Forte da Ínsua em Caminha reabre em 2022 como centro turístico com alojamento de 4-estrelas

17-02-2020 (15h43)

O Forte da Ínsua, em Caminha, "abandonado há décadas", vai reabrir no início de 2022 transformado em centro de actividades turísticas com alojamento, "num conceito de quatro estrelas", revelou o presidente da câmara à Lusa.

A concessão do Forte da Ínsua, no âmbito do Programa Revive, foi adjudicada à Diverlanhoso, também responsável por um parque aventura na Póvoa de Lanhoso, no distrito de Braga.

A concessão tem uma duração de 50 anos e uma renda anual de 1.001 euros, segundo um comunicado do Gabinete do ministro de Estado, da Economia e Transição Digital.

O Forte da Ínsua, construído entre 1649 e 1652, encontra-se numa pequena ilha rochosa, na foz do rio Minho, perto da costa. Está situado na Ínsua de Santo Isidro, na freguesia de União das Freguesias de Moledo e Cristelo, em Caminha, no distrito de Viana do Castelo.

O projecto vencedor prevê a "instalação de um estabelecimento de alojamento local no interior da fortaleza, respeitando todas as regras de preservação do edificado histórico".

O novo espaço, "na modalidade de estabelecimento de hospedagem", terá "cerca de oito quartos duplos e um conjunto de áreas de apoio que permitirão criar zonas de estar, salas de refeições, zonas de apoio e outras estruturas, sempre numa lógica de interpretação e valorização do espaço".

O complexo turístico proposto pela empresa vencedora irá "desenvolver um conjunto de atividades de animação turística na área do ‘touring' cultural e paisagístico", explicou o presidente da câmara de Caminha.

O autarca acrescentou que "o projeto aposta na animação turística de um espaço monumental, numa ligação ao mar, ao estuário do rio Minho, à praia de Moledo, à Foz do Minho e à margem galega".

"Para além de sessões com recriações históricas dirigidas a públicos específicos e atividades de ‘scape rooms' que promovam espírito de grupo, a oferta será valorizada com elementos de realidade aumentada que tornem a experiência vivida mais imersiva".

Segundo Miguel Alves, "toda a acção prevista para o edificado será complementada com ‘tours’ ao longo do curso do rio Minho (aquáticos, rodoviários e cicláveis), atividades de água em rio e mar, estando prevista a aquisição de ‘hovercrafts' e de um veículo anfíbio, que também poderão assegurar o transporte para a ilha".

O projecto empresarial prevê ainda a realização de "diversas atividades na costa, aproveitando todo o potencial natural e paisagístico da região".

"O projecto vencedor assegura aquilo que muitos sonhavam e todos queríamos. A valorização de um dos símbolos maiores do concelho e da região, o aproveitamento de um edificado em abandono, o lançamento de uma nova atividade económica no concelho que vai trazer mais gente, criar mais emprego e honrar o passado e o futuro da nossa terra", afirmou Miguel Alves.

A abertura do complexo turístico proposto pelo promotor português "deverá acontecer 24 meses após a adjudicação do júri do concurso presidido pela Câmara Municipal de Caminha".

"Se é verdade que a economia de Caminha tem vindo a afirmar-se nos últimos anos com um forte investimento na área do turismo, não deixa de ser importante continuar a trabalhar para manter em baixa os números de desemprego e continuar bater recordes, como fizemos nos últimos cinco anos, relativamente ao elevado número de hóspedes e dormidas que temos vindo a ter no concelho", salientou o autarca.

Lançado em 2016, o Revive é um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que visa promover a recuperação e a requalificação de imóveis públicos classificados que estão sem uso, através da concessão a privados para exploração para fins turísticos.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Accor coloca 20 hotéis à disposição das autoridades

02-04-2020 (16h59)

O grupo Accor está a colocar à disposição das autoridades 20 unidades hoteleiras em Portugal e Espanha para contribuir para o combate à pandemia do novo coronavírus.

Marriott International alvo de roubo de informação de clientes

31-03-2020 (16h15)

A Marriott International anunciou que está a entrar em contacto com alguns dos seus hóspedes depois de ter sido detectada uma fuga de informação relativa a 5,2 milhões dos seus clientes, em Fevereiro deste ano.

AHP considera novas medidas de lay off “correctas e ponderadas”

31-03-2020 (14h13)

O presidente da AHP – Associação da Hotelaria de Portugal, Raul Martins, afirmou que as medidas de lay off “são correctas e ponderadas e vão ao encontro do que é necessário para continuar a garantir os postos de trabalho e assegurar que teremos capacidade no futuro para retomar a nossa actividade, mantendo os nossos excelentes profissionais”, e pediu uma extensão do prazo de reembolso do financiamento através das linhas de apoio vigentes para três anos.

Airbnb anuncia 250 milhões de dólares para anfitriões afectados por cancelamentos

31-03-2020 (13h26)

A plataforma de aluguer de alojamento Airbnb anunciou que vai investir 250 milhões de dólares para ajudar os anfitriões afectados por cancelamentos de reservas para entradas entre 14 de Março e 31 de Maio.

Hotéis em Portugal enviam milhares de bens para equipar hospital de campanha em Lisboa, AHP

30-03-2020 (16h56)

A AHP – Associação da Hotelaria de Portugal anunciou que vários hotéis enviaram milhares de bens como lençóis, almofadas e cobertores para equipar o hospital de campanha no Estádio Universitário de Lisboa.

Noticias mais lidas