Boeing e Embraer anunciam joint-venture que ‘absorve’ a brasileira

05-07-2018 (16h39)

A fabricantes de aviões Boeing, dos Estados Unidos, e Embraer, do Brasil, anunciaram hoje a criação de uma nova empresa de fabricação de aeronaves comerciais detida em 80% pela norte-americana e "que contempla os negócios e serviços de aviação comercial" da brasileira.

Um comunicado conjunto divulgado aos investidores das duas empresas diz que Boeing e Embraer assinaram um “acordo não vinculativo” para “a formação de uma joint-venture que contempla os negócios e serviços de aviação comercial da Embraer, estrategicamente alinhada com as operações de desenvolvimento comercial, produção, marketing e serviços de suporte da Boeing”.

O mesmo documento informa que a transacção avalia 100% das operações e serviços de aviação comercial da Embraer em 4,75 mil milhões de dólares (cerca de 4 mil milhões de euros) e contempla o pagamento por parte da Boeing do valor de 3,8 mil milhões de dólares (3,2 mil milhões de euros) pelos 80% de propriedade na parceria.

Com a concretização do negócio, a nova empresa irá fabricar e oferecer uma linha de aeronaves de passageiros de 70 a mais de 450 assentos, além de aviões de carga.

Uma vez consumada a transacção, a joint-venture na área de aviação comercial será liderada por uma equipa de executivos sediada no Brasil, incluindo um presidente e CEO.

A Boeing terá o controle operacional e de gestão da nova empresa, que responderá directamente ao presidente, Dennis Muilenburg.

O comunicado diz também que o acordo definitivo para a criação da nova empresa deve ser assinado até ao fim de 2019.

Além da empresa na área de aviação comercial, as duas fabricantes de aeronaves também informaram que vão criar outra área de negócios para promoção de equipamentos de defesa, em especial o avião cargueiro KC-390.

“Os investimentos conjuntos na comercialização global do KC-390, assim como uma série de acordos específicos nas áreas de engenharia, pesquisa e desenvolvimento e cadeia de suprimentos, ampliarão os benefícios mútuos e aumentarão ainda mais a competitividade da Boeing e da Embraer”, esclareceu no mesmo comunicado o vice-presidente executivo Financeiro e de Relações com Investidores da Embraer, Nelson Salgado.

As empresas acrescentaram que a transacção “não terá impacto nas projecções financeiras da Boeing e da Embraer para 2018, bem como na estratégia de implantação de capital e no compromisso da Boeing de retornar cerca de 100 por cento do fluxo de caixa livre para os accionistas”.

Analistas comentaram que se trata da resposta da Boeing e da Embraer à aproximação entre a europeia Airbus e a canadiana Bombardier.

A decisão da Airbus de tomar o controlo da produção dos CSeries pela Bombardier, segundo esses analistas, constituiu uma ‘ameaça’ de concorrência mais forte para a Embraer e, por outro lado, uma ameaça de implantação da Airbus na América do Norte.

(PressTUR com Agência Lusa) 


Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP foi a companhia estrangeira líder em passageiros de/para o Brasil em 2017

14-11-2018 (17h11)

A TAP foi a 3ª maior companhia em passageiros de voos internacionais de/para o Brasil e a primeira entre as estrangeiras, suplantando a maior companhia de aviação do mundo, a American Ailines, dos Estados Unidos, de acordo com o Anuário publicado pela ANAC, autoridade aeronáutica brasileira.

Portugal reforça liderança das ligações aéreas do Brasil com a Europa

14-11-2018 (15h03)

Portugal foi a origem/destino de 29,6% dos passageiros que voaram entre o Brasil e a Europa no ano de 2017, reforçando assim a liderança neste mercado, já que em 2016 a sua quota tinha sido de 24,9%, de acordo com os dados publicados pela autoridade aeronáutica brasileira (ANAC).

Azul contabiliza ganho de 95,8 milhões de reais com títulos da TAP

09-11-2018 (10h10)

A Azul, companhia de aviação brasileira fundada e presidida por David Neeleman, accionista de referência da TAP, contabilizou no terceiro trimestre um ganho de 95,8 milhões de reais (22,4 milhões de euros ao câmbio de hoje), “devido principalmente ao ganho relacionado ao aumento do valor justo do título da TAP”.

Expansão internacional penaliza ocupação média da Azul em Outubro

07-11-2018 (14h50)

A Azul, companhia de aviação brasileira fundada e presidida por David Neeleman, também accionista de referência da TAP, indicou que alcançou em Outubro um crescimento médio do tráfego de passageiros em 16,6%, mas ainda assim teve uma ligeira descida da taxa média de ocupação dos voos, que baixou 0,5 pontos, para 82,4%.

TAAG já está com mais voos Luanda - São Paulo

07-11-2018 (13h14)

A companhia de aviação angolana TAAG já está com sete voos por semana entre Luanda e São Paulo, com a introdução de voos de Luanda às quartas e sextas-feiras (DT749) em Boeing 777-200ER.