TAP e Azul distinguidas nos Airline Strategy Awards da Flight Airline Business

17-07-2018 (13h59)

A TAP e a Azul receberam um prémio na categoria de Finanças nos Airline Strategy Awards da “Flight Airline Business”, cujo júri considerou notável o ‘timing’ do investimento do consórcio Atlantic Gateway na transportadora portuguesa e consideram que será “muito bem sucedido”.

O prémio foi recebido por David Neeleman, fundador da Azul e accionista da TAP através do Atlantic Gateway, e Trey Urbahn, chief strategy officer da TAP, que anteriormente exerceu as mesmas funções na Azul.

Membros do júri dos prémios, citados pela revista “Flight Airline Business”, disseram que o ‘timing’ do investimento do Atlantic Gateway na TAP foi notável, dada a recessão de vários anos que a Azul e outras companhias aéreas brasileiras estavam a atravessar na altura.

“O Brasil tem vindo a atravessar um momento muito difícil, e para a Azul e Neeleman não apenas sobreviverem mas fazerem disso algo positivo – isso merece muito crédito”, disse um dos membros do júri.

Com a nova estrutura, a TAP aumentou a sua quota de mercado em Lisboa para a Europa Continental de 34% para 48%, destaca a “Flight Airline Business”.

Acresce que através da parceria com a Azul, que é a maior companhia brasileira em número de destinos, com mais de uma centena, a TAP também consolidou a sua posição no Atlântico Sul, criando mais de 500 combinações diferentes origem-destino entre o Brasil e a Europa.

Apenas dois anos e meio depois do investimento do consórcio Atlantic Gateway na TAP, a companhia aérea portuguesa “assumiu uma nova vida”, diz a revista, para destacar os lucros de 21,1 milhões de euros em 2017, uma melhoria de 49 milhões face ao prejuízo de 27,7 milhões registados em 2016 (clique para ler: Accionistas da TAP aprovam contas de 2017).

Além disso, a TAP também está a renovar a sua frota com aviões A320neo, A330neo e A321LR.

A revista sublinha que o Atlantic Gateway anunciou pela primeira vez em meados de 2015 um investimento de 348 milhões de euros, com o qual acabou por ficar com 45% da TAP num acordo renegociado com o Governo português.

Esse acordo abriu caminho à parceria com a Azul de David Neeleman, prossegue a “Flight Airline Business”, sublinhando o acordo de code-share entre as duas companhias e o começo dos voos da transportadora brasileira para Lisboa, que chegam a 12 frequências semanais em Dezembro (clique para ler: Azul confirma doze voos por semana entre Viracopos e Lisboa a partir de Dezembro).

A revista sublinha também o papel fundamental de executivos da Azul na transformação da TAP, destacando Trey Urbahn, que era chief strategy officer da brasileira e foi transferido para a TAP, onde desempenha as mesmas funções, e de Antonoaldo Neves, que era presidente da Azul e é actualmente CEO da TAP.

A Azul e a TAP, prossegue a “Flight Airline Business”, deverão aprofundar a sua parceria, designadamente através de uma joint-venture, como já havia indicado Elton D’Souza, chief revenue officer, em finais de Outubro do ano passado (clique para ler: TAP espera aprovação da joint-venture com a Azul “nos próximos meses).

A revista destaca ainda o crescimento da TAP nos Estados Unidos desde o investimento do Atlantic Gateway, e a possibilidade de expansão que David Neeleman considera que a companhia aérea portuguesa terá no mercado norte-americano quando receber os aviões A321LR.

Citado num comunicado enviado pela TAP, David Neeleman considerou que “os que verdadeiramente merecem este prémio são os trabalhadores. Eles são a chave do sucesso da TAP e deste importante reconhecimento internacional, que muito nos honra e ainda mais nos motiva para os importantes desafios que continuamos a enfrentar”.

Os outros vencedores dos Airline Strategy Awards foram Calin Rovinescu, presidente e CEO da Air Canada, na categoria de Liderança Executiva, Dimitrios Gerogiannis, CEO da Aegean Airlines, na categoria de Liderança no Sector, Ajay Singh, chairman e managing director da SpiceJet, na categoria Liderança de Low Cost, Air New Zealand, na categoria de Marketing, Singapore Airlines, na categoria de Estratégia de Rede, e Aengus Kelly, CEO da AerCap, na categoria de Flight Airline Business.

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: Azul

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Brasil

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

W São Paulo abre em 2021 com assinatura de Nini Andrade Silva

16-10-2018 (14h16)

A Marriott International anunciou que vai abrir o seu primeiro hotel de luxo no Brasil em 2021, o W São Paulo, que terá a assinatura da designer portuguesa Nini Andrade Silva.

Voos da LATAM entre Lisboa e São Paulo estão “acima das expectativas” – Thibaud Morand

11-10-2018 (01h23)

Os voos da LATAM Airlines entre Lisboa e São Paulo, que começaram a 3 de Setembro, cinco vezes por semana, estão “acima das expectativas”, com um load factor acima de 85%, disse esta quarta-feira Thibaud Morand, director Comercial da LATAM Airlines para Espanha.

Rota da LATAM entre Lisboa e São Paulo contribui para “mais qualidade de serviço aos nossos clientes” – APAVT

11-10-2018 (01h20)

A entrada da LATAM Airlines nas ligações entre Lisboa e São Paulo, em concorrência com a TAP e a Azul, "vai contribuir para mais qualidade de serviço aos nossos clientes", disse o presidente da APAVT - Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, Pedro Costa Ferreira.

LATAM aumenta capacidade em 8% em Setembro e sofre queda acentuada da ocupação dos voos

10-10-2018 (19h58)

O grupo LATAM, formado pela integração da brasileira TAM na chilena LAN, informou hoje que embora tendo aumentado a sua capacidade (em ASK, lugares x quilómetros voados) em 8% em Setembro, o crescimento do tráfego (em RPK, passageiros x quilómetros voados) ficou em 2,4% o que acarretou uma queda da taxa de ocupação em 4,5 pontos, para 81,9%.

Air France trava aumento da frequência de voos para o Rio de Janeiro

02-10-2018 (13h18)

A companhia de aviação francesa Air France, que integra o grupo de que fazem parte também a KLM, a Transavia e a Joon, já não tem nos sistemas de reservas o aumento da frequência de voos na rota Paris CGD - Rio de Janeiro, mantendo apenas voo diário.