“Havia uma necessidade evidente” de requalificar o posicionamento online da hotelaria portuguesa – Cristina Siza Vieira, AHP

16-05-2018 (21h37)

Um estudo da AHP concluiu que 7% dos hotéis em Portugal não tem website e que, dos 1.406 que têm, 30% não tem motor de reservas, uma lacuna que a Associação pretende colmatar com o Click2Portugal, um agregador para venda directa de todos os hotéis portugueses.

A análise da AHP aos 1.511 hotéis e hotéis apartamentos registados no RNET até 29 de Maio de 2016 indica que 105 unidades, que correspondem a 7% do total, não tem website.

Das 1.406 unidades que têm website, 30% ou 426 não têm motor de reservas e 12% ou 175 não têm sequer um formulário para efectuar uma reserva, o que é “claramente uma situação débil”, frisou Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, na apresentação da plataforma à imprensa esta quarta-feira, dia 16.

Acresce ainda que um quarto dos hotéis portugueses apenas tem tradução em inglês nos seus websites, o que pode ser “desmotivador” para alguns utilizadores.

Desta forma, a AHP concluiu que “havia uma necessidade evidente de requalificar a hotelaria nacional no seu posicionamento online”, frisou a presidente executiva da Associação, para salientar que “a melhoria do nível individual de cada um tem impacto sobre a média do todo, tem impacto sobre a forma como Portugal é visto e como se vende”.

Mas além de melhorar a presença online, o Click2Portugal também pretende “aumentar as reservas directas” dos hotéis, frisou na mesma apresentação Pedro Colaço, da empresa de soluções de e-commerce para hotelaria GuestCentric.

Uma análise às reservas de hotéis na Europa, segundo um estudo da Phocuswright citado na apresentação da AHP, indica que em 2013 as vendas directas representavam 9% do total de reservas, as OTAs representavam 22% e outros canais, 69%.

Em 2017, as vendas directas subiram para 12% do total das reservas de hotéis na Europa, assim como subiram as vendas através das OTAs, para 26%, e caíram as reservas em outros canais, para 62% do total.

 

Clique para mais notícias: AHP

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Vila Galé já tem acordo para edifício do Vila Galé Paulista em São Paulo - Jorge Rebelo de Almeida

17-10-2018 (17h17)

A Vila Galé já chegou a acordo para a aquisição de um edifício em São Paulo, que pretende transformar no hotel Vila Galé Paulista, o seu primeiro hotel na maior metrópole brasileira, que o presidente do grupo, Jorge Rebelo de Almeida, avançou ao PressTUR terá 110 quartos, restaurante, bar e piscina.

Construção do Vila Galé Costa do Cacau deverá começar em Abril/Maio – Jorge Rebelo de Almeida

17-10-2018 (17h09)

A construção do Vila Galé Costa do Cacau, um resort com 450 unidades de alojamento em Una, perto de Ilhéus, uma zona da Bahia celebrizada pelos livros de Jorge Amado, deverá começar em Abril/Maio de 2019, para concluir no final de 2020, avançou ao PressTUR o presidente do grupo, Jorge Rebelo de Almeida.

AHP confirma hotelaria portuguesa mais rentável mesmo com ocupação em queda

17-10-2018 (16h59)

O AHP Tourism Monitor publicado hoje pela AHP, Associação da Hotelaria de Portugal, indica que em Agosto, mês de maior actividade hoteleira em Portugal, apesar de uma queda da ocupação dos quartos em 1,3 pontos, a receita média de quartos por quarto disponível subiu 4%, ‘puxada’ por uma subida do preço médio de quartos em 6%.

W São Paulo abre em 2021 com assinatura de Nini Andrade Silva

16-10-2018 (14h16)

A Marriott International anunciou que vai abrir o seu primeiro hotel de luxo no Brasil em 2021, o W São Paulo, que terá a assinatura da designer portuguesa Nini Andrade Silva.

Receitas da hotelaria portuguesa crescem há 52 meses... mas abrandamento instala-se

15-10-2018 (17h00)

A hotelaria portuguesa concluiu em Agosto o 52º mês consecutivo de aumento dos proveitos, mas já sem os aumentos a dois dígitos que se sucediam desde o primeiro quadrimestre de 2014, tendo registado em Agosto o aumento mais fraco desde 2013, se excluídos os efeitos de calendário pelas alterações da data da Páscoa.