Turim Hotels abre seis unidades em Portugal até 2020

09-01-2018 (17h20)

Primeiro 5-estrelas da empresa abre este ano na Avenida da Liberdade, Lisboa

O grupo hoteleiro Turim Hotels vai abrir duas unidades este ano, uma em Lisboa e outra no Funchal, e mais quatro até 2020, em Sintra, Lisboa, Porto e Coimbra, anunciou hoje o seu CEO, Ricardo Martins.

A empresa, que actualmente tem dez hotéis em Lisboa, um em Azeitão e três no Algarve, vai abrir este ano o seu primeiro 5-estrelas, o Turim Boulevard, com uma centena de quartos na Avenida da Liberdade, em Lisboa.

A expansão do grupo na capital portuguesa está prevista também através da ampliação do Turim Lisboa Hotel, que actualmente tem 56 quartos e passará a ter 156.

As obras deverão arrancar este ano e levarão 18 a 24 meses, prevê Ricardo Martins, que falava hoje aos jornalistas num almoço.

Lisboa terá ainda mais um hotel do grupo Turim, na Avenida da República, junto ao Campo Pequeno, cujo projecto deverá chegar à Câmara de Lisboa no primeiro trimestre deste ano, para inaugurar em 2020.

Ainda em 2018 o grupo tem previsto inaugurar o Turim Santa Maria Hotel, no Funchal, um 4-estrelas de cem quartos “junto ao Mercado dos Lavradores”, segundo avançou o executivo.

Até final de Março, Ricardo Martins perspectiva que comecem as obras do projecto do Porto, um hotel de 4-estrelas com uma centena de quartos, localizado na Avenida dos Aliados, junto à Câmara do Porto. As obras deverão levar 18 a 24 meses a concluir.

Para Coimbra “a situação ainda é muito embrionária, mas esperamos começar a obra em 2018”, anunciou o CEO da Turim Hotels, especificando que o hotel terá entre 120 e 150 quartos e ficará localizado na Avenida Fernão de Magalhães.

O projecto de Coimbra é “um regresso às raízes”, explicou Ricardo Martins, avançando que o hotel será chamado Turim Rainha Santa, nome da igreja onde os seus pais, fundadores do grupo, se casaram.

Em Sintra, o grupo irá abrir em 2019 o seu segundo 5-estrelas, o Turim Sintra Palace Hotel, que ‘nasce’ a partir de um palacete e terá cem quartos e salas de reuniões e congressos com capacidade para 600 pessoas.

Ricardo Martins recusa avançar o valor do investimento nas seis novas unidades hoteleiras que prevê abrir até 2020, descrevendo-o como “a alma do negócio”, mas garante que nunca irá além dos 130 mil euros por quarto.

Assim, como nos seis novos hotéis anunciados terá cerca de 600 quartos, o grupo terá investido até cerca de 78 milhões de euros.

 

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Turim Hotels

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

W São Paulo abre em 2021 com assinatura de Nini Andrade Silva

16-10-2018 (14h16)

A Marriott International anunciou que vai abrir o seu primeiro hotel de luxo no Brasil em 2021, o W São Paulo, que terá a assinatura da designer portuguesa Nini Andrade Silva.

Receitas da hotelaria portuguesa crescem há 52 meses... mas abrandamento instala-se

15-10-2018 (17h00)

A hotelaria portuguesa concluiu em Agosto o 52º mês consecutivo de aumento dos proveitos, mas já sem os aumentos a dois dígitos que se sucediam desde o primeiro quadrimestre de 2014, tendo registado em Agosto o aumento mais fraco desde 2013, se excluídos os efeitos de calendário pelas alterações da data da Páscoa.

Dormidas de estrangeiros na hotelaria portuguesa caem há cinco meses consecutivos

15-10-2018 (16h53)

"Dormidas de não residentes mantêm tendência negativa", destacou o INE ao divulgar hoje os dados do turismo no alojamento turístico ‘tradicional', evidenciando assim que a quebra ocorrida em Agosto não foi uma excepção.

Lisboa espera arrecadar 36,5 milhões de euros com taxa turística em 2019

15-10-2018 (15h52)

A Câmara Municipal de Lisboa prevê arrecadar 36,5 milhões de euros com a Taxa Municipal Turística em 2019, mais do dobro do estimado em 2018, que foi de 14,4 milhões, anunciou hoje o vereador das Finanças, João Paulo Saraiva.

Número de turistas britânicos na hotelaria portuguesa cai há 11 meses consecutivos

15-10-2018 (15h21)

O turismo internacional na hotelaria portuguesa caiu mesmo em Agosto, tradicionalmente mês de ‘pico’ da actividade turística, especialmente da parte dos cinco maiores emissores europeus e designadamente do maior de todos, o Reino Unido, que regista quedas de hóspedes e dormidas há 11 meses consecutivos.