OMT prevê abrandamento do crescimento do turismo internacional este semestre

11-10-2018 (12h41)

Europa e Ásia e Pacífico lideraram crescimento na primeira metade do ano

A Organização Mundial do Turismo (OMT) prevê que o crescimento do turismo internacional, que estimou em 6% no primeiro semestre, abrande na segunda metade do ano, embora mantenha a perspectiva de "um forte impulso" este ano.

"Tendo em conta este sólido primeiro semestre, as perspectivas de crescimento para o resto de 2018 mantêm-se positivas em termos gerais, ainda que a um ritmo mais lento, segundo a última sondagem do índice de confiança da OMT", informou a agência das Nações Unidas para o turismo.

A organização especificou que "o índice para o período de Maio a Agosto, assim como as expectativas de Setembro a Dezembro, são algo menores que o valor do índice para os meses de Janeiro a Abril".

Segundo a OMT o turismo internacional cresceu 6% a nível mundial no primeiro semestre, com a Europa e a Ásia e Pacífico a liderarem com aumentos de 7%, seguidas pelo Médio Oriente, com 5%, África, com 4%, e Américas, com 3%.

Os dados divulgados pela OMT mostram que o crescimento do turismo internacional mais forte na Europa foi impulsionado principalmente pela evolução na Europa do Sul e Mediterrâneo, onde inclui Portugal, que é a região que recebe mais turistas, com 267,5 milhões em 2017, e a que tem o crescimento mais forte, com +8,7% no primeiro semestre, nomeadamente pelos aumentos acima de 9% em Maio (9,5%) e Junho (9,2%).

A região com o crescimento mais forte na primeira metade do ano foi no entanto o Sudeste Asiático, com um aumento em 9,4%, neste caso principalmente pelo aumento em 11,3% no primeiro trimestre.

O boletim publicado pela OMT especifica que o crescimento médio do turismo internacional na Ásia e Pacífico no primeiro semestre foi de 7,4%, acima dos 6,8% verificados na Europa, cuja média foi penalizada pelos 0,9% na Europa do Norte, uma vez que a Europa Ocidental teve um aumento em 6,7%, a Europa Central e do Leste teve +7% e a Europa do Sul e Mediterrânica teve +8,7%.

Para as Américas, a OMT indicou um crescimento médio em 3,3% no primeiro semestre, penalizado pelas quebras de 9,4% nas Caraíbas e 0,4% na América Central e suportado pelos aumento de 5,3% na América do Norte e 7,4% na América do Sul.

Relativamente a África, os dados da OMT indicam que o aumento médio no semestre em 4% foi ‘puxado' pela subida em 6,9% no Norte de África, enquanto na África Subsahariana o crescimento foi de 2,7%.

 

Clique para mais notícias: OMT

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Club Med garante que vai compensar clientes por surto de gastroenterite em resort na China

13-02-2019 (12h36)

O Club Med, grupo considerado pioneiro do regime all inclusive, detido desde 2015 pelo grupo chinês Fosun, garantiu que vai compensar os clientes do seu resort na estância de esqui Yabuli, Nordeste da China, afectados por um surto de gastroenterite.


Turismo de Macau celebra em Portugal a chegada do Ano Novo Chinês

11-02-2019 (12h08)

O Turismo de Macau deu início às festividades em Portugal do Ano Novo Chinês, reunindo parceiros num evento no Casino Estoril e contou com a presença do seu secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam.

Macau recebe mais de 1,2 milhões de visitantes pelo Ano Novo Chinês

11-02-2019 (11h20)

Mais de 1,2 milhões de visitantes entraram em Macau na semana do Ano Novo Chinês, o que representa um aumento de 26,6% em relação ao ano passado, informaram hoje as autoridades.

Hotéis 5-estrelas de Macau receberam 7,9 milhões de hóspedes em 2018

30-01-2019 (07h56)

Os hotéis de topo de gama de Macau, que são a categoria de alojamento com mais capacidade no território, tiveram um aumento médio do número de hóspedes em 2018 de 11,6% e somaram um total de 7,883 milhões.

Chegadas de turistas às Filipinas atingem novo recorde em 2018

29-01-2019 (17h40)

As Filipinas receberam 7,127 milhões de turistas em 2018, um novo recorde anual, apesar do encerramento da ilha de Boracay durante seis meses devido à massificação turística.