Hotéis 5-estrelas de Macau atingem taxa média de ocupação de 92,1% de Janeiro a Novembro de 2018

02-01-2019 (16h35)

Os hotéis de topo de gama de Macau tiveram em média 92,1% dos quartos ocupados de Janeiro a Novembro de 2018, mais cinco pontos que no período homólogo de 2017.

A informação divulgada pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos de Macau indica que a subida da ocupação dos hotéis 5-estrelas do território reflecte um aumento do número de clientes alojados em 12% ou 769,4mil, atingindo o total de 7,18 milhões, bem como uma subida da estada média em cerca de 6%, para 1,7 noites.

De acordo com os mesmos dados, a melhoria da ocupação dos hotéis de Macau é a tendência dominante nos primeiros onze meses de 2018, com o conjunto das unidades a ter um aumento médio em 4,2 pontos, para 91,3%, pelo aumento do número de hóspedes em 7,3% ou 866,2 mil, para 12,6 milhões, e manutenção da estada média em 1,5 noites.

Esta evolução foi em grande parte determinada pelos 5-estrelas que são as unidades com mais oferta no mercado, com 24,5 mil quartos em 35 hotéis, quando a oferta total de hotéis é de 38,1 mil quartos em 82 unidades.

Os 4-estrelas, que são a segunda categoria com mais capacidade (7,7 mil quartos em 17 hotéis), atingiram uma taxa de ocupação média de 91,1% de Janeiro a Novembro de 2018, em alta de 2,2 pontos, e os 3-estrelas, de que Macau contava em Novembro com cinco mil quartos em 16 unidades tiveram um aumento da ocupação em 5,4 pontos, para 91%.

Os 4-estrelas registaram até Novembro, inclusive, um aumento do número de hóspedes em 0,3% ou cerca de dez mil, somando 3,31 milhões, mas um decréscimo da estada média em cerca de 7%, para 1,2 noites, e os 3-estrelas tiveram um aumento do número de hóspedes em 1,2% ou 21,6 mil, para 1,8 milhões, e um decréscimo da estada média em cerca de 7%, para 1,3 noites.

Os hotéis de 2-estrelas, de que Macau contava 14 com cerca de 900 mil quartos em Novembro, são a única categoria a ter descida da taxa de ocupação nos onze meses até Novembro de 2018, com -2,5 pontos, para 72,2%, apesar de um aumento do número de hóspedes em 24,2% ou cerca de 65 mil, para 333,6 mil, e manutenção da estada média em 1,2 noites, porque têm um aumento do número de quartos disponíveis em 9,8%.

 

Clique para mais notícias: Macau

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Ásia&Pacífico

 

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Macau quer atrair mais convenções, congressos e exposições

17-01-2019 (14h07)

O Governo de Macau pretende tornar o território mais competitivo na atracção de mais convenções, congressos e exposições, o segmento MICE, apesar das melhorias neste sector nos últimos anos, anunciou hoje o secretário para a Economia e Finanças daquela região.

TAP prevê ter “em breve” voos em code-share Lisboa – Pequim, via Xi’an, diz Miguel Frasquilho

15-01-2019 (17h17)

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, disse hoje que a companhia prevê ter “em breve”, previsivelmente “em Fevereiro ou Março”, um acordo de code-share com a Beijing Capital Airlines para vender os seus voos entre Lisboa e Pequim, via Xi’An.

Finnair vai voar de Helsínquia para Sapporo e Punta Cana

15-01-2019 (15h09)

A Finnair, que voa para Lisboa e tem programado voar também para o Porto no próximo Verão a partir de Helsínquia, vai inaugurar em Dezembro duas novas rotas de e para a capital finlandesa, nomeadamente Sapporo e Punta Cana.

Aeroporto Internacional de Macau quer reduzir as emissões de CO2 em 30% até 2028

15-01-2019 (14h38)

O Aeroporto Internacional de Macau anunciou hoje a intenção de reduzir as emissões de dióxido de carbono (CO2) em 30% por movimento até 2028.

Aeroporto de Macau prevê fechar receitas de 2018 acima de 540 milhões de euros

10-01-2019 (16h03)

O aeroporto internacional de Macau (MIA) indicou esperar receitas superiores a cinco mil milhões de patacas (cerca de 540 milhões de euros) em 2018, ano em que bateu o recorde do número de passageiros.