Portugal assina com São Tomé e Príncipe primeiro acordo internacional do Revive

14-03-2019 (00h50)

Portugal assinou esta quarta-feira com São Tomé e Príncipe o primeiro acordo internacional do programa Revive, para apoiar a recuperação de edifícios históricos do país africano.

Na assinatura do acordo, na sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, o ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, considerou "muito importante" o acordo.

"Estamos a apoiar São Tomé e Príncipe, que identificou um conjunto de edifícios históricos, de roças, e que vai tentar atribuir, em concessão, exatamente o mesmo modelo do Revive. São edifícios que, ao mesmo tempo, são património de São Tomé e Príncipe, mas também representam, de alguma maneira, parte da História de Portugal", sublinhou.

Pedro Siza Vieira acentuou que o Governo está empenhado na "internacionalização do Revive", programa de valorização do património cultural e histórico e a sua transformação num ativo económico do país, aberto ao investimento privado para desenvolvimento de projetos turísticos, através da realização de concursos públicos.

"O programa Revive está a atrair muito interesse de investidores e esta presença internacional permite ir pontuando com a memória portuguesa", disse.

O Revive reabilita património e afecta-o a uma acividade económica com finalidade turística, para que possa gerar riqueza e postos de trabalho, promover o reforço da atractividade de destinos regionais, a desconcentração da procura e o desenvolvimento de várias regiões do país.

O governante, acompanhado da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, na cerimónia de assinatura do protocolo, assinou um segundo acordo com São Tomé e Príncipe, "o primeiro acordo no domínio do turismo".

"O acordo tem a ver com o plano de acção entre o Turismo de Portugal e o Turismo de São Tomé e Príncipe, para promover acções de promoção e capacitação", explicou Pedro Siza Vieira, que assinou igualmente um protocolo de cooperação técnica de apoio ao turismo com Moçambique.

O membro do Governo referiu que há "vários acordos com outros países da CPLP" e frisou a pretensão de "a cooperação no domínio do turismo" com outros países de língua portuguesa.

O ministro Adjunto e da Economia lembrou a assinatura recente de protocolo celebrado com Angola.

"Tivemos a possibilidade de celebrar um acordo com Angola que já está a ter efeitos: estamos a receber formandos no domínio do turismo provenientes de Angola e vamos continuar a apoiar essa formação", revelou.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: São Tomé e Príncipe

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

AHRESP apresenta propostas de medidas de apoio ao sector

27-03-2020 (14h55)

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) informou hoje que entregou ao Governo um novo conjunto de propostas de medidas de apoio ao sector "que não provoquem um endividamento estrangulador e insustentável no cenário pós-crise".

Grupo Turim ganha concessão para transformar Mosteiro do Lorvão em hotel

26-03-2020 (12h00)

A Imobimacus - Sociedade Administradora de Imóveis, S. A., do Grupo Hotéis Turim, ganhou a concessão de exploração para fins turísticos do Mosteiro do Lorvão, em Penacova, no âmbito do Programa Revive.

Hoti Hotéis vai converter Palacete do Conde Dias Garcia em hotel de 4-estrelas

26-03-2020 (11h58)

A Hoti Star – Portugal Hotéis, S.A., ganhou a concessão de exploração para fins turísticos do Palacete do Conde Dias Garcia, em São João da Madeira, no âmbito do Programa Revive.

Vila Galé lança serviço de take away em Lisboa e Porto

24-03-2020 (16h25)

O grupo hoteleiro Vila Galé lançou um serviço de take away para almoços e jantares em Lisboa e no Porto.

Plano de redução temporária de pessoal da Globalia abrange 15 mil funcionários

24-03-2020 (12h46)

O Grupo Globalia, que detém, entre outras empresas, a companhia de aviação Air Europa, a rede de agências de viagens Halcón Viajes, o operador turístico Travelplan e a cadeia hoteleira Be Live avançou com um processo de redução temporária de 15 mil trabalhadores.

Noticias mais lidas