Governo de Macau quer diversificar atracções para distribuir turistas pelo território

09-04-2019 (13h18)

A directora dos Serviços de Turismo de Macau, Maria Helena de Senna Fernandes, defendeu hoje a oferta de mais atracções e locais de interesse para distribuir os turistas e aliviar a pressão sentida em algumas zonas do território.

“O nosso problema em capacidade de acolhimento é que [o turismo] não é distribuído. (...) Temos de providenciar mais possibilidades, mais atracções”, afirmou Helena de Senna Fernandes, em declarações aos jornalistas.

Macau, um território com pouco mais de 35 quilómetros quadrados, recebeu em 2018 mais de 35 milhões de turistas, um número que já não está longe do 'tecto máximo' de 40 milhões de turistas por ano, segundo o Instituto de Formação Turística (IFT).

Para a directora dos Serviços de Turismo, “há muitas áreas que estão a sentir esta pressão”, pelo que a estratégia passa por “distribuir os turistas por diferentes espaços”.

Além disso, “não entram no território o mesmo número de pessoas todos os dias”, frisou.

A capacidade diária de acolhimento é de 11.000 turistas, mas “há dias em que entram menos pessoas e outros períodos em que entram muitas mais”, referindo-se, por exemplo, à semana do Ano Novo Chinês, período em que Macau recebeu este ano mais de 1,2 milhões de pessoas.

Questionada sobre outras formas de limitar o número de visitantes, Senna Fernandes salientou que o território “não é um parque temático", por isso há que pensar em "diferentes maneiras" de combater o problema.

A aplicação de uma taxa turística, que está a ser estudada pelo Governo, não é, no entanto, a solução para limitar o número de entradas, defendeu.

Em entrevista à agência Lusa, em finais de Março, Senna Fernandes avançou que o Governo está a realizar “um estudo de comparação em termos das taxas que estão a ser impostas, por exemplo, por Veneza, (…) e pelo Japão”.

Os resultados deste estudo deverão ser divulgados ainda no primeiro semestre, afirmou hoje.

“Queremos apresentar os resultados o quanto antes. Não queremos deixar o assunto marinar muito tempo”, disse a responsável, sublinhando que a decisão final não cabe aos Serviços de Turismo.

O turismo da região cresceu 211% entre 1999 e 2018, passando de 11,5 para 35,8 milhões de pessoas, segundo as autoridades.

Os chineses constituem a esmagadora maioria dos 35 milhões de turistas que visitaram Macau em 2018.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Macau

Clique para ver mais: Ásia&Pacífico

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Novo balanço dos ataques no Sri Lanka aponta para 359 mortos

24-04-2019 (10h14)

O número de mortos nos atentados suicidas no Domingo de Páscoa no Sri Lanka subiu para 359 e mais suspeitos foram detidos nas últimas horas, informou hoje a polícia.

Macau recebeu mais 21,2% de visitantes no primeiro trimestre

23-04-2019 (10h12)

Macau recebeu mais de 10,3 milhões de visitantes nos primeiros três meses deste ano, o que corresponde a um aumento de 21,2% em relação ao período homólogo do ano passado, segundo dados oficiais divulgados hoje.

Confirmadas mais duas explosões no Sri Lanka

21-04-2019 (11h26)

O ministro da Defesa do Sri Lanka, Ruwan Wijewardene, confirmou à imprensa que ocorreram mais duas explosões no país, nas áreas de Dehiwela e Dematagoda.

Atentados matam 156 no Sri Lanka um deles um turista português

21-04-2019 (10h18)

Atentados bombistas hoje de manhã contra três igrejas e três hotéis no Sri Lanka provocaram 156 mortos, entre os quais 35 estrangeiros, sendo um português, segundo informação da cônsul de Portugal em Colombo, Preenie Pine.

Aeroporto de Hong Kong contrata Travelport promoção da conectividade multi-modal

18-04-2019 (11h37)

A multinacional tecnológica para o turismo e transportes Travelport anunciou ter assinado um acordo para promover os serviços de conectividade multi-modal do Aeroporto Internacional de Hong Kong (HKIA) junto de viajantes da Ásia, Europa e América do Norte.