mais ‘puxou’ pelo aumento de turistas residentes em Portugal em Julho, um mês que foi, no entanto, de forte abrandamento do crescimento das chegadas portugueses.