TAAG deixa de ter restrições na União Europeia

17-04-2019 (14h17)

A companhia de aviação angolana TAAG, que lidera o transporte aéreo de passageiros entre Portugal e Angola, com voos de Luanda para Lisboa e para o Porto, foi retirada da “lista negra” da aviação da União Europeia, deixando assim de estar sujeita a restrições no espaço aéreo europeu, o que já não sucedia desde 2007.

Ao actualizar a sua “lista negra” de companhias aéreas impedidas de sobrevoar território comunitário por motivos de segurança, a Comissão Europeia indica que “há notícias positivas para Angola, uma vez que a sua companhia nacional TAAG Angola Airlines, assim como a Heli Malongo, que operavam com restrições desde Novembro de 2008, foram retiradas da lista”.

A decisão foi tomada com base na opinião unânime emitida pelos peritos de segurança dos Estados-membros que se reuniram entre 2 e 4 de Abril em sede do Comité de Segurança Aérea, presidido pela Comissão Europeia com o apoio da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (AESA), especifica o executivo comunitário.

A TAAG foi incluída na “lista negra” da UE em Julho de 2007, tendo em finais de 2008 voltado a ser autorizada a voar para a Europa, mas com restrições operacionais, podendo apenas voar, numa primeira fase, para Portugal, e apenas com três aviões da sua frota “validados” por Bruxelas, tendo as restrições mudado ligeiramente ao longo de sucessivas actualizações da lista.

Até à actualização de ontem, a TAAG continuava com restrições relativamente à frota, pois só podia voar no espaço aéreo europeu com Boeing B737-700, Boeing B777-200 e Boeing B777-300.

A lista de segurança aérea da UE, conhecida como “lista negra”, proíbe agora um total de 120 companhias de voarem para a União Europeia, 114 das quais por falta de fiscalização das autoridades nacionais da aviação, e as restantes seis por preocupações relativas às próprias companhias, entre as quais a venezuelana Avior Airlines.

Entre as companhias certificadas por 16 países que continuam interditadas estão as transportadoras angolanas, à excepção da TAAG e da Heli Malongo, bem como as de São Tomé e Príncipe, tendo sido incluídas agora todas as companhias da Moldova, com excepção da Air Moldova, da Fly One e da Aerotranscargo.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: TAAG

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Fórum Mundial do Turismo começa hoje em Luanda

23-05-2019 (09h27)

A capital angolana, Luanda, acolhe a partir de hoje a reunião do Fórum Mundial do Turismo, um encontro que deverá juntar 1.500 participantes e servirá para promover o investimento e impulsionar o sector no país.

Ilha do Sal quer classificar a praia de Santa Maria com Bandeira Azul

22-05-2019 (11h46)

A Câmara Municipal do Sal, em Cabo Verde, quer classificar a praia de Santa Maria com Bandeira Azul, segundo a representante do programa no país, que considera que todas as praias cabo-verdianas têm condições para ser classificadas, desde que sejam implementadas medidas.

TAP lança nova rota para a capital da Gâmbia a partir de Outubro

21-05-2019 (11h34)

A TAP anunciou hoje que a partir de 26 de Outubro vai voar três vezes por semana entre Lisboa e Banjul, capital da Gâmbia.

Empresários de Cabo Verde querem “quebrar o monopólio” no transporte aéreo inter-ilhas

15-05-2019 (14h46)

A falta de concorrência nos transportes aéreos inter-ilhas dificulta a unificação do mercado, pelo que é necessário encontrar soluções para "quebrar o monopólio", disse o presidente da Câmara de Comércio de Sotavento (CCISS) cabo-verdiano.

Royal Air Maroc reduz bagagem de porão autorizada nos voos para o Brasil

13-05-2019 (18h36)

A companhia de aviação marroquina Royal Air Maroc (RAM), que tem Portugal como um dos mercados de captação de tráfego para voos de longo curso, reduz a partir de quarta-feira a bagagem de porão autorizada nos voos para o Brasil em até cerca de 18 quilogramas.

Noticias mais lidas