Director da Riu para Andaluzia e Portugal antecipa 2018 positivo

16-04-2018 (15h34)

O director de Operações da Riu Hotels & Resorts para Portugal e Andaluzia, Ricardo Luque Navas, disse ao PressTUR estar confiante que 2018 será um ano positivo, sem previsão de grandes mudanças em consequência da recuperação de destinos concorrentes.

Os quatro hotéis da Riu na Andaluzia e o Riu Guarana, no Algarve, tiveram “um 2017 muito positivo, muito bom”, disse Ricardo Navas ao PressTUR durante uma visita ao ClubHotel Riu Chiclana, recentemente renovado (clique para ler: ClubHotel Riu Chiclana reabre após renovação completa).

Para este ano, o executivo não prevê que a recuperação de destinos como a Tunísia, o Egipto ou a Turquia ponha em causa a procura pelo Algarve e Andaluzia.

A recuperação desses destinos “não está a afectar a procura, neste momento”, afirmou.

As vendas para os resorts da Riu na Andaluzia e Portugal são feitas sobretudo através de operadores turísticos e agências de viagens, mas “as pessoas cada vez mais compram também através da internet”.

A nível internacional, contudo, “90% vem através de operadores turísticos”, frisou Ricardo Navas, destacando o contributo do Grupo TUI, de que faz parte a cadeia Riu.

Para o Riu Guarana, em Olhos de Água, no Algarve, os principais mercados emissores são Espanha e Portugal, seguindo-se Reino Unido e Alemanha.

A ocupação do hotel, segundo indicou Ricardo Navas, é superior a 80% entre Abril e Outubro, superando os 90% nos meses de Verão.

Além dos resorts de praia, a Riu também está a investir em hotéis de cidade com a marca Riu Plaza em destinos como Panamá, Guadalajara, Nova Iorque, Miami, Dublin, Berlim e Madrid.

A capital portuguesa é um dos destinos onde a Riu quer estar presente com a marca Plaza, revelou Ricardo Navas, acrescentando que o grupo está “em negociações com os proprietários do Riu Guaraná para que procurem algo em Lisboa”.

Ricardo Luque Navas está há 42 anos na Riu Hotels, começou como chefe de pessoal no Riu La Mola, em Formentera, passou pelos cargos de sub-director e director de hotel e no ano 2000 assumiu a posição de director de operações.

A seu cargo actualmente estão os hotéis Riu Guarana, no Algarve, Riu Monica, em Nerja, Riu Nautilus e Riu Costa del Sol, em Torremolinos, e o Riu Chiclana, em Chiclana de la Frontera.

Com a renovação do resort em Chiclana de la Frontera, que custou 25 milhões de euros, a rede hoteleira concluiu a renovação de todos os seus hotéis na Andaluzia e no Algarve.

 

O PressTUR visitou Chiclana de la Frontera a convite da Riu Hotels & Resorts

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Riu Hotels & Resorts

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Marriott e Alibaba testam check-in com reconhecimento facial

16-07-2018 (16h05)

A joint-venture da rede hoteleira Marriott International e do Alibaba Group, detentora da plataforma de serviços de turismo Fliggy, anunciou que vai testar tecnologia de check-in com reconhecimento facial em duas unidades na China.

Flor de Sal é o novo restaurante do Cabanas Park Resort

16-07-2018 (15h23)

O Cabanas Park Resort, em Tavira, vai contar com um novo restaurante a partir de quinta-feira, dia 19, o Flor de Sal, resultado de uma parceria entre a cadeia hoteleira AP Hotels e a marca de vinhos Quinta de São Sebastião.

Tryp Lima Miraflores vai ser inaugurado no primeiro dia de Agosto

16-07-2018 (12h31)

O Tryp Lima Miraflores, segunda unidade da Meliá Hotels International em Lima, no Peru, vai ser inaugurado no dia 1 de Agosto.

UE insta Airbnb a cumprir legislação europeia e ameaça com medidas coercivas

16-07-2018 (11h57)

A Comissão Europeia instou hoje o Airbnb a harmonizar as suas condições de utilização com as normas de defesa do consumidor da União Europeia (UE) e a ser mais transparente na apresentação dos preços, sob pena de sofrer medidas coercivas.

Proveitos da hotelaria portuguesa ‘disparam’ 9,1% em Maio apesar da quebra da procura internacional

13-07-2018 (17h00)

A hotelaria portuguesa conseguiu facturar em Maio +9,1% ou mais 28,6 milhões de euros que em 2017, ainda que tenha registado um ‘magro’ aumento das dormidas em 1,1% e, inclusivamente, uma quebra de 0,2% das pernoitas de turistas estrangeiros.