LATAM Airlines aumenta lucro operacional em 50,1%, com yield em alta de 6,2%

09-05-2018 (11h30)

Foto: Airbus/A. Doumenjou/master films
Foto: Airbus/A. Doumenjou/master films

O LATAM Airlines, grupo constituído pela integração da companhia de aviação brasileira TAM na chilena LAN, informou hoje que fechou o primeiro trimestre com um aumento do lucro operacional em 50,1%, impulsionado por um aumento da receita unitária em 7% que, por sua vez, reflecte um aumento do yield (preço médio por quilómetro voado) em 6,2%.

A informação indica que esse aumento do yield associado a um crescimento do tráfego medido em ASK (lugares x quilómetros voados) em 3,6% e uma melhoria da taxa média de ocupação dos voos em 0,6 pontos levou a um aumento das receitas de passagens em 10,1%, para 2.318 milhões de dólares, a que se juntou um crescimento em 16,6% das receitas de carga, para 295,8 milhões, proporcionando um aumento das receitas operacionais em 10,2%, para 2.730,5 milhões.

Esse aumento compara com uma subida dos custos operacionais de 7,6%, para 2.502 milhões, o que levou ao aumento em 50,1% do lucro operacional, para 228,5 milhões, que significam uma margem de 8,4%, melhor 2,2 pontos que no período homólogo de 2017.

O balanço mostra que essa contenção dos encargos ocorreu apesar de um agravamento em 20,6% dos encargos com combustíveis, principalmente pela moderação das despesas com pessoal, que baixaram 2%.

O grupo LATAM, especifica a informação teve, assim, um aumento médio do custo unitário (por ASK) em 4,6%, porque excluindo combustível a subida ficou em 0,2%.

Do lado da receita, o balanço indica que o aumento da receita unitária (por ASK) em 7% foi com +9,2% nas rotas internacionais, que representaram 55,1% das receitas de passagens, +6,1% nas rotas domésticas no Brasil, onde obteve 25,7% das receitas de passagens, e 4% nas rotas domésticas em países de língua espanhola (Chile, Peru, Argentina, Colômbia e Equador), que representaram 19,2% das receitas de passagens.

O balanço publicado pelo LATAM indica que além do aumento do resultado operacional em 76,2 milhões de dólares teve uma melhoria do resultado financeiro, nomeadamente pela redução dos encargos com juros, que baixaram 10%, pelo que apresentou um lucro líquido em alta de 43,2%, para 93,8 milhões de dólares, que significam uma margem líquida de 3,4%, melhor 0,8 pontos que há um ano.

 

Clique para mais notícias: LATAM

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Azul cresce 21,5% em Agosto com +43,4% em voos internacionais

12-09-2018 (16h45)

A companhia de aviação brasileira Azul, que ao contrário da sua ‘irmã’ TAP continua a publicar mensalmente dados de desempenho operacional, indicou que em Agosto teve um crescimento do tráfego em RPK (passageiros x quilómetros voados) de 21,5%, ‘puxado’ pelas rotas internacionais, nas quais cresceu 43,4%.

Aigle Azur já tem voos Paris - Pequim

07-09-2018 (15h01)

A Aigle Azur, companhia de aviação francesa maioritariamente detida pelo grupo chinês HNA e por David Neeleman, também accionistas de referência da TAP, iniciou esta semana a rota Paris Orly - Pequim, em Airbus A330-200.

TAP está a oferecer desconto de 50% e milhas a dobrar aos clientes Victoria no Brasil

05-09-2018 (16h49)

A TAP está a promover os seus voos à partida do Brasil com quatro ofertas para membros do programa de fidelização Victoria, que vão de bilhetes prémio com 50% de desconto até à acumulação de milhas a dobrar.

LATAM Airlines celebra inauguração da rota São Paulo – Lisboa (com fotos)

04-09-2018 (17h48)

A LATAM Airlines e a ANA Aeroportos assinalaram a inauguração da rota São Paulo – Lisboa esta segunda-feira, dia 3 de Setembro, baptizando o avião com água das cores da companhia aérea. Veja aqui as fotos.

Brasil perde Museu Nacional no Rio de Janeiro para as chamas

03-09-2018 (13h18)

“Foram perdidos duzentos anos de trabalho, pesquisa e conhecimento”, declarou o Presidente da República do Brasil acerca do incêndio que na noite de Domingo (no Brasil) destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, fundado em 1818 por D. João VI e que detinha mais 20 milhões de peças.