Lisboa repete em Fevereiro 3º aumento mais forte de passageiros entre os grande aeroportos europeus

16-04-2018 (15h58)

Lisboa voltou a cotar-se em Fevereiro como o 3º grande aeroporto que cresce mais fortemente, segundo os Tops de crescimento do Airports Council International (ACI) Europe, que indica representar 500 aeroportos em 45 países europeus que anualmente somam 1,9 mil milhões de passageiros e 22,8 milhões de aterragens e descolagens.

O ACI Europe passou em Janeiro a incluir Lisboa no seu Grupo 1, que é constituído pelos 24 aeroportos europeus que anualmente têm mais de 25 milhões de passageiros e logo no primeiro mês Lisboa teve o 3º aumento mais forte, com +15,2%, atrás apenas de Istambul Ataturk (+30,3%) e Istambul Sabiha Gokcen, com +25,3%.

E este quadro repetiu-se em Fevereiro, com Lisboa a cotar-se com o 3º aumento mais forte dos 24 aeroportos do Grupo 1, com +14,9%, atrás apenas dos dois aeroportos de Istambul, Ataturk, com +17,7%, e Sabiha Gokcen, com +15,5%.

Depois de Lisboa, estiveram os aeroportos de Amesterdão Schiphol e Moscovo Sheremetyevo, ambos com +9,6%, e Madrid, com +9,3%.

A informação do ACI indica também que, com 1,85 milhões de passageiros em Fevereiro, Lisboa teve neste mês o 17º maior aeroporto europeu, dez lugares acima de Fevereiro de 2016 e cinco acima de Fevereiro de 2017.

Os dados do ACI indicam que no Top10 dos aeroportos europeus apenas Londres Heathrow parece ter ‘lugar cativo’ no topo, com 5,39 milhões de passageiros (+2,4% que em Fevereiro de 2017).

Este Fevereiro o nº 2 foi Amesterdão, com 4,75 milhões, que tinha sido 3º em 2017 e 4º em 2016, à frente de Istambul Ataturk, com 4,749 milhões, que recupera a posição de 2016, depois de em 2017 ter caído para 4º.

Em 4º ficou Paris Charles de Gaulle, com 4,745 milhões de passageiros, que tinha sido nº2 em 2016 e 2017, e em 5º, como nos anteriores, figura Frankfurt, com 4,36 milhões.

Madrid, com 3,917 milhões de passageiros, foi 6º este Fevereiro, como já tinha sido em 2017 e 2016, seguido por Barcelona, com 3,033 milhões, que em 2016 e 2017 tinha sido 9º, mas este ano ultrapassou Londres Gatwick (2,979 milhões de passageiros) e Munique (2,957 milhões).

O Top10 encerra com Moscovo Sheremetyevo, com 2,779 milhões de passageiros.

 

Clique para mais notícias: Aeroportos europeus

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP confirma A321neo LR na rota Porto – Newark

18-01-2019 (11h56)

A TAP confirmou que a partir de 1 de Junho vai voar entre Porto e Nova Iorque Newark seis vezes por semana com um avião Airbus A321neo Long Range, como o PressTUR noticiou esta terça-feira, dia 15.

Norwegian vai encerrar bases em Espanha, Itália e EUA

18-01-2019 (11h30)

A companhia de aviação Norwegian Air Shuttle anunciou que vai encerrar a partir de Abril várias bases em Espanha, Itália e Estados Unidos, para melhorar o seu desempenho financeiro.

Aeroportos portugueses já ficaram em Novembro abaixo do crescimento médio na União Europeia

17-01-2019 (17h49)

O estancamento do Aeroporto de Lisboa arrastou o país dos tops de crescimento da aviação comercial na União Europeia para níveis inferiores à média, de acordo com o ACI Europa, que até mostrou Faro no Top5 de crescimento em Novembro dos aeroportos com cinco milhões a dez milhões de passageiros por ano.

“A festa poderá estar a acabar em breve”, avisa director-geral do ACI Europa

17-01-2019 (17h47)

O director-geral do ACI Europe, Olivier Jankovec, citado em comunicado da organização, comentou que os dados de Novembro mostram que o transporte aéreo de passageiros “continuam a desafiar um ambiente geopolítico e económico crescentemente desafiador”, mas que “a festa poderá estar a acabar em breve”.

TAP põe A321neo LR a voar para Washington a partir de Outubro

17-01-2019 (16h35)

A TAP, que vai começar a voar entre Lisboa e Washington a 16 de Junho com o novo A330-900neo, vai substituir o avião, a partir de 2 de Outubro, por um A321neo Long Range, o novo avião que foi apresentado como 'pilar' da sua estratégia de redução de custos da operação.