LATAM Airlines aumenta lucro operacional em 50,1%, com yield em alta de 6,2%

09-05-2018 (11h30)

Foto: Airbus/A. Doumenjou/master films
Foto: Airbus/A. Doumenjou/master films

O LATAM Airlines, grupo constituído pela integração da companhia de aviação brasileira TAM na chilena LAN, informou hoje que fechou o primeiro trimestre com um aumento do lucro operacional em 50,1%, impulsionado por um aumento da receita unitária em 7% que, por sua vez, reflecte um aumento do yield (preço médio por quilómetro voado) em 6,2%.

A informação indica que esse aumento do yield associado a um crescimento do tráfego medido em ASK (lugares x quilómetros voados) em 3,6% e uma melhoria da taxa média de ocupação dos voos em 0,6 pontos levou a um aumento das receitas de passagens em 10,1%, para 2.318 milhões de dólares, a que se juntou um crescimento em 16,6% das receitas de carga, para 295,8 milhões, proporcionando um aumento das receitas operacionais em 10,2%, para 2.730,5 milhões.

Esse aumento compara com uma subida dos custos operacionais de 7,6%, para 2.502 milhões, o que levou ao aumento em 50,1% do lucro operacional, para 228,5 milhões, que significam uma margem de 8,4%, melhor 2,2 pontos que no período homólogo de 2017.

O balanço mostra que essa contenção dos encargos ocorreu apesar de um agravamento em 20,6% dos encargos com combustíveis, principalmente pela moderação das despesas com pessoal, que baixaram 2%.

O grupo LATAM, especifica a informação teve, assim, um aumento médio do custo unitário (por ASK) em 4,6%, porque excluindo combustível a subida ficou em 0,2%.

Do lado da receita, o balanço indica que o aumento da receita unitária (por ASK) em 7% foi com +9,2% nas rotas internacionais, que representaram 55,1% das receitas de passagens, +6,1% nas rotas domésticas no Brasil, onde obteve 25,7% das receitas de passagens, e 4% nas rotas domésticas em países de língua espanhola (Chile, Peru, Argentina, Colômbia e Equador), que representaram 19,2% das receitas de passagens.

O balanço publicado pelo LATAM indica que além do aumento do resultado operacional em 76,2 milhões de dólares teve uma melhoria do resultado financeiro, nomeadamente pela redução dos encargos com juros, que baixaram 10%, pelo que apresentou um lucro líquido em alta de 43,2%, para 93,8 milhões de dólares, que significam uma margem líquida de 3,4%, melhor 0,8 pontos que há um ano.

 

Clique para mais notícias: LATAM

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP quer acabar com “dependência” do Brasil através da diversificação de mercados

22-03-2019 (16h42)

A TAP está a trabalhar na diversificação de mercados para acabar com a “dependência” do Brasil, um mercado que representa quase 25% das vendas totais da companhia e que no ano passado teve uma quebra de receitas de 10%, em euros.

Club Med fecha resort na ilha de Itaparica, na Bahia

22-03-2019 (08h32)

O Club Med vai encerrar a 31 de Julho o seu resort na ilha de Itaparica, no estado brasileiro da Bahia, indicando que “já não se encontrava à altura das expectativas e exigências dos nossos clientes”.

Projecto de lei aprovado reduz quartos para pessoas com mobilidade reduzida no Brasil

21-03-2019 (18h25)

O projecto de lei que retira o limite ao investimento estrangeiro em companhias aéreas brasileiras também vai alterar pontos na Política Nacional de Turismo do Brasil, como a redução da percentagem do número de quartos para pessoas com mobilidade reduzida.

Aprovado projecto de lei que retira limite ao investimento estrangeiro nas companhias aéreas brasileiras

21-03-2019 (18h07)

A Câmara de Deputados do Brasil aprovou um projecto de lei que retira o limite de capital estrangeiro em companhias aéreas brasileiras, muito semelhante à Medida Provisória 863 editada em Dezembro de 2018 pelo ex-presidente Michel Temer, que foi preso hoje, 21 de Março, por suspeitas de corrupção.

Brasil isenta de visto turistas dos EUA, Austrália, Canadá e Japão

19-03-2019 (09h18)

O Governo brasileiro aprovou um decreto que dispensa a necessidade de visto de entrada para turistas dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão.