Santa Catarina quer atrair turistas portugueses

26-10-2005 (11h15)

“Um Brasil diferente”

“Temos a intenção de voar mais alto no mercado português”, afirmou ontem o director de marketing do Turismo de Santa Catarina (Santur), Valdir Walendowsky, que veio a Lisboa para incentivar a aposta dos agentes de viagens e companhias aéreas portuguesas neste estado do sul do Brasil, de modo a captar mais turistas para a região.

Turismo e lazer todo o ano, qualidade de vida, segurança, boas estradas, aeroportos e portos, riqueza cultural e património histórico, gastronomia, expansão do turismo de eventos e negócios e proximidade geográfica entre os diferentes locais do estado foram as razões apontadas por Valdir Walendowky para se investir em Santa Catarina enquanto destino turístico.

 

“Queremos fazer um trabalho forte em Portugal, pois temos a certeza que este é um ponto onde podemos colher frutos de toda a Europa, podendo vir fluxos de turistas de outros países europeus para Portugal e daqui para o Brasil”, disse ao presstur.com Valdir Walendowsky, acrescentando que “queremos negociar com a TAP voos para Santa Catarina e há perspectivas de isto se verificar, até porque é uma companhia que viaja por toda a Europa, podendo levar turistas europeus para o nosso estado”.

 

O director de marketing da Santur disse ao presstur.com que o Congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) “despertou o interesse de outras empresas portuguesas em realizarem o seu congresso ou convenção em Santa Catarina e fez com que as agências de viagens portuguesas começassem a vender este destino turístico para os turistas de lazer, para além dos de negócios”.

 

Valdir Walendowsky considera que “o Congresso da APAVT do ano passado trouxe mais alguns turistas para Santa Catarina”, mas defende que “não se pode pedir que se faça promoção de um destino num ano e no ano a seguir se tenha o retorno, é uma questão de tempo”.

 

Entre Janeiro e Agosto, o estado de Santa Catarina recebeu 5 milhões de turistas, sendo a sua maioria brasileiros. Cerca de 10% do total de visitantes do estado provinham de outros países, para além do Brasil, essencialmente de países da América do Sul, nomeadamente da Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Perú e Bolívia, para além de Portugal, Alemanha, Itália, Estados Unidos e Holanda. Os turistas portugueses representam apenas 1% (cerca de 10 mil) do total de visitantes daquele estado brasileiro.

 

  

 

Santa Catarina, “um Brasil diferente”

 

  

 

Com uma costa com cerca de 560 km de extensão onde se encontram mais de 500 praias, Santa Catarina “é um Brasil diferente, na mistura de climas, paisagens e gentes”, sendo caracterizada pela “diversidade de belezas, histórias, sotaques e sabores” que formam o legado das diferentes etnias que constituem as raízes deste estado brasileiro, manifestando-se na arquitectura, na culinária, no folclore e nas festividades.

 

Deste modo, o estado brasileiro de Santa Catarina divide-se em oito regiões turísticas, cujos limites “reproduzem afinidades geográficas, económicas e histórico-culturais”, nomeadamente: Caminho dos Príncipes, Rota do Sol, Grande Florianópolis, Encantos do Sul, Vale Europeu, Serra Catarinense, Vale do Contestado e Grande Oeste.

 

O Caminho dos Princípes é a região mais industrializada do estado, caracterizada pela beleza natural da Serra do Mar e pela herança cultural dos colonizadores europeus, especialmente portugueses, alemães, polacos e ucranianos. São Francisco do Sul é uma cidade histórica portuguesa desta região, sendo a mais antiga de Santa Catarina.

 

O principal destino turístico da Rota do Sol é o Balneário Camboriú que tem a maior rede hoteleira de Santa Catarina. A Rota do Sol tem uma forte influência da cultura açoriana.

 

A capital do estado de Santa Catarina é Florianópolis, uma cidade situada numa ilha costeira que tem a melhor qualidade de vida do Brasil, que oferece cerca de 100 praias onde se podem praticar vários desportos náuticos e radicais.

