EUA barram entrada a ex-chefe da diplomacia da UE e ex-secretário-geral da NATO

25-06-2018 (13h39)

Foto: Diana Fernandes
Foto: Diana Fernandes

O espanhol Javier Solana, ex-chefe da diplomacia da União Europeia e ex-secretário-geral da NATO, foi impedido de entrar nos Estados Unidos, por constar da ‘lista negra’ devido às suas viagens ao Irão, segundo o jornal “El País”.

“As normas de imigração impostas pela Administração Trump parecem ter transformado em suspeitos figuras tão prestigiadas como Javier Solana, secretário-geral da NATO entre 1995 e 1999 e Alto Representante da Política Externa e de Segurança da UE entre 1999 e 2009”, escreveu no Domingo o diário espanhol na sua edição electrónica.

A notícia do “El País” explica que, apesar de os cidadãos espanhóis não precisarem de visto para se entrarem nos Estados Unidos por período inferior a 90 dias, tal não significa que não possam ser impedidos de entrar na fronteira e que, “para evitar surpresas”, os viajantes são aconselhados a obter, antes de embarcarem no avião, uma autorização electrónica de viagem que, não dando direito a entrar no país, reduz as probabilidades de haver problemas no controlo fronteiriço.

“Solana não superou este primeiro filtro, pelo que não pôde assistir a um ato da Brookings Institution que tinha agendado nos Estados Unidos”, refere o jornal.

Embora não tenham querido comentar o caso de Solana, fontes da Embaixada dos Estados Unidos da América em Madrid citadas pelo diário espanhol disseram que o sistema alfandegário norte-americano rejeita automaticamente os pedidos de pessoas que tenham visitado nos últimos anos países incluídos por Trump na ‘lista negra’ — Irão, Iraque, Síria, Sudão, Líbia, Somália e Iémen —, o que não significa que não possam entrar no país, mas apenas que terão de obter um visto, como se fossem cidadãos de um país obrigado a tal requisito.

Javier Solana, por sua vez, desvalorizou o incidente e confirmou que já entregou o pedido de visto.

Enquanto chefe da diplomacia da UE, Solana foi um dos primeiros impulsionadores do acordo nuclear com o Irão, do qual há pouco tempo o presidente dos EUA Donal Trump retirou o país.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: América

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

David Neeleman encomenda 60 aviões A220 para a sua nova companhia aérea

18-07-2018 (16h39)

A nova companhia aérea norte-americana de David Neeleman, accionista da TAP através do consórcio Atlantic Gateway, encomendou à Airbus 60 aviões A220-300, que deverá começar a receber em 2021, altura em que o empresário prevê ter já reunido “uma equipa de gestão de classe mundial”.

MSC Cruzeiros anuncia novo terminal de cruzeiros em PortMiami

11-07-2018 (17h36)

A MSC Cruzeiros e o município de Miami-Dade assinaram um Memorando de Entendimento para a construção de um novo terminal de cruzeiros em PortMiami, que poderá receber os novos navios da classe World, que têm capacidade para 7.000 hóspedes.

Curio Collection by Hilton inaugura hotel na Costa Rica

11-07-2018 (16h02)

A marca de hotéis de luxo Curio Collecion by Hilton inaugurou um hotel em San José, na Costa Rica, instalado num edifício construído em 1930, com jardins interiores e um ‘rooftop piano bar’ com vista para o Teatro Nacional e para a cidade.

APG acrescenta low cost chilena Sky Airline ao seu programa de interline

06-07-2018 (10h20)

A companhia aérea chilena low cost Sky Airline passou a integrar o programa de emissão de bilhetes interline da APG Portugal, que já conta com 70 transportadoras.

Boeing e Embraer anunciam joint-venture que ‘absorve’ a brasileira

05-07-2018 (16h39)

A fabricantes de aviões Boeing, dos Estados Unidos, e Embraer, do Brasil, anunciaram hoje a criação de uma nova empresa de fabricação de aeronaves comerciais detida em 80% pela norte-americana e "que contempla os negócios e serviços de aviação comercial" da brasileira.