Alemães e russos fazem cair turismo europeu nas Caraíbas

16-07-2018 (16h36)

Imagem: www.godominicanrepublic.com
Imagem: www.godominicanrepublic.com

Com menos 41 mil turistas que há um ano, Alemanha e Rússia foram os emissores responsáveis por uma queda no primeiro semestre do número de turistas residentes na Europa na Dominicana, que teve no pólo oposto principalmente os aumentos de turistas residentes em França e Portugal.

Os dados publicados pelo Banco Central da República Dominicana indicam que o país bateu a marca dos três milhões de turistas estrangeiros não residentes no primeiro semestre, com um aumento em 5% ou 144,9 mil, que se ficou a dever essencialmente aos seus dois maiores emissores, os Estados Unido, com mais 94,5 mil (+8,1%, para 1,259 milhões), e o Canadá, com mais 37,6 mil (+7,1%, para 570,3 mil).

Esses dois emissores bastaram para que a Dominicana tivesse crescimento do número de turistas estrangeiros não residentes, para o qual também tiveram contributos significativos a Argentina, com um aumento em 37,7% ou 33,3 mil, para 121,8 mil, e o Brasil, com +41,8% ou mais 17,8 mil, para 60,4 mil.

Mas ‘a destoar’ estiveram as chegadas de residentes na Europa, que baixaram 2,4% ou 16,4 mil, para 677,1 mil, principalmente pelas quebras das chegadas de residentes na Alemanha, em 19,6% ou 27,7 mil, para 113,6 mil, e Rússia em 11,5% ou 13,5 mil, para 104,6 mil, a que se somaram também quedas significativas da Suécia (menos 4,4 mil ou -31,2%, para 9,8 mil) e de Espanha (menos 2,4 mil ou -3,3%, para 70 mil).

Assim, o balanço das chegadas da Europa no primeiro semestre só não foi mais negativo pelos aumentos principalmente de França, maior emissor europeu, com 131,3 mil, e com o maior aumento no semestre, em 8,1 mil (+6,6%) e Portugal, que proporcionou o segundo maior aumento do período, com mais 7,3 mil (+74%, para 17,2 mil).

Os dados do Banco Central da Dominicana mostram que o país teve também aumentos expressivos das chegadas de turistas residentes na Ucrânia (ais 3,8 mil ou +84%, para 8,4 mil), Polónia (mais 3,2 mil ou +26,8%, para 15 mil), e República Checa (mais 2,3 mil ou +107,2%, para 4,5 mil).

 

Para ler mais clique:

Chegadas de turistas portugueses a Punta Cana aumentam 95% no 1º semestre

 

Clique para mais notícias: Dominicana

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Caraíbas

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Chegadas de turistas portugueses à Dominicana ainda têm queda 29,7% no fim de Abril

24-05-2019 (15h40)

O recomeço dos voos directos de Lisboa para Punta Cana proporcionou em Abril o primeiro aumento homólogo mensal este ano das chegadas de turistas residentes em Portugal à Dominicana, mas ainda insuficiente para colmatar a quebra no primeiro trimestre, penalizado em relação a 2018 pela ‘falta da Páscoa’.

Dominicana já leva mais de 13 meses seguidos de quedas das chegadas de turistas da Europa

24-05-2019 (15h38)

A República Dominicana teve uma queda das chegadas de turistas residentes na Europa em 2,6% este Abril, apesar de beneficiar da comparação com um Abril sem Páscoa, e completou assim 13 meses consecutivos de quedas do turismo europeu.

Hi Fly vai voar de Paris para Miami e Punta Cana para a XL Airways France

29-04-2019 (12h27)

A companhia de aviação Hi Fly, ‘sucessora’ da Air Luxor da família Mirpuri, foi contratada pela francesa XL Airways France para voar este Verão de Paris Charles de Gaulle, principal aeroporto francês, para Miami e Punta Cana.

Americanos garantem crescimento do turismo internacional na Dominicana no 1º trimestre

16-04-2019 (14h44)

O crescimento em 12,3% das chegadas dos Estados Unidos, seu primeiro mercado emissor, garantiu à Dominicana um aumento de turistas internacionais no primeiro trimestre, apesar do calendário desfavorável à comparação com 2018.

Turistas portugueses na Dominicana baixam 52% no 1º trimestre

16-04-2019 (14h37)

Sem voos directos para Punta Cana e sem Páscoa no primeiro trimestre, ao contrário do que aconteceu em 2018, o número de turistas portugueses na Dominicana baixou 52% este ano, representando uma queda de 3,1 mil, para 2,9 mil.

Noticias mais lidas