Dominicana sofre queda de 261 mil turistas estrangeiros em 2019

20-01-2020 (19h34)

Imagem: www.godominicanrepublic.com
Imagem: www.godominicanrepublic.com

A República Dominicana, que em 2019 enfrentou um desgaste de imagem pela ocorrência de mortes não explicadas de turistas estrangeiros, nomeadamente residentes nos Estados Unidos, terminou o ano com menos 261 mil turistas estrangeiros (-4,6%) que em 2018.

A quebra de turistas não residentes ficou, ainda assim, em 1,9% ou 122,8 mil, porque o número de dominicanos residentes no estrangeiro aumentou 14,5% ou 138,1 mil.

Assim, de acordo com os dados do Banco Central da República Dominicana, o país recebeu no ano passado 6,44 milhões de turistas não residentes, incluindo 5,357 milhões de estrangeiros e 1,088 milhões de dominicanos residentes fora.

A mesma informação mostra que a quebra de 260,1 mil turistas estrangeiros não residentes deveu-se maioritariamente à quebra do seu maior emissor, os Estados Unidos, de onde recebeu 2,186 milhões de turistas, em quebra de 6,3% ou 148,2 mil em relação a 2018.

A segunda maior quebra foi do conjunto de mercados europeus, de onde teve menos 66,6 mil turistas (-5%) que em 2018, ficando em 1,265 milhões, destacando-se as quebras de chegadas de residentes na Alemanha (-17,4% ou menos 37,6 mil, para 178,9 mil), em Inglaterra (-15,8% ou menos 29,3 mil, para 156,5 mil), em França (-4,5% ou menos 9,8 mil, para 211,1 mil), na Rússia (-4,6% ou menos praticamente dez mil, para 208,9 mil).

Essas quebras, no entanto, foram parcialmente compensadas por aumentos de chegadas de residentes em Espanha (+4,1% ou mais 6,5 mil, para 165,7 mi), na Holanda (+24,2% ou mais 6,5 mil, para 33,7 mil), em Itália (+9,8% ou mais 7,5 mil, para 83,9 mil) e na Ucrânia (+51,2% ou mais 7,8 mil, para 23,2 mil).

Estas subidas, no entanto, ficaram aquém das quedas de outros emissores como a Argentina (-14,9% ou menos 32,6 mil, para 186,4 mil), o Brasil, -17,6% ou menos 22,9 mil, para 107,1 mil) e sobretudo Canadá, tradicionalmente segundo maior emissor (-1,4% ou menos 12,5 mil, para cerca de 892 mil.

Entre os mercados de onde a Dominicana, pelo contrário, teve crescimentos mais significativos contam-se também Porto Rico (+5% ou mais 5,4 mil, para 114 mil), México (+22,3% ou mais nove mil, para 49,4 mil), Haiti (+14,3% ou mais 5,1 mil, para 17,5 mil), e Venezuela (+6,9% ou mais 6,5 mil, para 101,8 mil)

Para ler mais clique:

Dominicana teve menos 11,8% de turistas residentes em Portugal no ano de 2019

 

Clique para mais notícias: República Dominicana

Clique para mais notícias: Caraíbas

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

República Dominicana vai ser o Destino Internacional Convidado da BTL 2020

11-02-2020 (14h08)

A República Dominicana, que recebeu 35.766 turistas portugueses em 2019, menos 11,8% que no ano anterior, é o destino internacional convidado da BTL - Bolsa de Turismo de Lisboa.

Hyatt anuncia hotel em Santo Domingo a partir de 2024

07-02-2020 (14h53)

A Hyatt Hotels vai ter uma terceira unidade hoteleira na República Dominicana, com a construcção do Hyatt Place Santo Domingo Piantini, que tem conclusão prevista para o terceiro trimestre de 2024.

Cuba recebeu mais de 32 mil portugueses em 2019

24-01-2020 (11h59)

O número de turistas portugueses que visitaram Cuba em 2019 aumentou 2% face ao ano anterior, superando os 32 mil visitantes, revelou o novo ministro do Turismo, Juan Carlos García Granda, garantindo que fará o que puder para que mais portugueses visitem o país.

Dominicana teve menos 11,8% de turistas residentes em Portugal no ano de 2019

20-01-2020 (16h39)

A República Dominicana, primeiro destino de férias dos portugueses nas Caraíbas, recebeu 35.766 turistas residentes em Portugal no ano de 2019, de acordo com os dados divulgados pelo seu banco central que, assim, mostram uma quebra em 11,8% ou quase 4,8 mil.

EUA restringem voos para Cuba para cortar receitas do turismo

13-01-2020 (12h07)

Os Estados Unidos restringiram os voos entre o seu território e Cuba, para reduzir as receitas do turismo da ilha, que Havana usa, diz Washington, para apoiar o regime de Nicolas Maduro na Venezuela. Cuba diz que medida viola os direitos humanos.

Noticias mais lidas