Turismo internacional na Tailândia cresce 7,5% até Novembro

27-12-2018 (13h21)

O Ministério tailandês do Turismo e Desporto anunciou que o país chegou ao fim de Novembro com 34,4 milhões de visitantes estrangeiros, com um aumento em 7,5% face ao período homólogo de 2017, destacando-se os aumentos das chegadas da China, Malásia, Índia, Rússia e Vietname.

A vizinha China foi a origem de 28% dos visitantes estrangeiros recebidos pela Tailândia até Novembro, num total de 9,69 milhões, que representa um aumento ligeiramente acima da média, em 7,86%.

A Malásia, segundo maior emissor, com 3,57 milhões de chegadas à Tailândia, teve o aumento mais forte do Top10 das origens, com uma subida em 15,5%.

O segundo aumento mais forte no Top10 foi das chegadas da Índia, em 12%, para 1,43 milhões, e com aumentos a dois dígitos estiveram também a Rússia, com +10,3%, para 1,267 milhões, e o Vietname, com +10,2%, para 956,6 mil.

Os outros emissores do Top10 até Novembro são a Coreia, com 1,62 milhões de chegadas à Tailândia (4,7% que no período homólogo de 2017), Laos, com 1,59 milhões (+4,5%), Japão, com 1,5 milhões (+6,8%), Estados Unidos, com 993,6 mil (+6,4%), e Singapura, com 934,5 mil (+3,7%).

A informação do Ministério tailandês indica ainda que o país recebeu até Novembro de 5,9 milhões de turistas residentes na Europa, com um aumento em 4% relativamente ao período homólogo de 2017.

O maior emissor europeu é a Rússia, à frente do Reino Unido, com 877,5 mil chegadas, Alemanha, com 789,1 mil, e França, com 677,5 mil.

A informação especifica ainda os aumentos das chegadas de residentes na Europa Leste, em 9,2%, bem como da Áustria, em 12,1%, Holanda, em 6,4%, Itália, em 6,2%, Dinamarca, em 4,2%, Finlândia, em 2,2%, Bélgica, em 1,8%, e Espanha, em 1,3%.

As chegadas do continente americano, por sua vez, têm um aumento em 3,7%, para 1,4 milhões.

Os Estados Unidos são o maior emissor, seguindo-se o Canadá com 245,2 mil, +7,2% que há um ano.

O Ministério tailandês realça que os dados até Novembro, inclusive, mostram crescimento de todas as regiões, à excepção de Médio Oriente e Oceânia.

A principal região emissora é a Ásia do Leste, com 23,6 milhões e um aumento médio em 9,2%, à frente da Europa (5,9 milhões) e Américas (1,4 milhões), Ásia do Sul, com 1,77 milhões (11,3%), Oceânia, com 838,7 mil (-1,4%), Médio Oriente, com 683,4 mil (-6,2%), e África, com 174,5 mil (+9,6%).

 

Clique para mais notícias: Tailândia

Clique para mais notícias: Ásia&Pacífico

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Turkish Airlines programa aumentar capacidade para o Vietname no Verão de 2020

14-06-2019 (14h55)

A companhia de aviação turca Turkish Airlines, que tem voos de Lisboa e do Porto para Istambul, tem programado um aumento de capacidade entre o seu hub e os aeroportos vietnamitas de Hanói e Ho Chi Minh City.

KLM vai ter voo diário para Mumbai a partir de final de Outubro

03-06-2019 (16h25)

A companhia de aviação holandesa KLM, do mesmo grupo que a Air France e a Transavia, vai reforçar a oferta de voos entre o seu hub em Amesterdão Schiphol e Mumbai (designação oficial de Bombaim), maior cidade da Índia, a partir de 27 de Outubro, início do chamado Inverno IATA.

Hotéis 5-estrelas de Macau fecham primeiro quadrimestre com ocupação média de 92,1%

30-05-2019 (14h20)

Os hotéis 5-estrelas de Macau, que são a categoria com maior oferta de quartos no território, com 24 mil, alcançaram nos primeiros quatro meses do ano uma taxa média de ocupação de 92,1%, acima do período homólogo de 2018 em 0,4 pontos.

Tailândia recebeu mais de 18 mil portugueses nos primeiros quatro meses do ano

28-05-2019 (14h25)

A Tailândia recebeu 18.243 turistas portugueses nos primeiros quatro meses do ano, mais 1.303 ou mais 7,7% que no período homólogo do ano passado.

China Eastern vai voar para Madrid em Airbus A350-900XWB

28-05-2019 (13h19)

A companhia de aviação chinesa China Eastern, membro da Sky Team, vai ter a maior versão dos Airbus A350, o A350-900XWB, a voar para Madrid do seu principal hub, o aeroporto de Xangai Pu Dong, e de Xi’An a partir de 27 de Junho.

Noticias mais lidas