GOL suspende voos em Boeing 737 Max 8 após acidente na Etiópia

12-03-2019 (10h26)

Imagem: Boeing
Imagem: Boeing

A companhia aérea brasileira GOL suspendeu temporariamente o uso dos seus sete aviões Boeing 737 Max 8, utilizados em voos internacionais de longo curso, após o acidente na Etiópia.

"Os clientes com viagens previstas nessas aeronaves serão reacomodados em voos da empresa ou de outras companhias aéreas. A central de atendimento da GOL fará contacto proativo para a realização destes ajustes", avançou a transportadora em comunicado.

A decisão foi partilhada no website da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) brasileira.

"A ANAC tem acompanhado as notícias do acidente que lamentavelmente ocorreu neste final de semana com uma aeronave da empresa Ethiopian Airlines, e mantém contacto com a empresa fabricante da aeronave, com a autoridade que originalmente a certificou, bem como com a GOL para avaliar as medidas que podem vir a serem adotadas", escreveu a agência.

A GOL tem sete aeronaves do modelo 737 Max 8 que operam, maioritariamente, em rotas para os Estados Unidos, América do Sul e Caraíbas.

A queda de um Boeing 737 Max 8 da Ethiopian Airlines no Domingo, quatro meses depois de um acidente semelhante com um avião da Lion Air na Indonésia, levou vários países e companhias a suspenderem os voos com estes aviões.

A autoridade de aviação civil chinesa solicitou às companhias da China que suspendessem os voos do Boeing 737 Max 8 até à confirmação das autoridades norte-americanas e da Boeing "das medidas tomadas para garantir efetivamente a segurança dos voos".

Também a Indonésia, cuja companhia Lion Air perdeu um Boeing 737 Max em 29 de outubro de 2018, com 189 pessoas a bordo, decidiu proibir que os aviões desse modelo voassem no país.

Na Etiópia, após o trágico acidente do voo ET302, no Domingo, em que morreram 157 pessoas, a Ethiopian Airlines decidiu imobilizar toda sua frota de Boeing 737 Max "até novo aviso".

A Boeing entregou quatro aviões à empresa etíope, que encomendou outros 29.

Porém, a maior parte das companhias aéreas continua a explorar os seus Boeing 737 Max 8.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP quer acabar com “dependência” do Brasil através da diversificação de mercados

22-03-2019 (16h42)

A TAP está a trabalhar na diversificação de mercados para acabar com a “dependência” do Brasil, um mercado que representa quase 25% das vendas totais da companhia e que no ano passado teve uma quebra de receitas de 10%, em euros.

Club Med fecha resort na ilha de Itaparica, na Bahia

22-03-2019 (08h32)

O Club Med vai encerrar a 31 de Julho o seu resort na ilha de Itaparica, no estado brasileiro da Bahia, indicando que “já não se encontrava à altura das expectativas e exigências dos nossos clientes”.

Projecto de lei aprovado reduz quartos para pessoas com mobilidade reduzida no Brasil

21-03-2019 (18h25)

O projecto de lei que retira o limite ao investimento estrangeiro em companhias aéreas brasileiras também vai alterar pontos na Política Nacional de Turismo do Brasil, como a redução da percentagem do número de quartos para pessoas com mobilidade reduzida.

Aprovado projecto de lei que retira limite ao investimento estrangeiro nas companhias aéreas brasileiras

21-03-2019 (18h07)

A Câmara de Deputados do Brasil aprovou um projecto de lei que retira o limite de capital estrangeiro em companhias aéreas brasileiras, muito semelhante à Medida Provisória 863 editada em Dezembro de 2018 pelo ex-presidente Michel Temer, que foi preso hoje, 21 de Março, por suspeitas de corrupção.

Brasil isenta de visto turistas dos EUA, Austrália, Canadá e Japão

19-03-2019 (09h18)

O Governo brasileiro aprovou um decreto que dispensa a necessidade de visto de entrada para turistas dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão.