PwC mais que duplica previsão de crescimento da RevPAR dos hotéis do Porto este ano

08-03-2017 (14h17)

A consultora PwC aponta o Porto como a cidade europeia onde a hotelaria vai ter este ano a subida mais forte da RevPAR, apontando para um aumento em 14,8%, quando há um ano previa um aumento em 5,8% e cotava o Porto na 3ª posição, depois de Dublin (+8,2%) e Lisboa (+6,9%).

Uma comparação dos dados da edição de 2016 do PwC European Cities Hotel Forecast e a informação entretanto avançada sobre a edição deste ano, que o PressTUR consultou pela imprensa especializada internacional um vez que a sua representação em Portugal não a facultou, mostra que o Porto é o único caso entre as cidades líderes de enorme divergência entre as previsões para 2017 em 12 meses.

Entre a previsão da edição do ano passado do PwC European Cities Hotel Forecast e a informação divulgada na segunda-feira, de acordo com um press release publicado pelo “Hotel News Resource”, a previsão de crescimento da RevPAR da hotelaria do Porto mais que duplica, dando um salto de nove pontos percentuais, de 5,8% para 14,8%.

Este ‘salto’ leva o Porto à liderança do ranking publicado agora pela PwC, quando há um ano a liderança era de Dublin, com uma previsão da subida da RevPAR em 8,2%, entretanto melhorada na edição deste ano para 8,7%, não evitando ainda assim cair para nº 2.

A seguir a Dublin está este ano Budapeste, com um aumento da RevPAR em 6,8%, que há um ano não figurava no ranking, e depois vêm Madrid e Lisboa, respectivamente com aumentos em 5,9% e 5,6%, que significam que no caso da capital espanhola houve um ‘upgrade’ em dois pontos percentuais face aos +3,8% indicados há um ano, e no caso da portuguesa houve um ‘downgrade’ de 1,3 pontos face aos 6,9% indicados há um ano.

Da informação publicada pela PwC no Reino Unido não consta qualquer referência às razões para estas ‘rectificações’, com realce para o caso do Porto, mas na edição de 2016 do PwC European Cities Hotel Forecast a empresa reconhecia, sobre as suas previsões, que embora tivessem apontado na direcção certa, “o crescimento foi bastante superior do que a escala que tínhamos antecipado na nossa última previsão”.

Um dos casos eventualmente foi o de Lisboa, para onde a PwC apontou para um aumento da RevPAR em 2016 em 5,7% e segundo o Observatório do Turismo de Lisboa, que vários hoteleiros descreveram ao PressTUR como a mais fiável fonte de informação sobre os hotéis da capital portuguesa, os hotéis de 5-estrelas terminaram o ano com uma subida de 8,8%, os 4-estrelas com +8,9% e os 3-estrelas com +11,2%.

 

Clique para mais notícias: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Apoios do Governo para projectos turísticos no interior de Portugal ascendem a 310 milhões de euros

15-02-2019 (17h11)

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, afirmou hoje que o Governo apoiou com cerca de 310 milhões de euros investimentos no sector do turismo no interior do país, no âmbito dos programas Valorizar e Portugal 2020.

Espanha foi o único dos grandes emissores europeus a crescer em 2018 na hotelaria portuguesa

14-02-2019 (16h26)

Quatro dos cinco principais emissores europeus para a hotelaria portuguesa evoluíram em baixa no ano passado, acumulando uma quebra de 1,3 milhões de dormidas, que apenas muito parcialmente foi compensada pelo aumento da única excepção, de Espanha, cujos residentes fizeram mais 78,3 mil que em 2017.

Estados Unidos foram emissor internacional que mais aumentou dormidas na hotelaria portuguesa em 2018

14-02-2019 (16h21)

Os Estados Unidos subiram em 2018 a 7º principal emissor internacional para a hotelaria portuguesa, ultrapassando a Irlanda, por um aumento de 313,2 mil pernoitas, que foi o maior do ano de todos os mercados internacionais, seguido pelo Brasil, com mais 189,8 mil, e Canadá, com mais 105,5 mil.

Subida de preços garante 6º ano consecutivo de subida de proveitos da hotelaria portuguesa

14-02-2019 (16h16)

A hotelaria portuguesa manteve em 2018 a tendência de subida de proveitos que iniciou em 2013, mas com suporte apenas nos preços, o que levou a um acentuado abrandamento do crescimento das receitas, que foi superior a 17% nos anos de 2016 e 2017 e no ano passado baixou para 6,5%.

IHG compra dona do Six Senses Douro Valley por 265 milhões de euros

14-02-2019 (14h35)

O InterContinental Hotels Group (IHG) comprou a Six Senses Hotels Resorts Spas, que, entre outros hotéis, gere desde 2015 o Six Senses Douro Valley, em Lamego, por 300 milhões de dólares, cerca de 265 milhões de euros.