Vila Galé Touros é um dos cinco projectos hoteleiros “mais quentes” na América Latina – TopHotelNews

10-04-2018 (15h46)

Imagem: Vila Galé
Imagem: Vila Galé

A TopHotelNews, especializada em informação para o sector hoteleiro, elegeu o resort que a Vila Galé está a construir em Touros, no Brasil, como um dos cinco projectos hoteleiros “mais quentes” na América Latina, uma região que diz estar “em ascensão como destino turístico” e onde “os hoteleiros inteligentes” estão a investir.

“A América Latina está em ascensão como destino turístico. Os hoteleiros inteligentes estão a optar por investir em locais exóticos e com procura, como México, Brasil e Cuba, devido à procura contínua por alojamento nessas áreas”, escreve Sorcha O’Higgins, editora do TopHotelNews.

A jornalista irlandesa baseada em Buenos Aires indica que estão previstos abrir 314 novos hotéis na América Latina nos próximos anos e destaca em seguida os cinco hotéis “mais interessantes” em pipeline.

O Vila Galé Touros, no litoral do estado brasileiro do Rio Grande do Norte, a cerca de 90 quilómetros de Natal, é um desses projectos.

O grupo hoteleiro português perspectiva inaugurar o resort em Setembro deste ano, após um investimento de cerca de 150 milhões de reais.

O Vila Galé Touros será um resort de luxo de 4-estrelas localizado “ao longo de uma das famosas praias de areias brancas do Brasil”, sublinha o TopHotelNews, destacando que terá 514 quartos e será “destinado a famílias que desejam aproveitar a deslumbrante costa do Brasil”.

O complexo inclui quatro restaurantes, um Spa, um clube infantil, centro de convenções, instalações recreativas e três piscinas ao ar livre.

Outro dos projectos “mais quentes” em construção na América Latina é o Paradisus Cayo Santa Maria, em Cuba, um 5-estrelas de 802 quartos previsto abrir no 4º trimestre deste ano, “num dos locais mais bonitos do planeta”.

A lista inclui ainda o Hard Rock Hotel Los Cabos, no México, que terá 639 quartos e está previsto abrir no primeiro trimestre de 2019, o Dreams Buenaventura Panama Resort & Spa, no Panamá, um 5-estrelas de 614 quartos, e o Hideaway At Royalton Antigua, um 5-estrelas de luxo em Antigua, com 500 quartos e suites.

 

Ver também:

Vila Galé lança primeira pedra do resort de Touros

 

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Vila Galé

Clique para mais notícias: Brasil

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ericeira tem um novo hostel dedicado ao surf

24-05-2018 (12h53)

O Aktion Ericeira Surf Hostel é a mais recente unidade na Ericeira, instalada num edifício novo de três andares que dispõe de quartos duplos e dormitórios a cerca de dez minutos a pé da Praia do Sul.

Novo restaurante de Martin Berasategui em Lisboa é “um projecto para o mundo”

23-05-2018 (20h45)

O Fifty Seconds by Martin Berasategui, que abre em Outubro em Lisboa, no topo do hotel Myriad by Sana, na Torre Vasco da Gama, é "um projecto para o mundo", afirmou o chef basco, que é um dos mais conceituados do mundo, distinguido com oito estrelas Michelin em diferentes restaurantes.

Minor International (Tivoli) reforça participação na espanhola NH Hoteles

23-05-2018 (16h57)

O Minor International, grupo tailandês que comprou os hotéis Tivoli em Portugal e no Brasil, anunciou hoje que comprou mais 8,6% do capital do grupo hoteleiro espanhol NH Hoteles, no qual passa a deter 9,7% do capital.

AHP aponta quebras de ocupação em Março nos hotéis do Algarve, Madeira, Açores e Leiria - Fátima - Templários

23-05-2018 (14h58)

Quatro regiões turísticas portuguesas, entre as quais a maior, o Algarve, e a 3ª maior, a Madeira, tiveram quebras de ocupação da hotelaria em Março, de acordo com o barómetro da AHP, associação da hotelaria portuguesa, ainda que este ano Março compare favoravelmente com o de 2017, pois foi o mês da Páscoa, que no ano passado foi em Abril.

Três maiores emissores ‘custaram’ quase 790 mil dormidas à hotelaria espanhola até Abril

23-05-2018 (14h15)

Reino Unido, Alemanha e França, os três maiores emissores para a hotelaria espanhola, foram também os principais causadores da sua quebra de dormidas no primeiro quadrimestre, com menos quase 790 mil dormidas que no período homólogo de 2017, representando um decréscimo médio em 3,1%.