Hotelaria portuguesa prevê melhorar RevPAR este Verão – AHP

12-07-2018 (11h36)

A hotelaria portuguesa prevê este Verão alcançar níveis semelhantes a 2017 a nível de ocupação e estada média, mas aumentar a receita de quartos por quarto disponível (RevPAR) e o preço médio por quarto disponível (ARR), conclui um inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP).

O inquérito foi realizado entre 29 de Maio e 21 de Junho com base nas pré-reservas efectuadas em hotéis associados, com uma amostra de 40%.

A AHP indica que 71% dos hoteleiros perspectiva que este Verão a RevPAR será melhor ou muito melhor que no Verão de 2017, e 72% prevê melhorar o preço médio por quarto disponível (ARR).

Lisboa é a região em destaque a nível de previsões para a RevPAR, com 84% dos inquiridos a responder que perspectiva obter resultados melhores ou muito melhores.

A nível de ocupação por quarto, 61% dos inquiridos perspectiva alcançar uma taxa superior a 80%, enquanto 31% prevê alcançar uma taxa entre 61% e 80%, 7% prevê ter entre 41% e 60% e apenas 1% estima alcançar uma taxa de ocupação até 40%.

As respostas indicam que 45% dos inquiridos perspectiva alcançar este Verão uma taxa de ocupação igual à do ano passado e 39% prevê melhorar o indicador, enquanto 2% prevê alcançar um resultado muito melhor e 11% prevê uma taxa pior.

A AHP especifica que os inquiridos do Norte, Centro e Açores consideram que a taxa de ocupação será melhor do que no Verão do ano passado.

Relativamente a estada média, 76% dos hoteleiros portugueses estima que será igual à do ano anterior, sendo que 45% espera uma estada média entre um e três dias e 37% entre três a cinco dias.

A maior duração das estadas - cinco a dez dias - é esperada no Algarve e na Madeira (65% dos inquiridos), sendo que 67% dos inquiridos dos Açores prevê uma estada média de três a cinco dias.

Os hoteleiros apontam o mercado interno (18%), Espanha e França (15%) como sendo os principais para este Verão, destacando-se também a melhoria das expectativas para o mercado francês e brasileiro, com 45% e 44% dos hoteleiros, respetivamente, a indicarem que a evolução destes mercados será melhor ou muito melhor que no Verão do ano anterior.

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, citada em comunicado, afirmou que “não há grandes surpresas” e que “os hoteleiros estão relativamente menos optimistas em termos de crescimento da ocupação, mas porque as taxas de ocupação são já tradicionalmente elevadas nesta época do ano (no ano passado fechámos o verão com uma TO de 86%)”.

Tal como no inquério de 2017, a perspectiva é que “o ARR e o RevPAR sejam melhores do que no ano anterior, o que aliás tem acompanhado o crescimento que se tem verificado nestes indicadores desde o início de 2018”, acrescentou Cristina Siza Vieira.

 

Ver também:

Hotéis do Algarve e da Madeira perspectivam quebra do mercado britânico este Verão – AHP 

 

Clique para ver mais: AHP

Clique para ver mais: Hotelaria portuguesa

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Marriott e Alibaba testam check-in com reconhecimento facial

16-07-2018 (16h05)

A joint-venture da rede hoteleira Marriott International e do Alibaba Group, detentora da plataforma de serviços de turismo Fliggy, anunciou que vai testar tecnologia de check-in com reconhecimento facial em duas unidades na China.

Flor de Sal é o novo restaurante do Cabanas Park Resort

16-07-2018 (15h23)

O Cabanas Park Resort, em Tavira, vai contar com um novo restaurante a partir de quinta-feira, dia 19, o Flor de Sal, resultado de uma parceria entre a cadeia hoteleira AP Hotels e a marca de vinhos Quinta de São Sebastião.

Tryp Lima Miraflores vai ser inaugurado no primeiro dia de Agosto

16-07-2018 (12h31)

O Tryp Lima Miraflores, segunda unidade da Meliá Hotels International em Lima, no Peru, vai ser inaugurado no dia 1 de Agosto.

UE insta Airbnb a cumprir legislação europeia e ameaça com medidas coercivas

16-07-2018 (11h57)

A Comissão Europeia instou hoje o Airbnb a harmonizar as suas condições de utilização com as normas de defesa do consumidor da União Europeia (UE) e a ser mais transparente na apresentação dos preços, sob pena de sofrer medidas coercivas.

Proveitos da hotelaria portuguesa ‘disparam’ 9,1% em Maio apesar da quebra da procura internacional

13-07-2018 (17h00)

A hotelaria portuguesa conseguiu facturar em Maio +9,1% ou mais 28,6 milhões de euros que em 2017, ainda que tenha registado um ‘magro’ aumento das dormidas em 1,1% e, inclusivamente, uma quebra de 0,2% das pernoitas de turistas estrangeiros.