Trivago inclui Grande Lago do Alqueva em Top10 de destinos para observar o céu

05-10-2015 (08h48)

O portal Trivago divulgou uma lista dos dez destinos com melhores condições para ver as estrelas, em que inclui o Grande Lago do Alqueva, no Alentejo, que conta com a Reserva Dark Sky Alqueva.



A selecção dos dez destinos mais indicados para observar o céu nocturno realça o turismo astronómico, descrito pela Trivago como uma “actividade que combina cultura, ciência e meio ambiente”, e inclui cinco localidades na Europa, duas em África e na América, e uma na Oceânia.
O Grande Lago do Alqueva, no Alentejo, é o primeiro destino a receber o certificado da Starlight Initiative, que surge em 2007 como “uma acção internacional em defesa dos valores associados com o céu nocturno e o direito generalizado de observar as estrelas”.
O Alqueva conta com uma regulação da intensidade da iluminação, o que torna possível a observação do céu nocturno durante a maior parte do ano, bem como a Reserva Dark Sky Alqueva, onde decorrem acções relacionadas com esta temática, entre os quais os eventos ‘Star Party Alqueva’, descreve o Trivago.
As Ilhas Canárias, nomeadamente as ilhas de La Palma e de Tenerife, conhecidas por serem destinos de praia, também contam com a certificação international Starlight e regulamentação relativa aos níveis de poluição e das rotas aéreas, o que lhes confere um lugar nesta lista.
Havelland, na Alemanha, conta com o Parque Natural de Westhavelland, reconhecido pela IDA – International Dark-Sky Association, fundada em 1988 com o intuito de “proteger os céus nocturnos para as gerações presentes e futuras” através do combate à poluição luminosa.
Em Havelland é possível ver a luz zodiacal, o reflexo da luz solar na poeira espacial, e o Gegenschein, o reflexo da luz solar na poeira espacial que se encontra na órbita do Sol, ainda mais difícil de observar que a luz zodiacal.
A Península de Iveragh, na Irlanda, conhecida pela rota turística Anel de Kerry que engloba o perímetro da península, conta com as montanhas Kerry e o Oceano Atlântico para proteger a área de poluição luminosa, permitindo assim observar a Via Láctea e a galáxia de Andrómeda. A região conta com a Kerry International Dark-Sky Reserve, a primeira com este estatuto na Irlanda.
Glaciares, vulcões e auroras boreais todo o ano, mas com mais visibilidade em Setembro e Abril, são o ‘pack’ quase exclusivo da Islândia que coloca o país na lista que beneficia de uma baixa poluição luminosa.
Em África encontra-se o Deserto do Namibe, na Namíbia, que conta com a Reserva Natural NamibRand, que para além de se dedicar à protecção da fauna e flora, também promove a preservação dos céus nocturnos e é a primeira reserva africana a ser reconhecida pelo IDA.
A região semi-deserta do grande Karoo, na África do Sul, faz parte desta lista principalmente devido à presença do maior telescópio do hemisfério sul na pequena cidade de Sutherland onde são promovidas uma série de actividades de aventura.
Os Estados Unidos entram lista com o inevitável deserto do Arizona, que tem nas regiões de Sedona e Flagstaff uma série de actividades astronómicas como visitas à cratera de Barringer, ao Observatório Lowell e ao Red Rock State Park.
Ainda na América, mas no Sul, o deserto de Atacama no Chile devido às suas características topográficas e climatéricas tem as condições ideiais para a observação do cosmos, conta com mais de 30 observatórios, entre os quais o Observatório de Paranal onde são organizadas actividades relacionadas com o turismo astronómico, um terço de todos os telescópios do mundo, e é o primeiro destino sul-americano a receber o certificado da Starlight.
Na Nova Zelândia, no Parque Nacional Aoraki é possível observar a aurora boreal e as nuvens de Magalhães, constituídas por duas pequenas galáxias irregulares.
Este parque também é considerado o berço da primeira reserva de observação de céus nocturnos no hemisfério sul, a Aoraki Mackenzie Dark Sky Reserve, que é considerada a maior do mundo e que de 9 a 11 de Outubro vai receber o Starlight Festival onde vão decorrer actividades educativas e de consciencialização relacionadas com a poluição luminosa e a valorização do ambiente e espaço.

Trivago 
Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Travelport nomeia Luís Carlos Vargas da Silva para director regional na América Latina

15-10-2018 (12h52)

Luís Carlos Vargas da Silva, que nos últimos 18 meses desempenhou interinamente as funções de vice-presidente e director-geral da Travelport para a América Latina, foi nomeado para o cargo de director regional da empresa na América Latina.

Altis nomeia novos directores para os hotéis Avenida e Belém

10-10-2018 (15h07)

O grupo hoteleiro Altis anunciou que Frederico Vasconcelos e Bruno Correia são os novos directores dos hotéis de 5-estrelas Altis Avenida Hotel e Altis Belém Hotel & Spa, respectivamente.

Airbus escolhe Guillaume Faury para seu CEO a partir de Abril de 2019

09-10-2018 (19h45)

O fabricante europeu de aviões Airbus, fornecedor único da TAP desde finais da década de 90 do século XX, anunciou hoje que o seu actual presidente da sua subsidiária de fabricação de aviões comerciais, a Airbus Commercial Aircraft, Guillaume Faury, sucederá a Tom Enders no cargo de CEO em inícios do segundo trimestre de 2019.

MSC Cruzeiros promove Pedro Vasco a director Comercial e contrata Isa Vitória

09-10-2018 (16h37)

A MSC Cruzeiros anunciou hoje ter reorganizado o seu departamento Comercial em Portugal, incluindo a promoção de Pedro Vasco a director, a contratação de Isa Vitória, que ficará com a Zona Sul e Açores, e a atribuição da Zona Norte e da Madeira a Sílvia Oliveira.

Governo retoma atribuição de medalhas de mérito turístico

24-09-2018 (15h09)

O Governo de António Costa retomou hoje a atribuição de medalhas de mérito turístico ‘nas proximidades’ do Dia Mundial do Turismo, que se celebra no dia 27, com seis de grau ouro, entre outros para Fernando Pinto, Maria José Catarino, Ana Barbosa, Jorge Rebelo de Almeida, Mário Ferreira e Raul Martins.