Queda de yields da Lufthansa na América do Sul agravou-se para 20,1% no 2º trimestre

30-07-2019 (16h32)

Foto: Lufthansa
Foto: Lufthansa

O grupo Lufthansa indicou hoje que a queda de preços dos voos de/para a América do Sul, cujo principal mercado é o Brasil, que por sua vez é o mercado com mais peso nas receitas da TAP, agravou-se no segundo trimestre.

O grupo especificou que o yield, que é o preço médio por quilómetro voado, caiu 20,1% excluindo flutuações cambiais no segundo trimestre, quando no primeiro trimestre a quebra tinha sido de 18,7%, tendo, pois, uma queda média no semestre em 19,5%.

Os dados publicados pelo grupo indicam que, ainda assim, o yield a câmbios constantes da totalidade seus voos transatlânticos, incluindo América do Norte e do Sul, teve quedas de apenas 3,7% no segundo trimestre e 4,8% no conjunto do semestre, porque nos voos de/para a América do Norte as quedas de yield a câmbios constantes foram de apenas 0,5% no segundo trimestre e 1,6% no semestre.

Desta forma a evolução negativa do yield nos voos transatlânticos foi idêntica à ocorrida nas linhas intra-europeias, que segundo o grupo Lufthansa foi de 4,8% a câmbios constantes no semestre e de 3,5% no segundo trimestre.

Porém, enquanto as Américas representam apenas 33% das receitas de tráfego do grupo Lufthansa, a Europa representa 41%.

Acresce que nos voos das Américas a queda do yield foi compensada, pelo menos parcialmente, por ganhos de taxa de ocupação, com subidas de 2,4 pontos no segundo trimestre e dois pontos no conjunto do semestre, enquanto na Europa a queda do yield foi agravada por quedas de ocupação, de 0,4 pontos no segundo trimestre e 0,7 pontos no semestre.

E adicionalmente acresce que na ‘vida real’, ou seja, com as variações cambiais que se verificaram no semestre, a queda do yield nas Américas ficou em 1,6%, enquanto na Europa foi de 3,7%.

Os voos de/para Ásia e Pacífico e Médio Oriente e África, que representaram, respectivamente, 19% e 7% das receitas de tráfego no semestre, tiveram aumentos de yield a câmbios constantes no segundo trimestre em 1% e 2,3%, respectivamente.

No semestre o yield dos voos da Ásia e Pacífico subiu 1,4%, mas o dos voos do Médio Oriente e África baixou 1,8%.

 

Clique para mais notícias: Lufthansa

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Delta Air Lines declara subida do lucro em 21,5% no 3º trimestre

10-10-2019 (16h43)

A norte-americana Delta Air Lines, segunda maior companhia de aviação do mundo, com voos para Lisboa e Açores, comunicou hoje ter alcançado um aumento de lucros no terceiro trimestre em 21,5% com subida da receita operacional em 6,5% e aumento do custo operacional em 3,4%.

MSC Meraviglia chega aos Estados Unidos para bater recordes

09-10-2019 (16h25)

O MSC Meraviglia, com capacidade para 4.488 passageiros, tornou-se o maior navio a atracar em Manhattan, Nova Iorque, e vai estabelecer o mesmo recorde em Boston, Portland e Bar Harbor.

OMT e Estados Unidos discutem reintegração do país na organização

08-10-2019 (16h09)

O secretário-geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), Zurab Pololikashvili, reuniu-se com uma delegação norte-americana para discutir as condições de reintegração dos Estados Unidos.

Voos da América Latina asseguram quase metade do crescimento de tráfego do IAG até Setembro

07-10-2019 (16h34)

O IAG, tradicionalmente líder no transporte aéreo de passageiros entre a Europa e a América do Norte, pela força da British Airways e do seu hub de Londres Heathrow, está a assentar o seu crescimento este ano principalmente nos voos de/para a América Latina, em que a sua companhia líder é a espanhola Iberia.

IAG só cresce em Setembro em voos da América Latina e domésticos

07-10-2019 (15h29)

O IAG, grupo de aviação que junta British Airways, Iberia, Vueling, Aer Lingus e Level, viu o seu crescimento em Setembro, mês em que a britânica cancelou 2.325 voos devido a greve de pilotos, cingir-se aos seus voos da América Latina e domésticos no Reino Unido, Espanha e Itália.

Noticias mais lidas