Goa e Moçambique estão entre os possíveis destinos para as Pousadas de Portugal

25-05-2018 (13h10)

foto: Pestana
foto: Pestana

A expansão internacional das Pousadas de Portugal prevê a construção cinco unidades até 2023, estando já uma em funcionamento no Brasil, duas localizações aprovadas, no Uruguai e em São Tomé, e mais duas em estudo, que poderão ser Goa e Moçambique.

Frederico Costa, administrador das Pousadas de Portugal, disse ontem aos jornalistas na inauguração da Pousada Vila de Óbidos, que a unidade no Brasil “já está a funcionar, é só transformar em Pousada e adaptar aos nossos standards”.

Em São Tomé, “em princípio vamos fazer ao lado do nosso hotel. Há lá uma roça que vamos transformar em Pousada”, e em Montevideu, no Uruguai, o grupo já tem um edifício comprado.

Outro destino possível é Goa, na Índia. “Estão muito disponíveis”, afirmou Frederico Costa, sublinhando que o grupo tem estado em conversações com a embaixadora da Índia em Portugal, Nandini Singla, e com o governo de Goa.

O objectivo é ter cinco Pousadas fora de Portugal, especificou o executivo. “Se nós conseguirmos fechar o acordo com o Turismo de Portugal para estes cinco anos que estão em cima da mesa [de expansão do contrato de concessão até 2028], acho que em um ano abrimos São Tomé”.

Outro destino internacional das Pousadas poderá ser Moçambique, afirmou na mesma ocasião Dionísio Pestana, presidente do grupo hoteleiro.

“Temos vários [destinos possíveis], mas ainda não está finalizado, ainda falta tempo”, afirmou Dionísio Pestana, acrescentando que “são oportunidades de negócio que aparecem”.

Luís Castanheira Lopes, presidente do Grupo Pestana Pousadas de Portugal, por sua vez, especificou que estão aprovadas pela Enatur as localizações de Montevideu e São Tomé e, com a unidade do Brasil já em funcionamento, falta escolher duas localizações, como já havia delcarado em entrevista à Agência Lusa em Fevereiro deste ano (clique para ler: Pousadas de Portugal mantêm objectivo de chegar às cinco unidades no estrangeiro).

“Enquanto não escolhermos estes dois lugares, não começamos”, disse Castanheira Lopes, sublinhando que o prazo para abertura das cinco unidades vai até 2023. “Para cumprirmos o plano temos que as fazer até essa altura”.

A rede das Pousadas de Portugal teve em 2017 um aumento das receitas em 14% face a 2016, atingindo um valor global na ordem dos 40 milhões de euros (clique para ler: Pousadas de Portugal crescem 14% em 2017).

 

Clique para mais notícias: Pestana

Clique para mais notícias: Pousadas de Portugal

Clique para mais notícias: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Queda da ocupação dos voos do grupo LATAM acentua-se em Julho

08-08-2018 (16h34)

O grupo LATAM, que tem programado ter voos da sua subsidiária LATAM Brasil (antiga TAM) entre São Paulo e Lisboa a partir de inícios de Setembro, teve em Julho uma queda da taxa de ocupação média dos seus voos em 2,1 pontos, para 84%, sobressaindo o decréscimo de 3,2 pontos em voos internacionais, para 84,6%.

Air France KLM e Air Europa preparam joint-venture para voos entre Europa e América

01-08-2018 (10h43)

O Grupo Air France KLM e a Air Europa anunciaram hoje que estão a preparar a criação de uma joint-venture para reforçar as ligações aéreas entre a Europa e a América Central e do Sul.

RevPAR dos hotéis da Accor na Europa sobe 5,9% no 2º trimestre

26-07-2018 (18h02)

A AccorHotels indicou hoje que no segundo trimestre teve um aumento médio da RevPAR em 5%, influenciado principalmente pelo aumento em 5,9% na Europa, onde tem a maioria das unidades, com 2.879 em 4.530, e quase metade dos quartos (49,8%), com 325.470 em 652.939.

Canadá é a origem/destino de passageiros com o aumento mais forte em Lisboa

20-07-2018 (16h54)

O Aeroporto de Lisboa teve no primeiro semestre um aumento quase para o dobro do número de passageiros em voos de/para o Canadá, que foi assim a origem/destino com o crescimento mais forte do período, embora em valor absoluto os maiores aumentos tenham sido nas ligações com a Alemanha, com Espanha, com França e com o Brasil.

CEO da Azul prevê joint-venture com a TAP até ao fim do ano

19-07-2018 (16h14)

O CEO da companhia brasileira Azul, de que o accionista da TAP David Neeleman é fundador e presidente, afirmou que as negociações com a TAP para a criação de uma joint-venture para voos transatlânticos ainda estão a decorrer e que prevê chegar a acordo no final deste ano.