TAP volta a ter a queda mais forte de vendas de bilhetes pelas agências corporate brasileiras

16-05-2019 (23h04)

Foto: TAP Air Portugal
Foto: TAP Air Portugal

A TAP foi a companhia que teve a mais forte quebra do número de bilhetes vendidos pelas agências de viagens corporate brasileiras membros da ABRACORP no primeiro trimestre, com um decréscimo em 28%, que compara com uma quebra média das vendas de voos internacionais pelas suas 29 associadas de 0,6%.

Os dados publicados pela Associação indicam que a TAP, porém, melhorou a tarifa média, que subiu 13,8% no primeiro trimestre, pelo que em valor teve uma quebra menor que em número de bilhetes, ainda assim em 18,1%, para 23,43 milhões de reais (5,24 milhões de euros ao câmbio de hoje).

A Associação indicou que no primeiro trimestre as suas associadas venderam 185.455 bilhetes de voos internacionais, no valor de 661,2 milhões de reais (147,96 milhões de euros)

A empresa com mais bilhetes vendidos foi a LATAM, que é a companhia líder em vendas de voos internacionais e que em finais de 2018 começou a voar entre São Paulo e Lisboa, com 50.193, no valor de 126,49 milhões de reais (28,3 milhões de euros), com aumentos em 49,8% em número de bilhetes e 10,1% em valor.

A segunda companhia mais vendida foi a norte-americana American Airlines, com 19.262 bilhetes e 91,3 milhões de reais (20,4 milhões de euros), com quedas em 20,4% em número de bilhetes e de 6,5% em valor, seguida pela United Airlines, com 10.941 bilhetes vendidos no valor de 73,7 milhões de reais (16,5 milhões de euros), em alta de 1,8% em número de bilhetes e de 19,6% em valor.

Só depois surge o primeiro grupo europeu, o Air France KLM, que a ABRACORP trata como se se tratasse de uma companhia única, com 12.105 bilhetes no valor de 59,1 milhões de reais (13,2 milhões de euros), que representam quedas em 12,6% em número de bilhetes e 8,5% em valor.

A mesma tendência verificou-se com o segundo maior grupo europeu, o grupo Lufthansa, de que a ABRACORP contabiliza em conjunto das vendas da Lufthansa German Airlines e da Swiss, com queda do número de bilhetes vendidos em 16,6%, para 6.533, e do valor de vendas em 14,7% para 42,78 milhões de reais (9,57 milhões de euros).

Igualmente em queda estiveram as vendas do terceiro grupo aéreo europeu do relatório da ABRACORP, o IAG, com as vendas de bilhetes British Airways e Iberia a caírem 21,1%, para 7.058, e o valor a decrescer 15,6%, para 34,86 milhões de reais (7,8 milhões de euros).

O ranking das companhias com vendas de voos internacionais pelas agências ABRACORP inclui ainda da Europa a Alitalia, igualmente em queda como as outras europeias, com -19,6% de bilhetes vendidos, para 2.907, e -12,4% em valor, para 10,55 milhões de reais (2,36 milhões de euros).

Os dados compilados pelo PressTUR evidenciam que já em 2018 a TAP registava as quedas de vendas mais fortes nas agências ABRACORP, tendo registado um decréscimo em 11,5% ou 14,6 milhões de reais (para ler mais clique: TAP foi a companhia de aviação que mais caiu nas vendas das agências corporate brasileiras em 2018).

 

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: ABRACORP

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Brasil

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Avianca Brasil deixa Star Alliance no dia 1 de Setembro

19-08-2019 (16h02)

A companhia aérea Avianca Brasil, que está a atravessar graves problemas financeiros, e já deixou de ser liderada por German Efromovich, vai deixar a Star Alliance no dia 1 de Setembro.

Balanço do LATAM evidencia recuperação ‘explosiva’ da aviação no Brasil

16-08-2019 (16h15)

O LATAM, maior grupo de aviação comercial da América Latina, cuja subsidiária brasileira, a LATAM Brasil (antiga TAM), é líder brasileira em voos internacionais, indicou que no segundo trimestre teve um aumento da receita unitária (por lugar voado um quilómetro) de 18,7%, atingindo 29,5% em reais.

Azul reduz para metade previsão de expansão da capacidade internacional este ano

09-08-2019 (16h24)

A Azul, companhia de aviação brasileira fundada e presidida por David Neeleman, também accionista de referência da TAP, reduziu de 20% - 25% para 10% - 15% a projecção de expansão este ano da capacidade em voos internacionais, de que as ligações com Lisboa e Porto são as únicas para a Europa.

Participação da Azul na TAP voltou a valorizar-se no 2º trimestre

09-08-2019 (14h50)

A companhia de aviação brasileira Azul, que tem o accionista de referência David Neeleman em comum com a TAP, contabilizou no segundo trimestre um ganho com a participação na TAP, revertendo assim a evolução do primeiro trimestre.

Voos da Air Europa de Asunción e Cordoba passam por Recife em Setembro

06-08-2019 (17h43)

Entre 27 de Agosto e 21 de Setembro, os voos da Air Europa de Asunción, Paraguai, e Cordoba, Argentina, para Madrid, Espanha, passam por Recife, capital do estado nordestino brasileiro de Pernambuco.

Noticias mais lidas