Avianca Brasil forçada a suspender voos

27-05-2019 (17h57)

Imagem: Avianca
Imagem: Avianca

A autoridade brasileira da aviação ANAC anunciou que decidiu suspender a totalidade das operações da companhia aérea Avianca Brasil, do grupo de Efromovich, para “garantir a segurança dos passageiros”, segundo informa no seu website.

“Com a medida, estão suspensos todos os voos até que a empresa comprove capacidade operacional para manter as operações com segurança. A decisão foi tomada com base em informações prestadas à área responsável pela segurança operacional da agência”, diz a ANAC na sua página na internet.

Aos passageiros com voos marcados para os próximos dias, a ANAC recomenda que entrem em contacto com a companhia aérea, evitando deslocações aos aeroportos até que novas informações sejam divulgadas.

Com a suspensão de actividades decretada, a Avianca continua, contudo, obrigada a cumprir integralmente a legislação que prevê a oferta de opções aos passageiros, como o reembolso e colocação noutro voo.

“Em caso de cancelamento ou de alteração do voo causado pela Avianca, o passageiro deve ter os seus direitos respeitados, que estão disponíveis para consulta no portal da ANAC na internet ou na página 'Passageiro Digital'”, informou a agência.

A Avianca Brasil, quarta maior companhia aérea do país, está em protecção de credores desde Dezembro passado e há dias a IATA suspendeu a sua participação no BSP (clique para ler: Avianca Brasil suspensa do BSP).

A sua situação agravou-se especialmente com a obrigação de dever aviões aos respectivos proprietários por falta de pagamentos dos alugueres.

A companhia aérea brasileira, que acumula dívidas de mais de 1.000 milhões de reais (cerca de 225 milhões de euros) e enfrenta várias acções nos tribunais, aceitou a Lei de Falências para reestruturar a dívida e garantir a continuidade das suas operações.

Anteriormente denominada OceanAir, a Avianca Brasil opera voos regulares desde 2002 e em Janeiro passado anunciou o corte de alguns dos seus voos internacionais.

Apesar das dificuldades que atravessa e de registar quebras, a Avianca Brasil transportou 3,125 milhões de passageiros em voos domésticos no Brasil e 129,2 mil em voos internacionais.

Relativamente ao primeiro quadrimestre de 2018, a companhia teve quebras de passageiros em 19,8% no mercado doméstico e em 23,7% em voos internacionais.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Avianca

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Brasil

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Justiça brasileira rejeita pedido de falência da Avianca Brasil

11-09-2019 (13h47)

O Tribunal de Justiça de São Paulo rejeitou o pedido de falência da companhia de aviação Avianca Brasil, do grupo dos irmãos Efromovich, e manteve o plano de recuperação judicial a decorrer desde Dezembro.

Virgin Atlantic já abriu reservas para voos Londres Heathrow – São Paulo Guarulhos

10-09-2019 (11h43)

A Virgin Atlantic, companhia fundada em 1984 que actua em parceria com a norte-americana Delta Air Lines e o grupo franco holandês Air France KLM, já abriu as reservas para os voos Londres Heathrow - São Paulo Guarulhos que iniciará a 20 de Março em Boeing B787-9 Dreamliner.

Azul lança tarifas sem bagagem para Portugal e Estados Unidos

04-09-2019 (12h03)

A companhia de aviação brasileira Azul lançou novas famílias tarifárias para os seus voos para Portugal e Estados Unidos, incluindo uma tarifa sem transporte de bagagem de porão incluído.

Voos com os EUA e com o Brasil tiveram os maiores aumentos de passageiros em Lisboa em Julho

26-08-2019 (16h34)

Os voos com os Estados Unidos e com o Brasil foram os que mais fizeram crescer o Aeroporto de Lisboa este Julho, um mês em que tradicionalmente as rotas intra-europeias ganham mais preponderância por se estar em plena época alta do turismo no Hemisfério Norte e designadamente na Europa.

Brasil anuncia mobilização de militares para combater incêndios na Amazónia

24-08-2019 (17h44)

As autoridades brasileiras, sob generalizada crítica internacional pela inacção em relação aos incêndios que estão a devastara a floresta amazónica, disseram hoje que estão disponíveis aviões militares e 44 mil soldados para combater esses incêndios.

Noticias mais lidas