 

A região Encantos do Sul teve colonização italiana, mas as cidades turísticas do litoral têm origem açoriana, nomeadamente Laguna, Imbituba e Garopaba que são balneários onde se podem observar baleias Franca.

 

O Vale Europeu tem características marcantes da herança colonial alemã visivéis na arquitectura, culinária, folclore e festividades. Esta região é um centro de compras de têxteis, cristais, porcelanas e sapatos, possuindo também muitas opções para a prática de ecoturismo e aventuras radicais, como a prática de rafting no rio Itajaí. É no Vale Europeu que se situa o Santuário de Paulina, o segundo destino de peregrinação religiosa do Brasil, que é visitado por cerca de 80 mil pessoas todos os meses.

 

A Serra Catarinense tem picos que atingem uma altitude de 2 mil metros e é um dos raros locais do Brasil onde neva, oferecendo opções de turismo rural, em hotéis-fazenda.

 

O Vale do Contestado é onde se situa a austríaca Treze Tílias, a localidade onde se encontra a maior concentração de austríacos fora da Aústria. Esta região e o Grande Oeste ocupam quase metade do território do estado de Santa Catarina e oferecem estâncias termominerais.

 

Em Outubro, ocorrem em Santa Catarina 12 festas típicas que atraem cerca de 1 milhão de turistas.

 

O estado dispõe de três aeroportos, nomeadamente em Florianópolis, Joinville e em Navegantes.

 

O sector hoteleiro de Santa Catarina registou um crescimento de 120% nos últimos seis anos, passando de 900 para mais de 2 mil empreendimentos que oferecem cerca de 200 mil camas, de acordo com os dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis.

 

Neste momento este estado brasileiro está a apostar em empreendimentos turísticos de golfe, pois “o Brasil partiu para essa alternativa de turismo e Santa Catarina não fica de fora” disse ao presstur.com o director de marketing da Santur, Valdir Walendowsky.

 

Um destes novos projectos é o “Costão Golfe” anexado ao resort “Costão do Santinho, a cerca de 35 km do centro de Florianópolis. Este empreendimento está a ser contruído, estando marcada a sua inauguração para 2006, tal como é o caso de outros resorts localizados especialmente na costa de Santa Catarina, junto ao Atlântico.
Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo ‘queixa-se’ das “muitas vantagens” da ANA nas negociações sobre o Montijo

16-11-2018 (18h15)

O secretário de Estado das Infra-estruturas, Guilherme d'Oliveira Martins, lamentou-se hoje das "muitas vantagens" atribuídas pelo anterior Governo à ANA e que classificou como "instrumentos fortes" que têm atrasado as negociações sobre o aeroporto complementar do Montijo.

Grupo Douro Azul espera licenciar este ano hotel na escarpa de Gaia

16-11-2018 (18h01)

A Mystic Invest, empresa do universo Douro Azul responsável pelo projecto de um hotel na escarpa da Serra do Pilar, Vila Nova de Gaia, que inclui o restauro da Capela Senhor D'Além, espera lançar o licenciamento ainda este ano.

Algarve precisa de voos de longo curso para compensar quebra do Reino Unido – Chitra Stern, Martinhal Hotels

16-11-2018 (18h01)

Chitra Stern, proprietária e fundadora da Martinhal Hotels & Resorts, defendeu hoje no Congresso da AHP a diversificação de mercados de origem para compensar a quebra do mercado britânico no Algarve, designadamente através da criação de rotas de longo curso de/para Faro.

"O Artista" apresenta-se ao público

16-11-2018 (17h52)

O Artista é um aparthotel boutique de luxo inaugurado recentemente na zona do Rossio em Lisboa, com decoração alusiva ao cinema português da década de 50 e um restaurante com assinatura de Miguel Laffan.

Aparthotel O Artista ‘arranca’ com ocupação acima dos 75%

16-11-2018 (17h43)

O aparthotel O Artista, inaugurado há quatro meses na zona do Rossio, em Lisboa, atingiu uma taxa média de ocupação entre os 75% e os 80% durante este periodo de soft-opening.