Portugal está entre os mercados emissores em maior expansão na Índia

14-03-2018 (12h34)

Bala Kiran, Nandini Singla, Pedro Costa Ferreira e Alankar Chandra
Bala Kiran, Nandini Singla, Pedro Costa Ferreira e Alankar Chandra

O número de portugueses a visitar a Índia cresceu mais de 20% em 2015 e em 2016, e só em Janeiro deste ano foram registados mais de dois mil pedidos de vistos para visitar o país, disse ao PressTUR a Embaixadora da Índia em Portugal, Nandini Singla.

Em Janeiro deste ano foram recebidos mais de 1.700 pedidos de vistos electrónicos para portugueses visitarem a Índia, além de cerca de 370 pedidos feitos na Embaixada, disse ao PressTUR Nandini Singla.

Dados do Ministério de Turismo da Índia recolhidos pelo PressTUR mostram que em 2015 visitaram a Índia 44.616 portugueses, mais 8.460 ou mais 23,4% que em 2014.

Em 2016, último ano com dados disponibilizados pelo Ministério indiano, o número de portugueses a visitar a Índia ascendeu a 54.439, mais 9.823 ou mais 22% que no ano anterior.

Portugal teve assim o 2º maior aumento do número de turistas na Índia entre os mercados europeus em 2016, ficando atrás apenas da Rússia, que cresceu 32,09%, para 22,8 mil turistas.

A nível global, Portugal teve o 6º maior crescimento, depois da Rússia, da Argentina (+31,62%, para 12,3 mil), do Irão (+27,33%, para 39,2 mil), do Sudão (+24,72%, para 17 mil), e do Bahrain (+24,04%, para 17,4 mil).

O Bangladesh foi o principal mercado emissor de turistas para Índia em 2016, com 1,38 milhões de visitantes, seguido pelos Estados Unidos, com 1,3 milhões, e pelo Reino Unido, com cerca de 940 mil.

A Índia recebeu 8,8 milhões de turistas estrangeiros em 2016, mais 7% que no ano anterior.

Contando com o turismo interno, que cresceu 16% em 2016, a Índia somou 14,6 milhões de turistas nesse ano, mais 9,7% que em 2015.

O sistema electrónico de vistos (ETV), que permite pedir o visto online, está a facilitar a visita de portugueses à Índia, declarou a Embaixadora, sublinhando que os vistos podem ser pedidos com quatro meses de antecedência e podem ser atribuídos em dois dias.

“O que falta é haver voos directos entre Portugal e Índia”, enfatizou Nandini Singla, ao falar para uma plateia de agentes de viagens e operadores turísticos no Hotel Sana Lisboa, esta terça-feira.

O evento de apresentação da Índia a profissionais de turismo, que também teve uma sessão no Porto, na segunda-feira, foi organizado em parceria com a APAVT.

Em Lisboa cerca de uma centena de profissionais assistiram a uma apresentação sobre o estado de Querala, realizada pelo director de Turismo do estado, Bala Kiran, e a uma apresentação do operador Wild Voyager especializado em viagens para apreciar a vida selvagem, feita pelo director da empresa, Alankar Chandra.


Ver também:

Embaixadora da Índia pede Congresso da APAVT em Goa


Clique para mais notícias: Índia

Clique para mais notícias: APAVT

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Tufão obriga a cancelamento de mais de 100 voos em Tóquio

08-08-2018 (12h30)

Mais de 100 voos foram hoje cancelados em dois dos principais aeroportos de Tóquio, devido à aproximação de um tufão da capital japonesa e com a chuva a começar a fustigar a cidade.

Aeroporto de Macau atinge recorde mensal de passageiros em Julho

02-08-2018 (14h01)

O Aeroporto Internacional de Macau anunciou hoje em comunicado que em Julho atingiu novos recordes, com 5,7 mil voos e 740 mil passageiros.

Casinos de Macau completam 24 meses seguidos de recuperação das receitas de jogo

01-08-2018 (15h41)

Os Casinos de Macau, que são a maior indústria de jogo a nível mundial, tiveram em Julho o 24º mês consecutivo de aumento das receitas brutas de jogo, com uma subida face a 2017 em 10,3% ou 2.363 milhões de patacas (292,3 milhões de euros), ficando, no entanto, ainda 4.158 milhões de patacas (514,3milhões de euros), abaixo de Julho de 2012.

Hotelaria de Macau recebeu mais de 6,8 milhões de hóspedes no primeiro semestre

30-07-2018 (10h31)

Os hotéis e pensões de Macau receberam mais de 6,8 milhões de hóspedes no primeiro semestre, mais 7,8% que no período homólogo de 2017, indicam dados oficiais hoje divulgados.

Primeiro ano dos voos Lisboa – Pequim garante perspectiva de “crescimento futuro” – Beijing Capital Airlines

26-07-2018 (12h12)

A Beijing Capital Airlines anunciou que transportou mais de 80 mil passageiros no primeiro ano de operação da rota Lisboa – Pequim, com 80% de ocupação na época baixa e 95% na época alta, o que é uma “garantia de uma perspectiva positiva de crescimento futuro”.