Portugal e Macau assinam acordo para formação turística de alunos asiáticos

14-05-2019 (15h31)

Foto: Helloquence / Unsplash
Foto: Helloquence / Unsplash

Portugal e Macau assinaram hoje um acordo na área da formação turística que vai levar à instalação no Estoril de um pólo do Instituto de Formação Turística de Macau (IFT), disse à Lusa a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

Antes da assinatura do acordo, esta manhã no Estoril, no local onde ficára sediado o novo espaço do IFT, Ana Mendes Godinho disse à Lusa que o novo pólo servirá para a “formação de recursos humanos na área do Turismo, principalmente recursos humanos asiáticos, que vão passar a ter ali um espaço para formação e para articulação e desenvolvimento de estágios também aqui em Portugal, nomeadamente junto dos hotéis portugueses”.

Ana Mendes Godinho acredita que este acordo vai funcionar "como porta de entrada para o mercado asiático".

"No fundo Macau aqui também um bocadinho como porta de entrada para o mercado asiático, para recursos humanos na área de turismo na China, mas também Portugal, como uma porta de entrada para Macau e para a China, para a formação de ativos e de recursos humanos na área de Turismo", sublinhou a governante.

Este protocolo de cooperação entre Portugal e Macau integra um programa de internacionalização das escolas de Turismo portuguesas para vários países.

"Temos estado a trabalhar com bastantes países da CPLP [Comunidade de Países de Língua Portuguesa], e Macau é aqui mais um parceiro essencial nesta nossa internacionalização, garantindo que passamos a ter ligação a vários continentes", reforçou Ana Mendes Godinho.

A secretária de Estado do Turismo acredita que o acordo pode permitir "afirmar Portugal" como um espaço europeu que "se está também a capacitar e a especializar recursos humanos (...) com capacidade para acolher o mercado asiático".

"A formação de recursos humanos, na área de turismo, chineses, em Portugal permite-nos também aqui afirmar Portugal como um espaço dentro da União Europeia que se está também a capacitar e a especializar recursos humanos na área de turismo também aqui com capacidade para acolher o mercado asiático, e portanto também aqui assumirmo-nos nós como um centro de formação turística de excelência internacional, preparando e capacitando recursos humanos para lidar com os novos mercados", concluiu Ana Mendes Godinho.

Entre 2015 e 2018, o número de alunos estrangeiros nas escolas de Turismo em Portugal aumentou de 116 para 179, um aumento de 54,3%, segundo dados apresentados à Lusa pelo gabinete da secretária de Estado do Turismo.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Macau

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Embraer apresenta novo avião em Macau para conquistar mercado asiático

12-07-2019 (13h52)

A Embraer, líder no segmento de aeronaves para voos regionais, apresentou em Macau o novo avião “TechLion”, mais eficiente e silencioso, com o qual pretende reforçar a presença no mercado asiático.

Aeroporto de Macau cresce 18% no primeiro semestre e atinge novos recordes

05-07-2019 (12h25)

O Aeroporto Internacional de Macau somou o recorde de 4,72 milhões de passageiros e 37 mil descolagens e aterragens no primeiro semestre deste ano, representando aumentos em 18% e 19%, respectivamente.

Macau passa a ter voos para Enshi

02-07-2019 (14h31)

Macau tem desde esta semana voos para Enshi, cidade sede de Enshi Tujia e Prefeitura Autónoma Miao, na província ocidental de Hubei, na República Popular da China, com a Zhejiang Loong Airlines (Loong Air).

Xi’an tem um novo hotel de luxo Ritz-Carlton

01-07-2019 (15h18)

A cidade de Xi'an, que terá voos de Lisboa a partir de 30 de Agosto, operados pela Beijing Capital Airlines, tem um novo hotel de luxo da cadeia The Ritz-Carlton, com 252 quartos e 31 suites.

Casinos de Macau voltaram a recuperar em Junho apesar da instabilidade em Hong Kong

01-07-2019 (15h00)

Os Casinos de Macau voltaram a ter aumento de receita de jogo em Macau, em 5,9%, depois de 1,8% em Maio, apesar da instabilidade em Hong Kong, com manifestações de rua gigantescas contra nova legislação que admite extradição para a China, e da crise das tarifas entre a China e os Estados Unidos.

Noticias mais lidas