Receitas turísticas na Tunísia crescem 40% para 500 milhões de euros

13-07-2018 (11h38)

As receitas de turismo na Tunísia no primeiro semestre cresceram 40% face ao período homólogo do ano passado, uma evolução que o Governo tunisino atribui ao ‘regresso' dos visitantes europeus.

Responsáveis do Ministério do Turismo relacionaram esta subida com o regresso paulatino dos viajantes europeus, que tornaram a escolher o país como destino de férias, depois dos atentados que em 2015 mataram 72 pessoas, 60 dos quais estrangeiros.

Segundo as estatísticas oficiais divulgadas, cerca de 3,2 milhões de turistas viajaram para a Tunísia entre 1 de Janeiro e 30 de Junho deste ano, mais 26% que no primeiro semestre de 2017, elevando as receitas turísticas para 500 milhões de euros.

Cerca de 60% dos visitantes são de mercados europeus, seguido de perto pelos argelinos.

Por nacionalidades, a maior subida foi registada pelos franceses, seguidos por alemães e russos.

Os mesmos responsáveis revelaram à agência noticiosa Efe que esperam que a tendência permita reverter definitivamente a crise em que se afundou este sector, chave para a economia tunisina, depois dos ataques, e superar o número de turistas que procuravam o país.

Entre Janeiro e 10 de Junho, a Tunísia recebeu cerca de 4.500 turistas portugueses, mais 51% que no período homólogo do ano passado, segundo revelou no final do mês passado Mounira Derbel, directora ibérica do Turismo da Tunísia (clique para ler: Chegada de turistas portugueses à Tunísia aumenta 51% até Junho).

Alguns operadores turísticos portugueses retomaram este ano as operações charter para a Tunísia, com voos para Djerba e Monastir, e declararam satisfação com o desempenho das vendas (clique para ler: Vendas para a Tunísia decorrem a bom ritmo – Solférias, Sonhando e Soltrópico).

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Tunísia

Clique para mais notícias: África

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

PR moçambicano lança primeira pedra para construção de aeroporto no sul de Moçambique

08-10-2018 (13h29)

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, lançou a primeira pedra para construção do Aeroporto Internacional de Xai-Xai, na província de Gaza, no Sul de Moçambique, um projecto orçado em cerca de 75 milhões de dólares (65 milhões de euros).

Novas tarifas aéreas entre ilhas de Cabo Verde entram em vigor no dia 28

08-10-2018 (13h23)

As novas tarifas no transporte aéreo entre as ilhas de Cabo Verde vão mesmo entrar em vigor a 28 de Outubro, apesar do pedido de adiamento da companhia aérea Binter, que chegou a ameaçar suspender as ligações após essa data.

Nova direcção da TAAG prepara privatização da companhia aérea

08-10-2018 (13h14)

O presidente da nova administração da companhia aérea angolana TAAG indicou que a privatização da empresa vai ser feita "gradualmente", devendo, primeiro, criar-se condições "adequadas e atractivas" para o investimento privado, noticiou a imprensa angolana.

Marriott anuncia primeiro hotel em Moçambique, em Nampula

01-10-2018 (16h17)

A Marriott, maior rede hoteleira do mundo, com mais de 1,16 milhões de quartos em quase seis mil hotéis em 2016, anunciou hoje que vai abrir a sua primeira unidade em Moçambique, em 2023, em Nampula, numa área que terá também um centro comercial, um hospital e escritórios.

TAAG vai contar com mais aviões a partir do próximo ano

29-09-2018 (15h38)

A companhia aérea angolana TAAG, líder nas ligações entre Angola e Portugal, como voos para Lisboa e para o Porto, vai adquirir, em 2019, 11 novos aviões de médio curso e um número ainda não informado de Boeing 787 Dreamliner, de longo curso, no quadro do seu programa de modernização da transportadora.