Grupo HPD investe cerca de 8 milhões de euros no Sheraton Porto e em casa para eventos na Foz

11-07-2019 (14h09)

O Grupo HDP investiu perto de oito milhões de euros na remodelação do hotel Sheraton Porto e na Casa de Montevideu, um espaço para eventos localizado na zona da Foz que visa complementar a oferta no segmento de acontecimentos sociais.

Num encontro com jornalistas no âmbito dos 15 anos do hotel Sheraton Porto Hotel & SPA, a diretora-geral, Joana Almeida, explicou que a nova Casa de Montevideu é “um espaço ‘premium’ para organização de eventos até 200 pessoas”, cuja gestão e ‘catering’ são assegurados pelo Sheraton.

“O hotel tem uma oferta maioritariamente ‘corporate’ [empresarial] a nível de eventos e reuniões. Apesar da componente de lazer, não estamos tão vocacionados para eventos sociais e a Casa de Montevideu vem complementar a nossa oferta”, disse.

Adquirido em 2017 pelo grupo HDP – Hotéis de Portugal (‘holding’ de capitais brasileiros e portugueses que detém os hotéis Sheraton de Lisboa e Porto e duas outras unidades hoteleiras no Algarve), o imóvel da Casa de Montevideu foi recuperado mantendo a fachada original e acolheu o seu primeiro evento em 28 de Junho.

Em fase final está ainda o investimento da HDP na remodelação do hotel Sheraton Porto, orçada em cerca de dois milhões de euros e que decorreu ao longo dos últimos dois anos, focando-se sobretudo na renovação dos quartos, materiais e equipamentos.

No total, o investimento do grupo na aquisição e recuperação da Casa de Montevideu e nas obras de remodelação do Sheraton Porto, a concluir este ano, ascendeu a “sete a oito milhões de euros", avançou Joana Almeida.

De acordo com a diretora-geral, o Sheraton Porto Hotel & SPA deverá terminar o ano com uma taxa de ocupação média de 77% a 79% nos seus 265 quartos e receitas totais de 14,8 milhões de euros, que comparam com 14 milhões de euros no ano passado.

Espanha, França, Alemanha e Reino Unido são os principais mercados emissores dos turistas que se hospedam no hotel, mas a directora destaca ainda o crescimento que têm vindo a registar os turistas americanos e brasileiros e, mais recentemente, o asiático, fruto das novas rotas inauguradas no Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Porto lidera aumento de dormidas na hotelaria em Julho

16-09-2019 (16h32)

O Porto foi o município com o maior aumento de dormidas em Julho, com mais 49,7 mil pernoitas que no mês homólogo de 2018 (+12,2%), mas sem pôr em causa a liderança do município de Lisboa em número de dormidas, com 1,326 milhões, que significaram 16,3% do total do país.

Quebra generalizada da estada média ‘come’ aumento de turistas alojados na hotelaria portuguesa

16-09-2019 (15h31)

O tempo médio de permanência de turistas em alojamentos turísticos portugueses caiu de forma generalizada no mês de Julho, pelo que, levando a que apesar se ter registado um aumento em 5,4% do número de hóspedes, em número de dormidas essa maior afluência de clientes traduziu-se num aumento de apenas 2,2%.

Mês de férias no Brasil ‘dá’ mais 51,7 mil dormidas ao alojamento turístico português

16-09-2019 (14h19)

Apesar das quebras de dormidas de nove dos 16 maiores emissores internacionais, a hotelaria portuguesa acabou Julho com mais 111,6 mil dormidas de turistas residentes no estrangeiros, graças nomeadamente ao aumento de 51,7 mil dormidas de residentes no Brasil, onde o mês de Julho é um dos mais fortes em turismo e viagens.

Maioria dos maiores emissores internacionais faz menos dormidas na hotelaria portuguesa em Julho

16-09-2019 (13h30)

A hotelaria portuguesa teve este mês de Julho quebras de dormidas de nove dos 16 principais emissores internacionais, as maiores das quais de turistas residentes nos Países Baixos (menos 26,5 mil), na Alemanha (menos 22,6 mil), no Canadá (menos 21 mil) e na Bélgica (menos 15 mil).

OTA de hotéis Amoma cessa e culpa “comparadores de preços”

16-09-2019 (11h08)

A agência de reservas hoteleiras Amoma, em www.amoma.com, que no ano passado teve vendas superiores a 500 milhões de euros, anunciou que cessa actividade e não terá como assegurar o respeito pelas responsabilidades contraídas para com os clientes.

Noticias mais lidas