AHRESP assina acordo para promoção e defesa da sustentabilidade ambiental

04-06-2018 (16h39)

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) vai assinar com o Governo na próxima quinta-feira, dia 7, um "Acordo Circular Sectorial" que visa o compromisso voluntário de práticas ambientais com vista a repensar a utilização dos plásticos no Canal Horeca.

A assinatura do acordo irá realizar-se na conferência "Repensar os plásticos na transição para uma economia circular" que irá decorrer no dia 7 de Junho, na Fundação Gulbenkian, uma acção promovida pelo Ministério do Ambiente.

"Na semana em que se assinala o Dia Mundial do Ambiente, a AHRESP reafirma o seu compromisso com o Meio Ambiente, dando continuidade ao trabalho que tem vindo a desenvolver ao longo dos anos, com projectos que promovem a importância de adoptar hábitos sustentáveis de protecção do Ambiente e dos recursos naturais", afirma José Manuel Esteves, director geral da AHRESP, citado em comunicado.

Com o acordo, a Associação "compromete-se a colaborar com o Governo na promoção de práticas que visem antecipar a implementação da Estratégia da EU para os Plásticos numa Economia Circular".

A AHRESP, acrescentou José Manuel Esteves é "pioneira no tema (...) através de várias iniciativas de autorregulação e de boas práticas, tendo sido a primeira instituição a nível europeu, a editar um código de boas práticas ambientais".

A Associação está a lançar o programa Menos Plástico Mais Ambiente, que o director-geral da AHRESP descreve como "uma iniciativa que visa a redução do uso de artigos de plástico na restauração e na hotelaria bem como novos hábitos de consumo e comportamentos".

A AHRESP, prossegue José Manuel Esteves, "não podia ficar indiferente ao facto dos plásticos constituírem grande parte do lixo encontrado nos mares" e "ao sensibilizarmos a opinião pública e as nossas empresas para a redução dos plásticos, estamos a preservar uma das atracções turísticas do nosso país, a costa marítima, de onde provém um dos nossos principais tesouros e que tão bem nos diferencia, o excelente peixe, que enriquece a nossa Gastronomia, Património Cultural de Portugal".

 

Ver também:

AHRESP diz que plástico é "falso problema" desde que seja todo reciclado

Governo admite incentivos fiscais, taxas ou sinalética nas lojas para reduzir plásticos 


Clique para mais notícias: AHRESP

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Alemães e russos fazem cair turismo europeu nas Caraíbas

16-07-2018 (16h36)

Com menos 41 mil turistas que há um ano, Alemanha e Rússia foram os emissores responsáveis por uma queda no primeiro semestre do número de turistas residentes na Europa na Dominicana, que teve no pólo oposto principalmente os aumentos de turistas residentes em França e Portugal.

Governo açoriano reforça capital social da SATA Air Açores em 27 milhões de euros

16-07-2018 (16h31)

O Governo dos Açores anunciou hoje um reforço em 27 milhões de euros do capital social da SATA Air Açores, companhia aérea que assegura as ligações aéreas entre as nove ilhas açorianas, "por via da subscrição de 5.400.000 novas ações".

Chegadas de turistas portugueses a Punta Cana aumentam 95% no 1º semestre

16-07-2018 (16h16)

O Aeroporto Internacional de Punta Cana, que é o maior aeroporto das Caraíbas em chegadas de passageiros residentes em Portugal, atingiu este ano um novo recorde de 15.366 turistas do mercado português no primeiro semestre, com um aumento em 95,1% ou quase 7,5 mil relativamente ao período homólogo de 2017.

Observação de baleias na Bahia deve atrair cerca de 15 mil turistas

16-07-2018 (16h06)

O estado nordestino brasileiro da Bahia prevê receber durante a época de observação de baleias, entre Julho e Outubro, cerca de 15 mil turistas.

Lufthansa “refuta falsas alegações da Ryanair” sobre a LaudaMotion

16-07-2018 (15h28)

O Grupo Lufthansa afirmou que “são completamente infundadas” as alegações da Ryanair de que a LaudaMotion está sobre ameaça do grupo alemão, “que tenta retirar as nove aeronaves que se viu forçada a ceder à Laudamotion pela Comissão Europeia para lhe permitir reiniciar os seus serviços”.