Tunísia aplica taxa de saída de 13 euros a partir de 1 de Outubro

24-09-2014 (14h02)

Os turistas que visitam a Tunísia passam a pagar, a partir de 1 de Outubro, uma taxa de saída do País no valor de 30 dinares (13 euros).




A informação foi confirmada pelo director-geral de Estudos e Legislação Tributária do Ministério da Economia e Finanças da Tunísia, Habiba Louati, que especificou que a taxa se aplica a todos os estrangeiros não-residentes que queiram sair do país.
A informação oficial indica que o selo de saída pode ser adquirido em diversos pontos nas fronteiras terrestres, marítimas e aéreas em escritórios governamentais, bancos, tabacarias, agências de viagens e hotéis, que recebem uma comissão de 3% pela sua venda.
Para evitar filas e esperas, o governo tunisino aconselha a compra do sela no acto de chegada ou durante a estada, sublinha a informação.
Com esta iniciativa, o governo tunisino projecta arrecadar 42 milhões de dinares (cerca de 18,3 milhões de euros) sónos últimos três meses deste ano e 120 milhões de dinares (52,3 milhões de euros) em 2015.
No início deste ano a Assembleia Nacional Constituinte da Tunísia já tinha aprovado a taxa sobre dormidas na hotelaria, que também terá início a 1 de Outubro deste ano.
O valor desta taxa é de três dinares (1,3 euros) para hotéis de 5-estrelas, dois dinares em unidade 4-estrelas e um dinar nos de 3-estrelas (para ver mais clique aqui).
A Tunísia foi este Verão um dos destinos com mais oferta charter à partida de Lisboa.
Em Agosto, de acordo com dados do Aeroporto de Lisboa a que o PressTUR teve acesso, o aeroporto da capital portuguesa teve mais do dobro dos passageiros do mês homólogo de 2013 (+103,1%), atingindo um total de 7.152.
Em voos charter, Djerba cotou-se como o 4º destino em número de passageiros (ida e volta), com 2.736, +172,2% que em Agosto de 2013, a que se somaram ainda mais 701 passageiros em voos para Monastir e mais 449 em voos para Enfidha, Hammamet.
Nos oito meses de Janeiro a Agosto, o movimento de passageiros em voos de e para a Tunísia teve um aumento em 62,2%, para 20.789, com a companhia Tunisair a somar 15.543, +19,7% que há um ano.
Em charters, sobressai o aumento em 115% nas ligações com Djerba, para 7.971 (ida e volta), a que se somam 1.268 nas ligações com Enfidha, que em 2013 não existiram, bem como os 701 de Agosto nas ligações com Monastir.

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TACV programa voos para Dakar a partir de DezembroTitulo

15-11-2018 (11h00)

A companhia de aviação cabo-verdiana Cabo Verde Airlines (TACV) vai começar a voar entre a ilha do Sal e a capital do Senegal, Dakar, a partir de 9 de Dezembro, duas vezes por semana, com o seu Boeing B757.

Angola quer mais aposta em lodges e resorts - Ministra

14-11-2018 (17h45)

A ministra do Turismo de Angola, Ângela Bragança, defendeu hoje que Luanda já tem suficientes hotéis de cinco estrelas, sendo necessária apostar nos lodges e nos resorts para aumentar o fluxo turístico para o país.

Presidente da TAAG está seguro que fluxo de passageiros entre Portugal e Angola vai aumentar

14-11-2018 (16h46)

Com o ‘desanuviamento' das relações entre Portugal e Angola, "não tenho dúvida nenhuma de que vai haver aumento de fluxo de passageiros entre Luanda e Lisboa", afirmou ao PressTUR o presidente da companhia de aviação angolana TAAG, Rui Carreira.

TAAG quer abrir capital ao investimento privado, mas “não total” – presidente

14-11-2018 (16h42)

A TAAG deixou de ser uma empresa pública para ser uma sociedade comercial e o próximo passo será a abertura de parte do capital ao investimento privado, mas "não total", uma vez que se trata de "uma empresa estratégica para o Estado angolano", de acordo com o presidente da transportadora, Rui Carreira.

Porto – Luanda “continua a ser para nós um bom voo”, mesmo com quebra de passageiros – TAAG

14-11-2018 (16h40)

O tráfego aéreo de passageiros entre Porto e Luanda está com uma quebra de 8,7% até Outubro, mas não é por isso que deixa de ser "um bom voo", garantiu ao PressTUR o presidente do Conselho de Administração da TAAG, Rui Carreira, assegurando que a rota é para manter com a mesma frequência de voos.