Vila Galé “vai analisar” concurso Revive em São Tomé e Príncipe

15-03-2019 (12h11)

O administrador do grupo hoteleiro Vila Galé, Gonçalo Rebelo de Almeida, disse à Lusa que "vai analisar" o concurso Revive em São Tomé e Príncipe, que prevê a recuperação de edifícios históricos para fins turísticos.

"Vamos analisar para ver o que é que nos pode interessar das roças de São Tomé", afirmou o administrador à Lusa, durante a Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que está a decorrer na FIL, no Parque das Nações.

"Vamos estudar, sim. Normalmente, analisamos várias coisas ao longo do ano, agora há muita coisa que não avançamos porque não há nada em concreto, mas esta [São Tomé e Príncipe] vamos estudar", sublinhou Gonçalo Rebelo de Almeida.

Na quarta-feira, Portugal assinou, na sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, o primeiro acordo internacional do programa Revive com São Tomé e Príncipe, para apoiar a recuperação de edifícios históricos do país africano, tendo identificado oito roças com potencial turístico (clique para ler: São Tomé e Príncipe tem oito roças com potencial turístico identificadas pelo Revive Internacional).

Em Portugal, o grupo Vila Galé ganhou o primeiro concurso do Programa Revive do Convento de São Paulo, em Elvas, tendo ganho entretanto também o concurso do Revive para a Coudelaria de Alter, em Alter do Chão, onde já fez o lançamento da primeira pedra, e, actualmente, disputa com outros concorrentes o Quartel da Graça, em Lisboa.

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, considerou, na quarta-feira, "muito importante" o acordo assinado no âmbito da reunião ministerial da área do Turismo da organização de países lusófonos.

"Estamos a apoiar São Tomé e Príncipe, que identificou um conjunto de edifícios históricos, de roças, e que vai tentar atribuir, em concessão, exactamente o mesmo modelo do Revive. São edifícios que, ao mesmo tempo, são património de São Tomé e Príncipe, mas também representam, de alguma maneira, parte da História de Portugal", sublinhou.

Pedro Siza Vieira acentuou que o Governo está empenhado na "internacionalização do Revive", programa de valorização do património cultural e histórico e a sua transformação num activo económico do país, aberto ao investimento privado para desenvolvimento de projectos turísticos, através da realização de concursos públicos.

"O Programa Revive está a atrair muito interesse de investidores e esta presença internacional permite ir pontuando com a memória portuguesa", disse, na altura.

Segundo o Turismo de Portugal, o Programa Revive tem em vista a recuperação e valorização de património cultural e histórico, presente em todo o território nacional, e a sua transformação num activo económico do país.

Assim, o Revive "abre o património ao investimento privado para desenvolvimento de projetos turísticos, através da realização de concursos públicos".

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: São Tomé e Príncipe

Clique para ver mais: Vila Galé

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Exportações portuguesas de transporte aéreo de passageiros baixam 0,8% até Maio

18-07-2019 (16h58)

As vendas ao estrangeiro de transporte aéreo de passageiros baixaram 0,8% nos primeiros cinco meses deste ano, significando um recuo de 12,27 milhões de euros, para 1.515,59 milhões, de acordo com dados do Banco de Portugal recolhidos pelo PressTUR.

Portugueses estão mais ‘caseiros’ nos gastos turísticos

18-07-2019 (16h03)

Os destinos europeus concentraram 82,6% dos gastos dos portugueses em viagens e turismo nos primeiros cinco meses deste ano, com um reforço de 0,9 pontos em relação ao ano passado, especialmente evidente nos três principais, Espanha, França e Reino Unido, que tiveram um aumento de participação em 1,3 pontos, atingindo 54,9% do total do período.

Gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro sobem 10,8% até Maio

18-07-2019 (15h36)

Os portugueses despenderam pela primeira vez mais de 2.000 milhões de euros em viagens e turismo no estrangeiro nos primeiros cinco meses do ano, de acordo com os dados publicados pelo Banco de Portugal, dos quais se conclui um aumento médio em 10,8%.

Turistas dos Estados Unidos são os que mais estão a aumentar gastos em Portugal este ano

18-07-2019 (15h23)

O Banco de Portugal contabilizou até ao fim de Maio mais 72,69 milhões de euros de gastos em Portugal de turistas residentes nos Estados Unidos que assim foram os que fizeram o maior aumento do período, à frente dos residentes em Espanha e no Reino Unido, ambos com aumentos na ordem dos 61 milhões de euros.

Brexit para o turismo português afinal vem da Alemanha

18-07-2019 (15h21)

O mercado que mais está a penalizar o turismo português nestes primeiros cinco meses de 2019 é a Alemanha, e não o Reino Unido, como se esperava devido ao Brexit, mostram os dados do Banco de Portugal e do INE.

Noticias mais lidas