LATAM aumenta capacidade em 8% em Setembro e sofre queda acentuada da ocupação dos voos

10-10-2018 (19h58)

Foto: LATAM
Foto: LATAM

O grupo LATAM, formado pela integração da brasileira TAM na chilena LAN, informou hoje que embora tendo aumentado a sua capacidade (em ASK, lugares x quilómetros voados) em 8% em Setembro, o crescimento do tráfego (em RPK, passageiros x quilómetros voados) ficou em 2,4% o que acarretou uma queda da taxa de ocupação em 4,5 pontos, para 81,9%.

Esta quebra foi comum às operações domésticas e internacionais, mas teve mais intensidade nestas, nas quais se inclui a linha São Paulo - Lisboa da LATAM Brasil, iniciada a 3 de Setembro, com um decréscimo de 5,9 pontos, para 82,5%, por um crescimento do tráfego em 3,9% face a um aumento de capacidade em 11,3%.

A segunda queda de ocupação mais forte foi em voos domésticos no Brasil, operados pela LATAM Brasil, com um decréscimo de 4,3 pontos, para 80,7%, porque apesar de um aumento da capacidade em 5,4% o tráfego nem sequer cresceu.

As linhas domésticas em países de língua espanhola (Chile, Peru, Argentina, Equador e Colômbia), a ocupação também evoluiu em baixa em Setembro, descendo 0,5 pontos, para 81,5%, por crescimento do tráfego em 1% face a um aumento da capacidade em 1,6%.

Com estes resultados no mês de Setembro, a ocupação média dos voos do grupo LATAM nos primeiros nove meses deste ano está em 83,1%, a descer 1,6 pontos, pelas quebras em 2,3 pontos nas linhas internacionais, operadas tanto pela TAM como pela LAN, para 84,8%, e em 1,6 pontos nas linhas domésticas no Brasil, para 80,4%,

Os voos domésticos no Chile, Peru, Argentina, Equador e Colômbia, apesar da queda em Setembro, ainda estão com evolução da ocupação em alta de 0,7 pontos, para 81,9%.

A informação do grupo indica que nestes nove meses somou 50,57 milhões de passageiros, +2,1% ou ais 1,03 milhões que no período homólogo de 2017.

O maior contributo para o crescimento veio dos voos domésticos nos países de língua espanhola, com aumento em 4,1% ou 688 mil, para 17,35 milhões, seguindo as linhas internacionais, com +2,4% ou mais 290 mil.

Os voos domésticos no Brasil tiveram um aumento e passageiros em 0,3% ou 59 mil, para 20,91 milhões, continuando assim a ser o maior mercado do grupo em número de passageiros.

 

Clique para mais notícias: LATAM

Clique para mais noticias: Aviação

Clique para mais notícias: América

Clique para mais notícias: Brasil

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

LATAM passa a voar São Paulo – Madrid com B777 e A350

15-02-2019 (08h59)

A LATAM, que actualmente opera as ligações São Paulo Guarulhos – Madrid com aviões A350-900XWB, vai passar a utilizar também um B777-300ER nessa rota.

LATAM começa 2019 com crescimento ‘curto’ para o aumento de capacidade

12-02-2019 (11h45)

O grupo de aviação LATAM, formado pela integração da brasileira TAM na chilena LAN, indicou hoje que em Janeiro teve crescimento do tráfego em 5,1%, as ainda assim a sua taxa média de ocupação dos voos caiu 0,8 pontos, ficando em 85,5%.

Azul vai ter os novos A330-900neo a voar para Lisboa e Porto a partir de Junho

11-02-2019 (10h42)

A Azul, companhia de aviação brasileira fundada por David Neeleman que também tem capital da TAP, vai ter o seu novo Airbus A330-900neo a voar para Lisboa, que será a rota de estreia de voos comerciais com o novo avião, a 1 de Junho, e para o Porto, um mês depois.

Gastos dos brasileiros em turismo no estrangeiro caíram 738,5 milhões de dólares em 2018

29-01-2019 (14h37)

Os residentes no Brasil, que são dos turistas que mais contribuem para as receitas turísticas portuguesas, reduziram em 738,55 milhões de dólares (171,58 milhões de euros), apesar de no fim do primeiro semestre terem um aumento de 770,8 milhões (179 milhões de euros).

Espanhola NH anuncia que vai gerir hotéis Tivoli do grupo Minor em Portugal e no Brasil

25-01-2019 (10h55)

O grupo hoteleiro espanhol NH Hotel Group, em processo de aquisição pelos tailandeses da Minor, que também compraram os Tivoli em Portugal e no Brasil, anunciou ontem que vai integrar e assumir a gestão destas unidades da marca hoteleira do antigo Grupo Espírito Santo.