Minor quer mais hotéis em Portugal, Brasil, Moçambique e até expandir para Angola

22-06-2016 (16h05)

“A marca Tivoli é uma das mais antigas que existe. Tem 85 anos. E essa é uma das razões pelas quais comprámos a Tivoli, porque a marca é muito forte”, comentou ontem o CEO da Minor Hotels acerca da estratégia do grupo a partir dessa aquisição, ao garantir que tenciona manter a Tivoli como uma das marcas do grupo.

“Essa é a razão pela qual comprámos o grupo”, chegou a afirmar Dillip Rajakarier, que garantiu querer mais hotéis com essa marca, e não apenas em Portugal.

 

— Que planos tem o grupo para o Brasil?

Dillip Rajakarier: Temos dois hotéis no Brasil e estamos a olhar para mais, tanto para a Tivoli como para as nossas outras marcas.

 

— E também pretende ter mais hotéis em Portugal?

Dillip Rajakarier: Sim.

 

— Quantos?

Dillip Rajakarier: Não temos um número de hotéis que achemos necessário ter. Estamos de momento a gastar o nosso dinheiro a renovar os empreendimentos para o padrões adequados. E também estamos a gastar dinheiro em colocar sistemas e a pôr pessoas na estrutura. Uma vez que tenhamos isso feito, teremos uma plataforma a partir da qual poderemos começar a expandir. Queremos ir um passo de cada vez.

 

— E o Minor Group também quer trazer outras marcas para Portugal?

Dillip Rajakarier: Sim. Eu acho que Portugal consegue facilmente receber outra marca de 5-estrelas. Acho que poderemos trazer uma das nossas melhores marcas. Será a Anantara.

 

— Vão começar no Victoria (clique para ler: Primeiro resort Anantara na Europa vai ser no Algarve)?

/empresas---negocios/primeiro-resort-anantara-na-europa-vai-ser-no-algarve-2/

Dillip Rajakarier: Sim esse é o plano para o futuro.

 

— Mas procura mais hotéis para essa marca em Portugal?

Dillip Rajakarier: Acho que poderá haver mais alguns.

 

— Dos que existem com a marca Tivoli?

Dillip Rajakarier: Sim.

 

— E no Brasil também?

Dillip Rajakarier: Sim. Mas no Brasil vamos manter os dois Tivoli, porque são muito fortes. E estamos a procurar acrescentar mais Tivoli no Brasil.

 

— Comprar, arrendar, gerir?

Dillip Rajakarier: Não temos uma coisa fixa. Não compramos apenas, não gerimos apenas. Podemos fazer joint-ventures, podemos comprar, podemos fazer franchises, fazer parcerias, estamos muito abertos.

 

— Também estão noutro mercado de língua portuguesa, Moçambique. Quais os vossos planos para este mercado?

Dillip Rajakarier: Actualmente temos cinco hotéis em Moçambique, Anantara e Avani. E estamos à procura de mais, mas de momento Moçambique está a enfrentar desafios difíceis.

 

— Como o Brasil.

Dilip Rajakarier: Sim, o Brasil também. Cada país tem os seus próprios desafios. Mas eu acho que no futuro poderemos levar a [marca] Tivoli para Moçambique, Angola, os países africanos de língua portuguesa, porque  as pessoas conhecem a marca. Há muitas pessoas de Angola que vêm aqui. Há muitas pessoas de Moçambique que vêm aqui...

 

Ver também:

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Adaptação do Mosteiro de Lorvão para fins turísticos implica investimento de 6 milhões de euros

19-12-2018 (09h55)

A transformação do Mosteiro de Lorvão, em Penacova, numa unidade hoteleira com 90 quartos, no âmbito do programa Revive, implica um investimento de seis milhões de euros pelo concessionário.

Assembleia Municipal de Lisboa aprova aumento da taxa turística para dois euros

18-12-2018 (19h23)

A Assembleia Municipal de Lisboa (AML) aprovou a duplicação da Taxa Turística na capital, de um para dois euros por noite, no âmbito das alterações ao Regulamento Geral de Taxas, Preços e Outras Receitas do município.

Banco de Portugal identifica “alterações estruturais” no sector do turismo português

18-12-2018 (18h10)

O Banco de Portugal identificou hoje "alterações estruturais no sector turístico em Portugal, que terão contribuído para o elevado dinamismo registado pelas exportações deste tipo de serviços e que poderão igualmente sustentar um crescimento forte no horizonte de projecção".

Ministro da Economia quer 33 projectos do programa Revive até ao final de 2019

18-12-2018 (18h08)

O Governo pretende lançar, até ao final do próximo ano, os 33 projectos que fazem parte do programa Revive, que visa valorizar e recuperar o património do Estado sem uso, anunciou hoje o ministro Adjunto e da Economia.

Novo resort de luxo da Meliá em Cayo Santa Maria (Cuba) já abriu

18-12-2018 (17h37)

A Meliá já abriu o seu novo resort de luxo em Cayo Santa Maria, o 5-estrelas Paradisus Los Cayos, um hotel que alguns agentes de viagens e operadores turísticos portugueses e espanhóis tiveram a oportunidade de visitar durante uma famtrip a Cuba em Novembro.