Acordos entre Macau e Portugal podem ser alargados à Grande Baía

15-05-2019 (14h34)

O Governo de Macau anunciou que os acordos assinados com Portugal nas vertentes da educação, formação e turismo, poderão ser alargados às cidades da Grande Baía, onde vivem cerca de 70 milhões de pessoas.

Os acordos assinados na terça-feira, entre a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, e o secretário para os Assuntos Sociais de Macau, Alexis Tam, “visa promover o desenvolvimento conjunto de acções de formação e programas de graduação dupla, além de estimular a participação recíproca em workshops, seminários, conferências, reuniões, colóquios, estudos e outros projetos de interesse comum”, anunciaram hoje as autoridades de Macau em comunicado.

Estes programas conjuntos poderão “ser abertos a estudantes de toda a Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau”, indica a nota de imprensa.

A Grande Baía é o projecto de Pequim para criar uma metrópole mundial que junta as regiões administrativas especiais de Macau e de Hong Kong e nove cidades chinesas da província de Guangdong (Dongguan, Foshan, Cantão, Huizhou, Jiangmen, Shenzhen, Zhaoqing, Zhongshan e Zhuhai), numa região com cerca de 70 milhões de habitantes e um Produto Interno Bruto (PIB) que ronda os 1,3 biliões de dólares, maior do que o PIB da Austrália, Indonésia e México, países que integram o G20.

Estes acordos foram assinados durante um fórum, que decorre no Estoril, que tem como tónica “o impacto do projecto de desenvolvimento da Grande Baía nas áreas do turismo e da educação”, apontaram as autoridades de Macau.

No dia da assinatura do memorando, a secretária de Estado do Turismo explicou à Lusa que este acordo na área de formação turística que vai levar à instalação de um pólo do Instituto de Formação Turística de Macau (IFT) no Estoril (clique para ler: Portugal e Macau assinam acordo para formação turística de alunos asiáticos).

“Vamos passar a ter ali este pólo do IFT Macau para formação de recursos humanos na área do turismo, principalmente recursos humanos asiáticos, que vão passar a ter ali um espaço para formação e para articulação e desenvolvimento de estágios também aqui em Portugal, nomeadamente junto dos hotéis portugueses”, explicou Ana Mendes Godinho.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Macau

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Macau recebeu mais de 3,4 milhões de visitantes em Abril

23-05-2019 (12h00)

Macau somou em Abril 3,432 milhões de visitantes, mais 471,3 mil ou mais 15,9% que no mês homólogo do ano passado, de acordo com os dados oficiais divulgados hoje.

Turismo português em Macau cresceu 28,9% em Abril

23-05-2019 (11h36)

Macau recebeu mais de 1.500 turistas portugueses no mês de Abril, o que corresponde a um aumento de 28,9% face ao mês homólogo do ano passado, de acordo com os dados oficiais divulgados hoje.

RIU abre dois hotéis em “duas ilhas paradisíacas” nas Maldivas

21-05-2019 (17h21)

A RIU Hotels & Resorts tornou-se a primeira cadeia hoteleira espanhola a entrar nas Maldivas ao inaugurar dois hotéis em “duas ilhas paradisíacas”, unidas por um passadiço sobre a água, com 800 metros de comprimento.

ISEG promove debate “Macau, Turismo e Desenvolvimento” esta sexta-feira

15-05-2019 (15h05)

O Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), em Lisboa, promove esta sexta-feira um debate sobre as políticas de turismo implementadas no território nas últimas décadas e os planos da expansão económica da China.

Depois de Veneza, Sands vai levar Londres a Macau

14-05-2019 (16h20)

O Grupo Sands, responsável pelo The Venetian, anunciou um novo projecto para Macau, que designou The Londoner Macao, uma réplica da cidade de Londres em Macau para "abrir progressivamente ao longo de 2020 e 2021".

Noticias mais lidas