Empresa gestora dos aeroportos angolanos investiu 53,8 milhões de euros em equipamentos e formação

03-07-2018 (11h32)

A administração da Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea (ENANA) angolana anunciou hoje ter investido 63 milhões de dólares (53,8 milhões de euros) num programa de aquisição e instalação de equipamentos e formação de técnicos.

A informação foi transmitida pelo presidente do conselho de administração da ENANA, Manuel Ceita, no final de uma visita no Sábado, dia 30 de Junho, que o novo ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas de Abreu, efetuou às instalações da empresa, no aeroporto internacional 4 de Fevereiro, em Luanda.

Segundo o responsável da empresa pública tutelada pelo Ministério dos Transportes, o volume de investimento para o Programa de Gestão e Controlo do Espaço Aéreo Civil (PGCEAC) surge para "melhorar as condições de trabalho da empresa".

"E ainda para que Angola, de alguma forma, afaste a sombra de eventuais listas negras", adiantou.

Trata-se de um programa que envolve a aquisição, instalação de equipamentos de controlo do espaço aéreo e comunicações, bem como a formação dos técnicos da ENANA.

Há pouco menos de uma semana no cargo, Ricardo Viegas de Abreu constatou o funcionamento da sala de protocolo de Estado do terminal de voos internacionais, o terminal de embarque do terminal de voos internacionais e outras dependências do aeroporto internacional de Luanda.

No final, reuniu-se durante quase uma hora com a administração da ENANA e técnicos do Instituto Nacional de Aviação Civil (INAVIC) de Angola, tendo exortado para a necessidade da melhoria da organização e gestão, face às auditorias internacionais, nomeadamente da Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO).

"O senhor ministro predispôs-se em ajudar e vai ter um encontro, até à auditoria, com o conselho de administração, para afinar e saber até que ponto a ENANA será capaz, em nome do Estado, sair-se bem", acrescentou, Manuel Ceita.

De acordo com o presidente do conselho de administração da ENANA, foi também abordada com o ministro a intenção de ver certificado internacionalmente, além do novo aeroporto em construção nos arredores de Luanda, também o de Catumbela, em Benguela.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: África

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Solférias, Soltrópico e Abreu contratam charters à TAP para pacotes de Carnaval e Páscoa em Cabo Verde

10-09-2018 (17h25)

A Solférias, a Soltrópico e a Viagens Abreu contrataram à TAP voos charter para as ilhas cabo-verdianas do Sal e da Boavista no Carnaval e na Páscoa, disse ao PressTUR fonte de uma das empresas.

Depressão tropical obrigou a cancelar 20 voos domésticos em Cabo Verde

03-09-2018 (11h11)

A passagem de uma depressão tropical por Cabo Verde levou ao cancelamento de 20 voos domésticos, na sexta-feira e Sábado, além da suspensão da maioria das ligações marítimas entre ilhas, estando a situação a ser normalizada.

Ethiopian Airlines prepara começar voos domésticos em Moçambique a partir de Outubro

31-08-2018 (11h43)

A Ethiopian Airlines, que se apresenta como a maior companhia de aviação africana, vai iniciar voos domésticos em Moçambique a partir de 1 de Outubro, segundo informou o presidente da empresa Aeroportos de Moçambique, Emanuel Chaves.

TUIfly Nordic programa voar para Cabo Verde de Copenhaga, Helsínquia e Estocolmo este Inverno

29-08-2018 (15h43)

A TUIfly Nordic, companhia de aviação do maior grupo mundial de operadores turísticos e agências de viagens baseada no Norte da Europa, indicou aos sistemas globais de reservas que este Inverno tem programado voar de Copenhaga, Helsínquia e Estocolmo para as ilhas cabo-verdianas da Boavista e do Sal.

Aeroporto de Maputo espera atrair mais tráfego internacional com nova certificação

28-08-2018 (10h46)

O Aeroporto Internacional de Maputo, capital moçambicana, recebeu um novo certificado que eleva a sua capacidade de resposta para voos comerciais, esperando com isso atrair mais tráfego internacional.