Sociedade de Mário Ferreira vai apresentar novo estudo para construir um hotel no Douro

17-04-2018 (10h33)

Foto: Município de Mesão Frio - www.facebook.com/aportadodouro/
Foto: Município de Mesão Frio - www.facebook.com/aportadodouro/

A Douro Marina Hotel, sociedade do empresário Mário Ferreira, da Douro Azul, vai apresentar um novo estudo de impacto ambiental após saber que a Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte chumbou um estudo para a construção de um hotel em Mesão Frio, no Douro.

"A Douro Marina Hotel irá agora apresentar um terceiro estudo de impacto ambiental, cumprindo, tal como tem vindo a fazer em todos os passos do processo, as diretrizes da CCDRN, esperando que as mesmas se mantenham coerentes e de boa-fé", lê-se num comunicado enviado à Lusa por aquela sociedade que critica a CCDRN por estar ser "incapaz" de terminar licenciamento".

O jornal "Público", numa notícia publicada ontem, avançou que CCDRN "chumbou" o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) de construção de um hotel com 180 quartos propostos por uma sociedade do empresário Mário Ferreira, para a margem direita do rio Douro, no concelho de Mesão frio.

"A Douro Marina Hotel, SA vem por este meio esclarecer desde logo que o projecto em causa está devidamente aprovado pelas autoridades competentes. A aprovação do projecto está publicada em Diário da República primeiramente em 2002, e depois em 2010, no plano de pormenor da Rede, também publicado em Diário da República", lê-se no comunicado.

A Douro Marina Hotel "estranha" a alteração de critérios entre os dois estudos de impacto ambiental e recorda que o estudo agora chumbado resultou de um pedido da CCDRN "no sentido de complementar informação apresentada no primeiro estudo".

"Os pontos em desconformidade apontados a este EIA não foram identificados no primeiro, pelo que estranhamos e fomos surpreendidos com a alteração dos critérios", acrescenta, lamentando que as alterações têm vindo a ser recorrentes num "processo que se arrasta há já 18 anos".

Os técnicos que validam e aprovam o projecto numa reunião são os "mesmos que apontam desconformidades ao projecto na reunião seguinte", acusa a Douro Marina Hotel, argumentando que o projecto tem uma "dimensão adequada à realidade da região, respeitando o seu caráter histórico".

Para além do hotel, o projecto quer integrar um parque natural de 70 mil metros quadrados desenhado por Sidónio Pardal que, entre outros projectos, desenvolveu o parque da Cidade do Porto.

A Lusa contactou a CCDRN que confirmou ter emitido uma declaração de "desconformidade ao Estudo de Impacte Ambiental do projecto de um hotel proposto pela Sociedade Douro Marina Hotel S.A. para a margem direita do rio Douro, no concelho de Mesão Frio".

"A decisão prende-se com o facto de o Estudo de Impacte Ambiental apresentado não se conformar com o disposto no Regime Jurídico de Avaliação de Impacte Ambiental", refere a declaração da CCDRN.

(PressTUR com Lusa)

 

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Empreendimentos turísticos de Monchique reabrem após grande incêndio

14-08-2018 (18h46)

O Macdonald Monchique Resort & Spa, em Caldas de Monchique, Algarve, vai reabrir na quinta-feira, depois de ter encerrado devido ao incêndio que durante uma semana atingiu a serra de Monchique.

Amadeus concretiza compra da TravelClick por 1,52 mil milhões de dólares

13-08-2018 (18h26)

O Amadeus confirmou já a concretização da compra da TravelClick, que descreve como um reforço do seu portefólio com soluções para a hoteleria designadamente para empresas de média dimensão e independentes.

Apesar da ocupação a cair, subida de preços da hotelaria portuguesa até acelera em Junho

13-08-2018 (17h46)

Os clientes da hotelaria portuguesa pagaram em média este mês de Junho +11% por dormida, ainda que os dados do INE indiquem uma queda da ocupação, tendência que o sector tende normalmente a travar com descidas de preços para estimular a procura.

Hotelaria portuguesa perde 225,7 mil dormidas de estrangeiros em Junho e acaba semestre com menos 132,3 mil

13-08-2018 (16h00)

A hotelaria portuguesa, que estava a viver um ciclo de crescimentos acentuados sustentado pela procura internacional, acabou o primeiro semestre deste ano com queda do número de pernoitas de turistas estrangeiros, em grande medida pela dimensão da quebra em Junho, primeiro mês da época alta, no qual teve menos 225,7 mil (-5,1%) pernoitas de residentes no estrangeiro.

Turistas brasileiros ultrapassam pela primeira vez o milhão de dormidas na hotelaria portuguesa num 1º semestre

13-08-2018 (15h53)

A hotelaria portuguesa somou pela primeira vez num primeiro semestre mais de um milhão de dormidas de turistas residentes no Brasil, que atingiram o total de 1,062 milhões de pernoitas tornando-se, assim, o 5º principal emissor na primeira metade do ano.