Lisboa vai ter o primeiro Hyatt Regency do país em 2020

20-05-2019 (11h31)

Imagem: Hyatt
Imagem: Hyatt

A Hyatt assinou um acordo com a Realtejo - Hotelaria e Turismo, SA, subsidiária da United Investments Portugal (UIP) e da Fibeira, para desenvolver o primeiro hotel da marca Hyatt em Portugal, uma unidade de cerca de 200 quartos, junto ao Centro de Congressos de Lisboa, com vista para o Tejo.

O Hyatt Regency Lisboa vai ter cerca de 200 quartos e apartamentos e deverá abrir em 2020, segundo um comunicado.

Localizado entre a Rua Guerra Junqueiro e a Avenida da Índia, o hotel estará próximo da Torre Bélem e do Mosteiro Jéronimos, bem como do Centro de Congressos de Lisboa.

O Hyatt Regency Lisbon, que terá Spa, piscina, bar na cobertura com vista para o rio, pátio e jardim, é apresentado como uma opção “para viajantes de negócios e de lazer que procuram uma experiência perfeita”.

Citado no comunicado, Nuno Galvão-Pinto, vice-presidente regional de desenvolvimento da Hyatt, destaca que “Lisboa é uma das principais cidades da Europa em número de dormidas e rapidamente se estabeleceu como um destino privilegiado não só para turistas, mas também para convenções e eventos maiores”.

“Estamos ansiosos por trabalhar com a United Investments Portugal neste emocionante projecto em Lisboa. Este é um passo importante para a Hyatt à medida que procuramos expandir a nossa presença de marca em Portugal”, acrescentou Nuno Galvão-Pinto.

Carlos Leal, director geral da United Investments Portugal (UIP), manifestou entusiasmo “por trabalhar com a Hyatt no nosso primeiro empreendimento em Lisboa, numa das principais cidades ribeirinhas de uma das principais cidades do mundo. Com o seu clima quente, cultura, história, gastronomia e praias, Lisboa realmente tem tudo”.

Os hotéis da marca Hyatt Regency, de acordo com o comunicado, propõem “um ambiente livre de stress para quem viaja em lazer e negócios”, onde “os hóspedes podem desfrutar de serviços e comodidades exclusivas, incluindo alimentos e bebidas notáveis, espaços flexíveis para trabalhar, colaborar ou relaxar, instalações amplas com tecnologia para reuniões e eventos, além de planeadores especializados que atendem a todos os detalhes”.

O Hyatt Regency Lisbon, que segundo avançou o “Jornal Económico” resulta de um investimento de 70 milhões de euros, integra a estratégia de crescimento da marca na Europa, juntando-se ao Hyatt Regency Nice Palais de la Méditerranée, e aos hotéis previstos abrir brevemente Hyatt Regency Barcelona Fira e Hyatt Regency Hesperia Madrid.

A incursão em Lisboa, segundo o comunicado, “é um marco importante para a Hyatt, significando a crescente presença da marca em mercados cada vez mais competitivos em todo o continente”.

“O número de turistas que visitam Portugal aumentou durante oito anos consecutivos, com 12,8 milhões de turistas apenas em 2018”, acrescenta a Hyatt.

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Hyatt

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Convento do Carmo em Moura vai ser um 4-estrelas após investimento de seis milhões

21-08-2019 (21h22)

A Sociedade de Promoção de Projetos Turísticos e Hoteleiros (SPPTH), gestora do Convento do Espinheiro, em Évora, venceu a concessão do Convento do Carmo, em Moura, que irá converter num hotel de 4-estrelas para abrir em 2022, após um investimento de seis milhões de euros.

RIU Palmeras reabre após investimento de 22 milhões de euros

20-08-2019 (15h02)

A RIU Hotels & Resorts anunciou que reabriu o seu primeiro hotel localizado na Gran Canária, o Riu Palmeras, após uma renovação em que investiu 22 milhões de euros.

Trabalhadores dos hotéis da Fundação INATEL estão hoje em greve

16-08-2019 (12h43)

Os trabalhadores do sector hoteleiro da Fundação INATEL estão hoje em greve para reivindicar melhorias salariais e a um horário de trabalho de 35 horas semanais.

EUA subiram em Junho a maior mercado fora da Europa para a hotelaria portuguesa

14-08-2019 (17h00)

Os turistas residentes nos Estados Unidos foram no mês de Junho os não europeus que fizeram mais dormidas na hotelaria portuguesa, ultrapassando os brasileiros, e cotaram-se como o 5º principal emissor internacional, a seguir a Reino Unido, Alemanha, França e Espanha.

Turistas vêm mais a Portugal, mas ficam cada vez menos tempo

14-08-2019 (16h52)

O alojamento turístico português viu-se mais uma vez confrontado em Junho com um maior afluxo de turistas estrangeiros que não se traduz na mesma proporção em dormidas, porque a estada média cai desde pelo menos 2013, tendo pela primeira vez sido inferior às três noites.

Noticias mais lidas