Portugal assina com São Tomé e Príncipe primeiro acordo internacional do Revive

14-03-2019 (00h50)

Portugal assinou esta quarta-feira com São Tomé e Príncipe o primeiro acordo internacional do programa Revive, para apoiar a recuperação de edifícios históricos do país africano.

Na assinatura do acordo, na sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, o ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, considerou "muito importante" o acordo.

"Estamos a apoiar São Tomé e Príncipe, que identificou um conjunto de edifícios históricos, de roças, e que vai tentar atribuir, em concessão, exatamente o mesmo modelo do Revive. São edifícios que, ao mesmo tempo, são património de São Tomé e Príncipe, mas também representam, de alguma maneira, parte da História de Portugal", sublinhou.

Pedro Siza Vieira acentuou que o Governo está empenhado na "internacionalização do Revive", programa de valorização do património cultural e histórico e a sua transformação num ativo económico do país, aberto ao investimento privado para desenvolvimento de projetos turísticos, através da realização de concursos públicos.

"O programa Revive está a atrair muito interesse de investidores e esta presença internacional permite ir pontuando com a memória portuguesa", disse.

O Revive reabilita património e afecta-o a uma acividade económica com finalidade turística, para que possa gerar riqueza e postos de trabalho, promover o reforço da atractividade de destinos regionais, a desconcentração da procura e o desenvolvimento de várias regiões do país.

O governante, acompanhado da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, na cerimónia de assinatura do protocolo, assinou um segundo acordo com São Tomé e Príncipe, "o primeiro acordo no domínio do turismo".

"O acordo tem a ver com o plano de acção entre o Turismo de Portugal e o Turismo de São Tomé e Príncipe, para promover acções de promoção e capacitação", explicou Pedro Siza Vieira, que assinou igualmente um protocolo de cooperação técnica de apoio ao turismo com Moçambique.

O membro do Governo referiu que há "vários acordos com outros países da CPLP" e frisou a pretensão de "a cooperação no domínio do turismo" com outros países de língua portuguesa.

O ministro Adjunto e da Economia lembrou a assinatura recente de protocolo celebrado com Angola.

"Tivemos a possibilidade de celebrar um acordo com Angola que já está a ter efeitos: estamos a receber formandos no domínio do turismo provenientes de Angola e vamos continuar a apoiar essa formação", revelou.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: São Tomé e Príncipe

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Club Med fecha resort na ilha de Itaparica, na Bahia

22-03-2019 (08h32)

O Club Med vai encerrar a 31 de Julho o seu resort na ilha de Itaparica, no estado brasileiro da Bahia, indicando que “já não se encontrava à altura das expectativas e exigências dos nossos clientes”.

Projecto de lei aprovado reduz quartos para pessoas com mobilidade reduzida no Brasil

21-03-2019 (18h25)

O projecto de lei que retira o limite ao investimento estrangeiro em companhias aéreas brasileiras também vai alterar pontos na Política Nacional de Turismo do Brasil, como a redução da percentagem do número de quartos para pessoas com mobilidade reduzida.

Projecto de remodelação do Praia D'El Rey Marriott foi concluído

21-03-2019 (15h51)

O Praia D’El Rey Marriott Golf & Beach Resort, no concelho de Óbidos, completou este ano uma remodelação de quatro milhões de euros, que visa tornar a unidade uma referência na Península Ibérica.

Dormidas de turistas portugueses na Alemanha sobem 7,5% em 2018

20-03-2019 (17h45)

A Alemanha somou 484,4 mil dormidas de turistas portugueses em 2018, o que corresponde a um aumento de 7,5% face ao ano anterior, mas representa um abrandamento face ao crescimento alcançado em 2017.

Travelplan alerta agentes de viagens para entrada em vigor da "ecotaxa" no México

20-03-2019 (16h18)

O operador turístico Travelplan está a alertar os agentes de viagens para a entrada em vigor de um imposto de saneamento ambiental no México, designado "ecotaxa", no valor de cerca de 1 euro por quarto, por noite.