Portugal e Moçambique criam condições para haver mais concorrência nos voos entre os dois países

30-10-2018 (15h28)

Foto: Meliá Hotels International
Foto: Meliá Hotels International

Portugal e Moçambique acabaram com a chamada 'mono designação' nas ligações entre os dois países, pela qual cada país podia autorizar apenas uma companhia para operar essas ligações, actualmente a TAP por Portugal e a LAM por Moçambique, embora só a portuguesa esteja a voar entre Lisboa e Maputo.

A revisão “consistiu, essencialmente, na modificação do ponto sobre a 'mono designação' para a 'múltipla designação'. Ou seja, cada Estado passa a poder designar mais que uma companhia para a ligação aérea entre os dois países", disse à Lusa o presidente do Instituto de Aviação Civil de Moçambique, João de Abreu.

A revisão do Acordo de Transporte Aéreo resultou de um trabalho feito em Maio, em Lisboa, por grupos técnicos das entidades reguladoras dos dois Estados, tendo sido assinada em Junho, no âmbito da visita do primeiro-ministro português, António Costa, a Moçambique - mas só agora detalhado à Lusa.

“Notamos que houve uma grande evolução no sector aéreo dos dois lados e era necessário actualizar este acordo", justificou João de Abreu.

A revisão do acordo contemplou também aspectos relacionados com as rotas, eliminando a obrigatoriedade de os voos entre os dois países passarem pelos aeroportos das capitais, avançou ainda João Abreu.

“Esta revisão garante, por exemplo, que um operador português que queira vir para Moçambique não esteja apenas limitado a Maputo. Abre-se espaço para que ele possa ir directamente para outros pontos do país que tenham um aeroporto internacional”, especificou, acrescentando que “o mesmo passa a acontecer em Portugal", acrescentou.

Portugal e Moçambique têm acordos para o sector da aviação assinados também nas áreas de formação e acidentes aéreos, instrumentos que defendem a formação de quadros técnicos dos dois países e a cooperação na investigação em caso de acidentes, respectivamente.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: África

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Privatização parcial da TAAG avança ainda este ano, diz ministro dos Transportes angolano

20-03-2019 (17h07)

O ministro dos Transportes angolano, Ricardo de Abreu, disse hoje à agência Lusa que a privatização parcial da companhia de aviação angolana TAAG deverá avançar ainda este ano.

Vila Galé “vai analisar” concurso Revive em São Tomé e Príncipe

15-03-2019 (12h11)

O administrador do grupo hoteleiro Vila Galé, Gonçalo Rebelo de Almeida, disse à Lusa que "vai analisar" o concurso Revive em São Tomé e Príncipe, que prevê a recuperação de edifícios históricos para fins turísticos.

São Tomé e Príncipe tem oito roças com potencial turístico identificadas pelo Revive Internacional

15-03-2019 (11h47)

O ministro adjunto e da Economia avançou que o programa Revive Internacional identificou oito roças com potencial turístico em São Tomé e Príncipe e desafiou os empresários portugueses a aproveitar as oportunidades de negócios.

Concessão de aeroportos de Cabo Verde avança este ano – primeiro-ministro

14-03-2019 (01h00)

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, disse esta quarta-feira que quer ver finalizado ainda em 2019 o processo de concessão dos aeroportos do país, depois da privatização da TACV – Cabo Verde Airlines.

Portugal assina com São Tomé e Príncipe primeiro acordo internacional do Revive

14-03-2019 (00h50)

Portugal assinou esta quarta-feira com São Tomé e Príncipe o primeiro acordo internacional do programa Revive, para apoiar a recuperação de edifícios históricos do país africano.